COMO PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL

DAR BOM EXEMPLO NOS HÁBITOS SAUDÁVEIS

obesidade



O primeiro passo na prevenção da obesidade infantil é para os pais e encarregados de educação para se fazer escolhas de estilo de vida saudáveis. A obesidade aumenta o risco de sérios problemas de saúde em crianças e adultos e decisões saudáveis ​​podem ajudar a sua família a reduzir esses riscos.

De acordo com o Centro Nacional para Estatísticas de Saúde a porcentagem de jovens que estão acima do peso mais do que triplicou desde 1980. Entre as crianças e adolescentes, quase 17% são considerados obesos. Quilos extras pode ter consequências graves para as crianças, incluindo a auto-estima, problemas sociais e aumento do risco de doenças crônicas. Por que tantas crianças derrubando as escalas? Especialistas dizem que não há uma única causa da obesidade infantil. A genética desempenha um papel, mas muito pouca atividade física e escolhas alimentares pobres são mais frequentemente os culpados. Os pais devem ser bons exemplos e estimular uma alimentação saudável

 

Muito pouca atividade

A infância deve ser preenchida com horas de jogo enérgico, mas as crianças de hoje são menos ativas do que as gerações passadas. Com mais famílias que vivem nas cidades, menos filhos a pé para a escola, e os pais podem manter as crianças dentro de casa com mais frequência por causa da preocupação pela sua segurança. Somando-se os problemas, muitas escolas têm cortes nos programas de educação física para economizar dinheiro. Uma pesquisa nacional relata que, em 2003 constatou que 20% das crianças com idades entre 8 a 16 anos são vigorosamente ativas apenas duas vezes por semana ou menos. Em vez de começar o recomendado 60 minutos de atividade moderada por dia, muitas crianças passam muitas horas por dia assistindo à televisão ou jogando vídeo e jogos de computador isso é lamentável.

 

Problemas de Televisão

Pesquisa informa que mais de 25% de todas as crianças de 8 a 16 anos assiste a pelo menos 4 horas de televisão por dia. As crianças que assistem quatro ou mais horas de televisão por dia também são mais propensos a ser obesos do que as crianças que assistem menos de 2 horas por dia.  Um estudo da Harvard School of Public Health revelou que o risco de excesso de peso é 4 vezes maior em crianças que assistem mais de 5 horas de televisão por dia, em comparação com aqueles que assistem 2 horas ou menos. Basta ter uma televisão no quarto está associada com excesso de peso, mesmo em crianças muito jovens. A inatividade não é o único problema com o aumento da televisão. Televisão expõe as crianças a comerciais de alimentos de alto teor calórico para, alimentos não saudáveis ​​dirigida especificamente a eles.

 

Nosso ambiente é carregado com as tentações de alimentos. Alimentos altamente calóricos estão disponíveis em todos os lugares uma criança se transforma: em máquinas de venda automática de escola, em restaurantes de fast-food, em lojas de conveniência de canto, e até mesmo em armários de cozinha em casa. Frutas e vegetais são facilmente ignorados em favor de lanches de alto teor calórico, tais como batatas fritas, biscoitos, doces e bebidas açucaradas como refrigerantes e outras.Agendas lotadas significa refeições caseiras da família são muitas vezes ignorado e substituído por menos nutritivos e alimentos consumidos na corrida do dia. Famílias podem comer fora em restaurantes com mais frequência, também, onde o tamanho das porções incharam, proporcionando muitas calorias e muita gordura.

Por que você deve se preocupar COM PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL

uma criança com sobrepeso ou obesa, esta criança esta em risco para muitos problemas de saúde. Uma criança obesa tem maior probabilidade de desenvolver diabetes tipo 2, uma doença que ocorria apenas em adultos. De acordo com os Institutos Nacionais de Saúde, houve um aumento alarmante no diabetes entre crianças e adolescentes obesos recentemente.

De acordo com estudos, as crianças obesas têm frequentemente níveis elevados de colesterol e pressão arterial elevada, aumentando o risco de doença cardíaca grave. As crianças que são obesas são mais propensas a ter asma e apnéia do sono, um problema de respiração que interrompe o sono, bem como ossos e distúrbios da articulação. Crianças com sobrepeso também são mais propensos a se tornarem adultos com sobrepeso.

O estresse psicológico que as crianças com sobrepeso pode ter, pode ser tão devastador quanto os demais problemas de saúde. Eles são muitas vezes incomodadas por outras crianças e, como resultado sofre baixa auto-imagem, baixa auto-estima, depressão e isolamento psicossocial. Estes efeitos podem ter consequências ao longo da vida.

O que você pode fazer PARA PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL ?

Ajudar seus filhos a ter um peso corporal saudável deve ser um assunto de família. Em vez de colocar o foco na criança com excesso de peso, toda a família (incluindo ambos os pais, se possível) deve se envolver em fazer mudanças saudáveis ​​em atividade e hábitos alimentares, dizem especialistas. Como pai, você é o modelo mais importante para os seus filhos, por isso é importante que você defina um exemplo com hábitos de vida saudáveis.

Verifique com seu médico sobre as recomendações de triagem atuais para crianças e adolescentes. Por causa dos riscos imediatos e de longo prazo do excesso de peso ou obesos, especialistas recomenda que todas as crianças – independentemente da história da família deve ser monitorados contra o colesterol elevado entre as idades de 9 e 11, e, novamente, entre as idades de 17 e 21.

Levante-se e mova

A atividade física é uma ótima maneira para que você possa passar mais tempo com seus filhos. Enfatizar a diversão de uma atividade, em vez de habilidade.

Criar atividade da família em todos os dias, talvez fazer uma caminhada à tarde ou passeio de bicicleta, fazer um Plano de passeios familiares ativos, tais como caminhadas, patinação, natação, ou jogando bola.Experimente umas férias de família que enfatiza canoagem, ciclismo, caminhadas, camping, ou natação.

Em aniversários, dar presentes que estimulem a atividade, como uma corda de pular, pula-pula, bicicleta, patins in-line, ou uma bola de basquete.

Definir diretrizes para quanto tempo seus filhos podem assistir televisão ou jogar computador ou jogos de vídeo.Limitar as crianças a 60 minutos ou menos por dia em-frente-de-tela a atividade se TV, vídeo game ou computador (lição de casa é uma exceção).

Escolha alimentos saudáveis PARA PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL

Faça um plano de escolhas alimentares. Sirva frutas, legumes, cereais integrais, feijões e carnes magras e aves. Use baixo teor de gordura ou sem gordura produtos lácteos (exceto para crianças menores de 2 anos de idade). Evite açúcar, refrigerantes e produtos industrializados.

Mantenha lanches saudáveis ​​na casa, como frutas frescas, vegetais e pobre em sal e com baixo teor de gordura e baixo teor calórico.

Conscientemente, não se deve comprar alimentos com elevado teor de gordura, alto teor de açúcar, ou lanches de alto teor calórico. Se eles não estão em casa, você não será tentado a comê-los você mesmo ou distribuí-los a seus filhos.

instrua os seus filhos começar o dia com um ¨pequeno-almoço¨ de enchimento, tais como cereais integrais com frutas e baixo teor de gordura do leite, torradas de trigo integral, ou uma salada de frutas com iogurte desnatado.

Não guarde alimentos não saudáveis ​​em casa. Ensine seus filhos sobre convenientes alimentos saudáveis, que podem ser consumidos todos os dias. Seja um exemplo para eles mesmo.

auto-estima

As crianças são mais propensos a fazer mudanças saudáveis ​​quando se sentem bem consigo mesmas. Ajude seus filhos a encontrar coisas para fazer e fazê-los sentir valiosas. Pode ser um trabalho voluntário da comunidade, visitando o vizinho idoso na rua, ajudando avó limpar seu quintal, ou perseguir um interesse especial, como arte ou música. Aponte os pontos fortes de seus filhos e ajudá-los a desenvolver os seus próprios interesses e habilidades.



Preocupado com o peso

Se você estiver preocupado com o peso da criança, primeiro fale com seu pediatra ou médico da família. O médico do seu filho pode determinar se o seu filho está em um peso saudável, calculando o seu índice de massa corporal (IMC). Uma relação entre peso e altura, é considerada o melhor método para a avaliação do peso em crianças. De acordo com especialistas, uma criança com um IMC entre o percentil 85 e 95 para a idade e sexo é considerado em risco de excesso de peso, e um IMC igual ou acima de 95 é considerado excesso de peso ou obesos.  O seu pediatra vai comparar este número com um gráfico de crescimento para crianças de mesma idade de seu filho e sexo.

O seu pediatra pode ajudar a identificar metas de controle de peso adequado para o seu filho. Muitas vezes, o objetivo não é perder peso, mas para mudar o comportamento. As dietas restritivas não são recomendadas para crianças com excesso de peso. Ao contrário, o objetivo é ajudá-los a manter seu peso à medida que crescem mais alto e, eventualmente, tornar-se mais magro. Outra abordagem é a de ajudar a criança a queimar mais calorias por ser mais ativo fisicamente. Um nutricionista pode fornecer orientações sobre comportamentos alimentares, planejamento de refeições e compras. Se o seu filho está em risco para problemas de saúde, o médico pode recomendar um programa formal de gerenciamento de peso composta por uma equipe de profissionais de saúde, como um pediatra, nutricionista, psicólogo e,

O mais importante é saber a vossos filhos que você os ama,independentemente do seu peso. Dê aos seus filhos muito apoio e aprovação. Ajudar a construir a auto-estima de seus filhos é uma ótima maneira de ajudá-los a desenvolver novos hábitos saudáveis.

 

Prevenção da obesidade da infância: Dicas para os pais

O número de crianças com excesso de peso aumentou drasticamente nos últimos anos. Aproximadamente 10 por cento das crianças de 4 e 5 anos estão acima do peso, o dobro de 20 anos atrás. O excesso de peso é mais prevalente em meninas do que meninos e em pré-escolares mais velhos (idades 4-5) do que mais jovens (idades 2-3).

A Obesidade aumenta ainda mais quando as crianças ficam mais velhas. Para as idades de 6 a 11, pelo menos uma em cada cinco crianças está acima do peso. Durante as duas últimas décadas, este número aumentou em mais de 50 por cento e o número de crianças obesas quase duplicou.

Para a maioria das crianças, o excesso de peso é o resultado de padrões alimentares pouco saudáveis ​​(muitas calorias) e muito pouca atividade física. Uma vez que esses hábitos são estabelecidos no início da infância, os esforços para prevenir a obesidade devem começar cedo.

Determinar se uma criança está acima do peso

Os pais não devem fazer alterações na dieta de uma criança baseada unicamente em percepções de excesso de peso. Todos os pré-escolares apresentam a sua própria estrutura corporal individual e padrão de crescimento. Avaliar a obesidade em crianças é difícil, porque as crianças crescem em jorros imprevisíveis. Ele só deve ser feito por um profissional de saúde, com base na altura e peso da criança em relação à sua história de crescimento anterior.

Ajudar crianças com sobrepeso

Perda de peso não é uma boa abordagem para a maioria das crianças, uma vez que seus corpos estão crescendo e se desenvolvendo. Crianças com excesso de peso não deve ser colocado em uma dieta, a menos que um médico supervisiona e der razões médicas. Uma dieta restritiva pode não fornecer a energia e os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento normal.

Para a maioria das crianças de tenra idade, o foco deve ser o de manter o peso atual, enquanto a criança cresce normalmente na altura.

As estratégias mais importantes para a prevenção da obesidade são comportamentos alimentares saudáveis, atividade física regular, e reduziu a atividade sedentária (como assistindo televisão e fitas de vídeo e jogos de computador). Estas estratégias preventivas fazem parte de um estilo de vida saudável, que deve ser desenvolvido durante a primeira infância.

Promover um estilo de vida saudável

Os pais e cuidadores podem ajudar a prevenir a obesidade infantil, fornecendo refeições e lanches saudáveis, atividade física diária e educação nutricional. Refeições e lanches saudáveis ​​fornecer alimentação para os corpos crescendo, enquanto a modelagem de comportamento alimentar saudável e atitudes. Aumento da atividade física reduz riscos de doenças e ajuda a controlar o peso. A educação nutricional ajuda crianças a desenvolver uma consciência de uma boa nutrição e hábitos alimentares saudáveis ​​por toda a vida.

As crianças podem ser incentivadas a adotar comportamentos alimentares saudáveis ​​e estar quando os pais fisicamente ativos:

Concentre-se em bom estado de saúde, e não uma determinada meta de peso. Ensinar e modelar atitudes saudáveis ​​e positivas em relação alimentar e atividade física sem enfatizar o peso corporal.

Concentre-se na família. Não defina as crianças com excesso de peso à parte. Envolver toda a família e trabalhar para mudar gradativamente a atividade física da família e os hábitos alimentares.

Estabelecer refeição diária e lanche vezes, e comer juntos o mais frequentemente possível. Faça uma grande variedade de alimentos saudáveis ​​disponíveis com base na Pirâmide Alimentar para crianças pequenas. Determine o que o alimento é oferecido e quando.

O que conta como uma porção?

grãos

  • 1 fatia de pão
  • 1/2 xícara de arroz cozido ou macarrão
  • 1/2 xícara de cereal cozido
  • Uma onça de cereal pronto-a-comer

Vegetais Grupo

  • 1/2 xícara de legumes crus ou cozidos picados
  • 1 xícara de vegetais folhosos crus

Fruta Grupo

  • 1 peça de fruta ou melão cunha
  • 3/4 xícara de suco de
  • 1/2 xícara de frutas em conserva
  • 1/4 de xícara de frutas secas

Carne Grupo

  • 2-3 gramas de carne cozida magra, frango ou peixe
  • 1/2 xícara de feijão cozido, ou uma contagem de ovos como um onças de carne magra. 2 colheres de sopa de manteiga de amendoim contam como uma onça de carne.

Gorduras e doces

Limite calorias a partir destes.

Crianças com idade de quatro a seis anos, limitar ao máximo o consumo de gorduras e doces. de 2-a-3 menos, com exceção de leite. Crianças de dois a seis anos de idade precisa de um total de 2 porções do grupo de leite todos os dias.

Desencorajar comer refeições ou lanches enquanto assiste TV. Comer na frente da TV pode tornar difícil a prestar atenção à sensação de saciedade e pode levar a excessos.

Compre menos alimentos de alto teor calórico, alimentos de baixo valor nutritivo. Ajudar as crianças a entender que os doces e guloseimas ricas em gordura (como doces, biscoitos ou bolo) não são alimentos todos os dias. Não privar as crianças de guloseimas, no entanto. Isso pode torná-los mais propensos a comer demais.

Envolver as crianças no planejamento, compras e preparar refeições. Use essas atividades para compreender as preferências alimentares das crianças, ensinar as crianças sobre nutrição, e incentivá-los a experimentar uma grande variedade de alimentos saudáveis.

Aproveite ao máximo os lanches. Merendas contínua pode levar a excessos. Planejar lanches saudáveis ​​em horários específicos. Inclua dois grupos de alimentos, por exemplo, maçã e biscoitos integrais. Concentre-se em nutrição máximas – frutas, legumes, grãos, cereais baixo teor de açúcar, produtos lácteos com pouca gordura e carnes magras e alternativas à carne. Evite quantidades excessivas de sucos de frutas, que contém calorias, mas menos nutrientes do que os frutos.

Incentivar a atividade física. disponibilizar tempo de atividade física de forma regular, como caminhadas, passeios de bicicleta, caminhadas e jogos ativos. Apoiar atividades físicas organizadas de seus filhos. Fornecer um local seguro e acessível fora para o jogo.

Limite a quantidade de tempo que as crianças assistem à televisão, jogar jogos de vídeo, e trabalhar no computador para 1 a 2 horas por dia. As crianças estão gastando em média cerca de 24 horas por semana assistindo televisão. Reduzir atividades sedentárias ajuda a aumentar a atividade física.



 

tags: COMO PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL, OBESIDADE INFANTIL, OBESIDADE NA ADOLESCÊNCIA, EXCESSO DE PESO


cuidados com a Obesidade na gravidez

Obesidade na gravidez

b067f6b798c35788_Obese_and_Expecting_Jeannette.xxxlarge_1

Estar muito acima do peso, que normalmente é definido como tendo um índice de massa corporal (IMC) de mais de 30 anos, é cada vez mais comum.Cerca de 15-20% das mulheres grávidas estão agora nesta categoria. O IMC é uma medida de como você está com sobrepeso e é calculado usando o seu peso e altura.

 

Antes de engravidar, você pode calcular o seu (IMC) para descobrir se você está acima do peso. Mas uma vez que você está grávida isso pode não ser preciso.

A melhor maneira de proteger a sua saúde e bem-estar do seu bebê é perder peso antes de engravidar e manter o peso adequado durante e depois da gravidez. Ao atingir um peso saudável, você aumenta suas chances de conceber naturalmente e reduzir o risco de problemas associados ao excesso de peso durante a gravidez.

Contate o seu médico para aconselhamento sobre a forma de perder peso e siga corretamente o programa (medida certa e corpo perfeito) do vida plena de saúde. Se necessário  O seu médico pode ser capaz de encaminhá-la para uma clínica de perda de peso especialista. Se você ficar grávida antes de perder peso, tente não se preocupar – bom atendimento pré-natal pode ajudar a minimizar os riscos para você e seu bebê.

Durante a gravidez

Se você estiver muito acima do peso e está grávida, não tente perder peso durante a gravidez, pois isso pode não ser seguro. Embora existam riscos associados com a obesidade durante a gravidez, não há evidências de que a perda de peso enquanto estiver grávida vai reduzir esses riscos.

 

A melhor maneira de proteger a sua saúde e a saúde do seu bebê é ir para todos os seus compromissos de pré-natal, para que o obstetra, médico e outros profissionais de saúde podem ficar de olho em vocês dois. Eles podem gerenciar os riscos que você pode enfrentar devido ao seu peso, e agir para evitar – ou tratar – quaisquer problemas.

Também é importante comer uma saudável dieta equilibrada e começar alguma atividade física todos os dias como ensinado neste programa. Aqui Você encontrará  dicas sobre alimentação saudável e como ser fisicamente ativo durante a gravidez. Ser fisicamente ativo durante a gravidez não irá prejudicar o seu bebê.

Comer e exercício

Alimentação saudável (incluindo saber que alimentos comer e evitar) e fazer atividades como caminhada e natação é bom para todas as mulheres grávidas. Se você não fosse ativa antes da gravidez, é uma boa ideia de consultar o seu médico antes de iniciar um novo regime de exercícios quando você está grávida.

 

Se você iniciar um programa de exercícios aeróbicos (como natação, caminhada, corrida ou aulas de aeróbica), diga o instrutor que está gávida e começar com não mais que 15 minutos de exercício contínuo, três vezes por semana. Aumente este gradualmente para sessões diárias de 30 minutos.

 

Lembre-se que o exercício não precisa ser extenuante para ser benéfica. Como regra geral, você deve ser capaz de manter uma conversa enquanto se exercita durante a gravidez. Se ficar sem fôlego quando você fala, você provavelmente está se exercitando muito vigorosamente.

Seu cuidado na gravidez

Se você ficar grávida antes de perder peso, você vai ser testada para o diabetes gestacional. Você também pode ser encaminhada para um anestesista para discutir questões como ter uma epidura  durante o parto. é mais provável a necessidade deste tipo de alívio da dor, porque as mulheres com sobrepeso são mais propensas a ter um parto instrumental ( cesariana ), e pode ser difícil para a epidural a ser dado.

Se você estiver com sobrepeso, discutir suas opções de nascimento com seu médico ou parteira, porque há restrições sobre quais as mulheres podem entregar com segurança em casa ou em uma piscina de parto. Porque as mulheres obesas são mais propensas a precisar de fórceps, ventosa ou cesariana para dar à luz, normalmente é mais seguro optar por um parto hospitalar, onde há um acesso mais rápido ao atendimento médico e opções de alívio da dor, se necessário.

Os riscos do excesso de peso na gravidez

A maioria das mulheres que estão muito acima do peso pode ter uma gravidez bem sucedida, mas se você tem um IMC acima de 30, os problemas extra para você incluem:

Aborto espontâneo, diabetes gestacional, hipertensão arterial e pré-eclâmpsia, coágulos de sangue, infecção (urina e infecções de feridas pós-cesariana), hemorragia após o nascimento

problemas com a amamentação

ter um bebê com um peso anormalmente elevado

 

Problemas para o bebê podem incluir:

defeitos congênitos (anomalia congênita)

uma maior chance de problemas de saúde mais tarde na vida, incluindo obesidade e diabetes

 

RESUMO:

mais de um terço das mulheres são obesos, mais da metade das mulheres grávidas estão com sobrepeso ou obesas, e 8% das mulheres em idade reprodutiva são extremamente obesas, colocando-as em um maior risco de complicações na gravidez. Portanto, a avaliação pré-concepção e aconselhamento são fortemente encorajados para mulheres obesas e deve incluir o fornecimento de informações específicas sobre os riscos maternos e fetais da obesidade na gravidez, bem como o incentivo para realizar um programa de redução de peso.

 

Na visita pré-natal inicial, altura e peso devem ser registradas para todas as mulheres para permitir o cálculo do índice de massa corporal (calculada como peso em quilogramas dividido pela altura em metros ao quadrado), e as recomendações para o ganho de peso adequado deve ser revisto na visita inicial e periodicamente durante toda a gestação. Consulta de Nutrição deve ser oferecido a todas as mulheres com sobrepeso ou obesas, e eles devem ser encorajadas a seguir um programa de exercícios.

 

As mulheres grávidas que se submeteram à cirurgia bariátrica devem ser avaliados para deficiências nutricionais e à necessidade de suplementação de vitamina quando indicado.As pacientes obesas submetidas a cesariana pode exigir tromboprofilaxia com dispositivos de compressão pneumática e heparina não fracionada ou heparina de baixo peso molecular. Para todos as pacientes obesas, a consulta de anestesiologia cedo no trabalho deve ser considerada, e consultas com especialistas em redução de peso antes de tentar uma nova gravidez deve ser incentivada.

A prevalência de obesidade aumentou drasticamente nos últimos 25 anos. A recente Saúde e Nutrition Examination Survey Nacional descobriu que nos Estados Unidos, mais de um terço das mulheres são obesos, mais de metade das mulheres grávidas estão com sobrepeso ou obesas, e 8% das mulheres em idade reprodutiva são extremamente obesas. O problema da obesidade é maior entre as mulheres negras não-hispânicas (50%) em comparação com mulheres mexicanas americanas (45%) e as mulheres brancas não-hispânicas (33%) (1).

 

Em 2009, o Institute of Medicine (IOM) publicou diretrizes de ganho de peso da gravidez revistas que são baseadas em pré-gestacional índice de massa corporal (IMC) intervalos recomendados pela Organização Mundial de Saúde. Estes intervalos são independentes da idade, paridade, tabagismo, raça e etnia. As recomendações do IM revistas definir peso normal como um IMC de 18,5-24,9, excesso de peso como um IMC de 25-29,9 e obesidade como um IMC de 30 ou superior. As diretrizes da OIM não diferenciam entre Classe I obesidade (IMC = 30-34,9), Classe II obesidade (IMC = 35-39,9) e obesidade grau III (IMC ≥ 40) (2).

 

Complicações na Gravidez

As mulheres com sobrepeso e obesas estão em maior risco de várias complicações na gravidez, incluindo diabetes mellitus gestacional, hipertensão, pré-eclâmpsia, parto cesárea, pós-parto e retenção de peso. Da mesma forma, os fetos de mulheres grávidas que estão com sobrepeso ou obesas estão em maior risco de prematuridade, morte fetal, anomalias congênitas, macrossomia com possível lesão de nascimento e obesidade na infância. Preocupações adicionais incluem potencial intraparto, operativo, e complicações pós-operatórias e as dificuldades relacionadas com a gestão de anestesia. Mulheres obesas também são menos propensos a iniciar e manter o aleitamento materno.

 

Complicações maternas

Em um estudo prospectivo, multicêntrico de mais de 16.000 pacientes, um IMC de 30-39,9 foi associada a um risco aumentado de diabetes mellitus gestacional (odds ratio [OR], 2.6 e 4.0), hipertensão gestacional (OR, 2,5 e 3,2), pré-eclâmpsia (OU, 1.6 e 3.3), e de macrossomia fetal (OR, 1,7 e 1,9), quando comparado com um BMI inferior a 30 (7). Nesse mesmo estudo, a taxa de cesariana foi de 20,7% para as mulheres com um IMC de 29,9 ou menos, 33,8% para as mulheres com um IMC de 30-34,9, e 47,4% para as mulheres com um IMC de 35-39,9. Outros estudos apresentaram taxas mais elevadas de pré-eclâmpsia, diabetes mellitus gestacional e parto cesárea (particularmente para prisão de trabalho) em mulheres obesas do que em mulheres não obesas (4-6).

 

Pelo menos três estudos de coorte sugerem que a obesidade é um fator de risco independente para o aborto espontâneo entre as mulheres que se submetem a tratamento de infertilidade. Em reconhecimento a essa associação, recomenda-se que os prestadores de cuidados de saúde incentivar as mulheres obesas a perder peso antes de iniciar a terapia da infertilidade. Os dados também de ligação da obesidade com o aborto espontâneo entre as mulheres que concebem naturalmente.

 

As complicações fetais

Ao aconselhar mulheres obesas sobre potenciais complicações na gravidez, é importante informá-las sobre os riscos fetais associados, incluindo a prematuridade, morte fetal, anomalias congênitas (por exemplo, defeitos do tubo neural), macrossomia e obesidade na infância e na adolescência. Alguns estudos relataram uma maior taxa de parto prematuro para mulheres obesas do que para mulheres de peso normal. No entanto, em um estudo com mais de 2.900 mulheres obesas, a obesidade pré-gestacional foi associado a uma menor taxa de parto prematuro espontâneo. Um estudo de coorte sueca grande relataram maior risco de pré-parto natimorto entre os pacientes obesos do que entre as mulheres que tinham um IMC inferior a 20.

 

As gestantes obesas são mais propensas a dar à luz a um bebê com anomalias congênitas, e a obesidade também reduz as taxas de detecção de anomalias fetais durante a ultra-sonografia pré-natal. Dados estabelece que os riscos de defeitos do tubo neural entre as gestantes obesas é o dobro das mulheres grávidas de peso normal após correção para diabetes como um fator de confusão em potencial. A vantagem da administração de doses mais elevadas de ácido fólico de 5mg por dia não foi estudada em mulheres obesas grávidas sem diabetes.

 

Vários estudos têm mostrado que a obesidade materna e ganho de peso excessivo durante a gravidez estão associados com crianças grandes-para a idade gestacional. Além disso, essas crianças grandes-para a idade gestacional estão em maior risco de obesidade na infância e na adolescência. Embora o diagnóstico de macrossomia fetal é imprecisa, cesariana profilático poderá ser avaliado por suspeita de macrossomia fetal com pesos fetal estimado superior a 5.000 g em mulheres sem diabetes e maior que 4.500 g em mulheres com diabetes.

 

Complicações durante o parto

É importante discutir as complicações intraparto potenciais com mulheres obesas, tais como os desafios associados à gestão de anestesia e aumento do risco de cesariana complicada e emergente. Outros problemas potenciais incluem dificuldade de estimar o peso fetal (mesmo com a ultra-sonografia) e a incapacidade de obter padrões de freqüência cardíaca fetal e contração uterina externos interpretáveis.

 

Gestão de Anestesia

Se uma consulta de anestesiologia não foi obtida antes do parto, deve ser realizada no início do trabalho para que haja tempo suficiente para o desenvolvimento de um plano anestésico. O uso de anestesia peridural ou raquidiana é recomendada na paciente grávida obesa quando a anestesia é necessária ou eleito; no entanto, pode ser tecnicamente difícil ou impossível de administrar este tipo de anestesia por causa de marcos coberto, posicionamento difícil e camadas excessivas de tecido adiposo. Alternativamente, o uso de anestesia geral em gestantes obesas também apresenta vários desafios, incluindo difícil entubação endotraqueal devido ao excesso de tecido e edema os eventos respiratórios intra-operatórias de intubação falha difícil. Cesariana

Complicações operatórias e pós-operatórias entre as gestantes obesas incluem aumento das taxas de perda excessiva de sangue, tempo operatório maior do que 2 horas, infecção da ferida, e endometrite. A apnéia do sono que ocorre neste grupo de mulheres pode complicar ainda mais a gestão da anestesia e cuidados pós-operatórios.

 

As mulheres obesas que necessitam de cesariana têm uma maior incidência de degenerescência de feridas e infecções. A profilaxia antimicrobiana é recomendada para todos os partos cesáreos a menos que a paciente já está recebendo antibióticos apropriados (por exemplo, para corioamnionite).

 

Para as mulheres obesas que necessitam de cesariana, deve-se considerar a utilização de uma dose maior de antibióticos no pré-operatório para a profilaxia cirúrgica). As tentativas de diminuir a incidência de avarias e doenças que têm sido estudados para feridas incluem encerramento das camadas subcutâneas e a colocação de drenos subcutâneos. Os investigadores demonstraram que o fecho de sutura do tecido subcutâneo, após o parto por cesariana em pacientes obesos pode levar a uma redução significativa na incidência de perturbações pós-operatório de feridas. No entanto, a colocação de pós-operatório dos sistemas de drenagem subcutâneos não tem consistentemente se mostrado de valor na redução da morbidade pós-cesariana entrega.

 

Devido a um aumento do risco de tromboembolismo venoso, a colocação de dispositivos de compressão pneumática antes cesariana é recomendado para todas as mulheres já não receber tromboprofilaxia. Os pacientes obesos, especialmente aqueles que estão hospitalizados e imóvel, podem ter um risco aumentado de tromboembolismo.

 

Avaliação de risco individual levará alguns prestadores de cuidados de saúde para planejar tromboprofilaxia com dispositivos de compressão pneumática e heparina não fracionada ou de baixo peso molecular (LMW) heparina em tais pacientes. No entanto, o parto cesáreo no cenário de emergência não deve ser adiada por causa do tempo necessário para implementar tromboprofilaxia. Pós-parto heparina não fracionada ou heparina LMW profilaxia tem sido recomendado para pacientes que se pensa ser de alto risco de tromboembolismo venoso; no entanto, os dados são insuficientes para determinar se os benefícios da heparina não fracionada ou heparina LMW profilaxia neste grupo de pacientes superam os riscos.

 

Devido ao aumento da probabilidade de cesariana complicada e emergente, mulheres extremamente obesas podem necessitar de recursos específicos, tais como produtos adicionais de sangue, uma mesa de operação grande e pessoal extra na sala de parto. Em particular a atenção para o tipo e posicionamento da incisão cirúrgica é necessário (isto é, a colocação da incisão acima da camada gordurosa). Há desafios logísticos adicionais para monitorar o trabalho e realizar uma cesariana emergente no paciente extremamente obesos. Portanto, esses pacientes devem ser orientados sobre esses possíveis complicações de um parto por cesariana emergente.

 

Cirurgia bariátrica Considerações

O número de mulheres em idade reprodutivo obeso submetido à cirurgia bariátrica é cada vez maior. Embora complicações gastrointestinais maternos, incluindo obstrução e hemorragia pode ocorrer como resultado deste procedimento, a incidência é rara. Além disso, a gravidez após a cirurgia bariátrica são menos propensos a ser complicada por diabetes mellitus gestacional, hipertensão, pré-eclâmpsia e macrossomia que são gestações de mulheres obesas que não foram submetidos a esse tipo de cirurgia.

 

As mulheres grávidas que se submeteram à cirurgia bariátrica devem ser avaliados para deficiências nutricionais e à necessidade de suplementação de vitamina quando indicado, porque eles estão em maior risco de deficiências de ferro, vitamina B12, ácido fólico, vitamina D e cálcio. Mulheres com uma banda gástrica devem ser monitorados pelos seus cirurgiões gerais durante a gravidez porque o ajuste da banda pode ser necessário. A cirurgia bariátrica não é uma indicação independente para cesariana.

 

Aconselhamento

Mulheres obesas têm um risco aumentado de várias complicações na gravidez; portanto, a avaliação pré-concepção e aconselhamento são fortemente encorajados. Obstetras deve fornecer educação sobre as possíveis complicações e deve encorajar os pacientes obesos a realizar um programa de redução de peso, incluindo a dieta, exercício e modificação de comportamento, antes de tentar a gravidez. Autorização médica específica pode ser indicada para alguns pacientes.

 

Na visita pré-natal inicial, altura e peso devem ser registradas para todas as mulheres para permitir o cálculo do IMC, e as recomendações para o ganho de peso adequado deve ser revisto tanto na visita inicial e periodicamente ao longo da gravidez (3). As diretrizes IOM 2009 recomendar um ganho de peso total de 15-25 lb (6,8-11,3 kg) para mulheres com sobrepeso (IMC = 25-29,9) e 11-20 libras (5,0-9,1 kg) para todas as mulheres obesas (IMC ≥ 30)  Consulta de Nutrição deve ser oferecido a todas as mulheres com sobrepeso ou obesos, e eles devem ser encorajados a seguir um programa de exercícios.

 

Nutrição e exercício e aconselhamento deve continuar no pós-parto e antes de tentar uma nova gravidez. Como esses pacientes estão em maior risco de cesariana emergente e complicações anestésicas, a consulta de anestesiologia no início de trabalho deve ser considerado.

Recomendações

Recomendações para mulheres obesas grávidas ou a planear uma gravidez incluem o seguinte:

Avaliação e aconselhamento são fortemente encorajados e deve incluir o fornecimento de informações específicas sobre os riscos maternos e fetais da obesidade na gravidez e incentivo para realizar um programa de redução de peso, como reeducação alimentar e exercício indicados aqui no programa ( medida certa e corpo perfeito do vida plena de saúde)

Na visita pré-natal inicial, altura e peso devem ser registradas para todas as mulheres para permitir o cálculo do IMC, e recomendações para ganho de peso adequado, guiado por recomendações do IM, deve ser revisto, tanto na visita inicial e periodicamente ao longo da gravidez.

Consulta de Nutrição deve ser oferecido a todas as mulheres com sobrepeso ou obesas, e elas devem ser encorajados a seguir um programa de exercícios. Nutrição e exercício aconselhamento deve continuar no pós-parto e antes de tentar uma nova gravidez.

As mulheres que se submeteram à cirurgia bariátrica devem ser avaliadas para deficiências nutricionais e à necessidade de suplementação de vitamina, quando indicado, porque eles estão em maior risco de deficiências de ferro, vitamina B12, ácido fólico, vitamina D e cálcio.

Para pacientes submetidas à cesariana que têm fatores de risco para tromboembolismo, como a obesidade, a avaliação de risco individual pode exigir tromboprofilaxia com dispositivos de compressão pneumática e heparina não fracionada ou heparina LMW.

Deve-se considerar a utilização de uma dose maior de antibióticos no pré-operatório para a profilaxia cesariana.

O uso de encerramento da sutura do tecido subcutâneo, após o parto por cesariana em pacientes obesos pode levar a uma redução significativa na incidência de perturbações pós-operatório de feridas.

Consulta Anestesiologia cedo no trabalho deve ser considerada.

A consulta com um especialista em redução de peso antes de tentar uma nova gravidez deve ser incentivada, se houver necessidades às vezes só a mudanças de hábitos como reeducação alimentar e um programa de exercícios físicos como sugerido neste livro são suficientes.

 

tags:obesidade na gravidez,  compleiçoes na gravidez, excesso de peso na gravidez


OBESIDADE E DOENÇAS RELACIONADAS

Conheça os riscos para a saúde.

obesidade e doenças



Mais de 65 milhões de adultos e 10 milhões de crianças sofrem de obesidade, considerada uma das principais causas de doenças potencialmente fatais. Ser obeso mórbido pode comprometer a sua saúde, encurtar a sua vida, e até mesmo causar a morte. Se você estiver com sobrepeso, as probabilidades de desenvolver doenças cardíacas, diabetes e pressão arterial elevada aumenta significativamente. Aqui estão algumas doenças relacionadas à obesidade.

1 Pressão Alta -. Pressão arterial alta é a principal causa de morte entre os americanos com mais de 25 cerca de 75 milhões de pessoas sofrem de pressão arterial alta ou hipertensão, que é um importante fator de risco para doenças cardíacas.. A pressão arterial tende a aumentar com o aumento de peso e idade. Não se sabe por que a obesidade é uma das principais causas de pressão arterial elevada. No entanto, a pesquisa mostrou que pacientes obesos apresentaram um aumento do volume sanguíneo e resistência arterial. Para as pessoas que estão acima do peso e têm pressão arterial elevada, perdendo apenas 8 quilos pode ajudar a reduzir a pressão arterial a um nível seguro.

  1. DiabetesA obesidade é considerada um dos fatores mais importantes no desenvolvimento de resistência à insulina, e pode levar ao tipo de diabetes tipo 2 . De acordo com a Organização Mundial de Saúde, mais de 90 por cento dos pacientes com diabetes em todo o mundo têm diabetes tipo 2. Sendo o que contribui com excesso de peso ou obesos para o desenvolvimento de diabetes, tornando as células mais resistentes aos efeitos da insulina. A perda de peso de 15-20 quilos pode ajudar a diminuir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

 3 Doença Cardíaca -. Segundo a Americam Heart Association , a obesidade é um fator de risco para o desenvolvimento de doença cardíaca coronária, que pode levar a um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral. Pessoas que estão acima do peso correm um maior risco de sofrer um ataque cardíaco antes dos 45 anos. Adolescentes obesos têm uma maior chance de ter um ataque cardíaco antes dos 35 anos que os adolescentes não-obesos. Se você estiver com sobrepeso, perder 10-15 quilos pode reduzir o risco de desenvolver doenças cardíacas. Se você se exercita regularmente, o risco de desenvolver doença cardíaca cai ainda mais.

 4 níveis elevados de colesterol -. Colesterol alto é uma das principais causas de ataques cardíacos. O colesterol é transportado através do seu sangue de duas maneiras: a lipoproteína de baixa densidade (LDL), que transporta o colesterol para as células que dela necessitam, e a lipoproteína de alta densidade (HDL), que é o colesterol saudável que reduz o risco de coração ataque. Ter níveis elevados de LDL aumenta o risco de ter doenças cardíacas em 20 por cento.Perder 11-20 quilos pode ajudar a reduzir significativamente o seu nível de colesterol.

5 Câncer -. Um estudo realizado pela Americam Heart Association revelou que o excesso de peso aumenta suas chances de desenvolver câncer em 50 por cento. As mulheres têm um risco maior de desenvolver câncer se forem mais de 20 quilos acima do peso. O exercício físico regular e uma perda de peso de apenas 12 quilos pode diminuir significativamente o risco.

6 infertilidade -. Ser obeso pode causar mudanças nos níveis hormonais das mulheres, o que pode resultar em falência ovariana. As mulheres que são 15-25 quilos acima do peso têm um risco maior de sofrer de infertilidade e câncer de ovário. Nossos corpos precisam de estar em um peso adequado para produzir a quantidade certa de hormônios e regular a ovulação e a menstruação.Não acho que os homens são imunes à infertilidade. Homens com excesso de peso têm maior chance de desenvolver a mobilidade e uma baixa contagem de espermatozóides. Derramamento 12-14 quilos pode ajudar a reduzir os riscos.

7 Dor nas costas -. Obesidade é um dos fatores que contribuem de dores nas costas e articulações.O excesso de peso pode causar prejuízo para as partes mais vulneráveis ​​da coluna vertebral, que carrega o peso do corpo. Quando se tem que carregar excesso de peso, as chances de sofrer de uma lesão na coluna vertebral ou aumento de danos estruturais. Estar acima do peso também aumenta o risco de osteoporose em desenvolvimento, dores nas costas, artrite e artrose. Perder 10-15 libras pode ajudá-lo a diminuir o risco de desenvolver esses problemas.

8 – Infecções de pele. Indivíduos obesos e com excesso de peso pode ter a pele que se dobra sobre si mesma. Estas áreas vincadas pode ficar irritada da fricção e suor, o que pode levar à infecções de pele.

9 Úlceras -. de Acordo com um estudo realizado pelo instituto nacional de saúde (ins) a obesidade pode ser um fator que contribui para o desenvolvimento de úlceras gástricas. As úlceras gástricas pode ocorrer quando há um desequilíbrio entre a quantidade de ácido clorídrico, que é segregada e a enzima pepsina. Homens com excesso de peso correm um maior risco de desenvolvimento de úlceras gástricas do que as mulheres. A perda de peso de menos de 7 quilos pode ajudar a reduzir o risco.



10 Cálculos biliares -. Sendo severamente o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver cálculos biliares, especialmente em mulheres. Os cálculos biliares são causados ​​quando o fígado libera uma quantidade excessiva de bile, que é armazenada na vesícula biliar. Os cálculos biliares são mais comuns em mulheres mais velhas e aqueles com história familiar de cálculos biliares.Perder 4-9 quilos reduz o risco de desenvolvimento de cálculos biliares. O exercício moderado também podem ajudar a diminuir o risco.

Se você sofre de diabetes ou pré-diabetes tipo 2 e precisa perder peso, COM O programa (medida certa e corpo perfeito) do vida plena de saúde.você pode ajudá-lo a controlar as doenças por meio de nutrição, reeducação alimentar e fitness, bem como modificação de comportamento. Este programa  pode  ajudar as pessoas com diabetes tipo 2 e pré-diabetes perder peso e reduzir os seus níveis de açúcar no sangue. Dê a si mesmo uma segunda chance e tomar medidas no sentido de um estilo de vida saudável e feliz.

Obesidade e da Síndrome Metabólica

A Obesidade impacta negativamente existente endócrina e metabolismo transtornos. Na verdade, um em cada cinco pessoas com excesso de peso é afetado pela síndrome metabólica, ou “Síndrome X26”.

A síndrome metabólica é uma das que mais crescem as preocupações de saúde relacionadas com a obesidade em todo mundo e é caracterizada por um conjunto de problemas de saúde, incluindo obesidade, hipertensão, níveis anormais de lipídios e açúcar elevado no sangue.

Os pacientes com síndrome dos  ovários  policísticos,  e outras condições têm um risco aumentado de desenvolver a síndrome metabólica.

De acordo com os centros para controle e prevenção de doenças (cdc), a síndrome metabólica afeta quase um quarto (22 por cento) da população americana – um número estimado de 47 milhões de pessoas. O conjunto de problemas caracterizados como compreendendo a síndrome metabólica pode aumentar o risco de um paciente para o desenvolvimento de problemas de saúde mais graves, como diabetes, doenças cardíacas e acidente vascular cerebral.

Obesidade e Síndrome do Ovário Policístico (SOP)

A maioria dos pacientes diagnosticados com a síndrome dos ovários policístico, o distúrbio hormonal mais comum em mulheres em idade reprodutiva, estão com sobrepeso ou obese35.

A  síndrome está associado a uma acumulação de folículos completamente desenvolvidas nos ovários e é caracterizada por ciclos menstruais irregulares, múltiplos cistos no ovários e crescimento excessivo de pêlos. SOP é uma das principais causas de infertilidade e é uma causa significativa da resistência à insulina – e, assim, um fator importante no aumento do risco de uma mulher de desenvolver diabetes.

Adolescentes com excesso de peso também são suscetíveis ao desenvolvimento de SOP. hiperinsulinemia – ou excesso de insulina no sangue – a resistência à insulina, e excesso de peso são todos associados com SOP em adolescentes. As características comuns entre os adolescentes pós-púberes e adultos com SOP incluem o crescimento excessivo de pêlos, menstruação irregular e acne cística ou não cística.

Obesidade e Reprodução / Sexualidade

A obesidade em homens tem sido associada a alterações hormonais reprodutivos, disfunção sexual, e infertilidade. Em mulheres sem a síndrome dos ovários policísticos , a obesidade também compromete os resultados reprodutivos.

Obesidade e dislipidemia

A obesidade tem um efeito negativo sobre os níveis de lipídios no sangue, que conduzem frequentemente ao desenvolvimento de uma condição conhecida como dislipidemia . Dislipidemia, um fator de risco principal para a doença arterial coronariana, ocorre quando o colesterol LDL (mau colesterol) e os níveis de triglicéridos são elevados e colesterol HDL (colesterol bom) é baixo.Os médicos muitas vezes atribuem essa mudança anormal nos níveis de lipídios ao ganho de peso. A perda de peso, por outro lado, tem um efeito oposto.nós somos o que comemos. Portanto para ter saúde beleza e bem-estar, procure alimentação saudável e pratica de exercícios físicos isto é um dever de todo homem.

 



tags: obesidade, doenças, obesidade e doenças relacionadas


hábitos saudáveis para melhora da saúde e controle de peso parte#2

hábitos saudáveis para melhora da saúde e controle de peso parte#2

HABITO SALDAVEL

Coma muita fibra

Existem dois tipos de fibra dietética:

De fibra solúvel, que se encontra na aveia, ervilha, feijão, e muitas frutas e vegetais, se dissolve em água para formar um material semelhante a gel.Ele aumenta a sensação de saciedade e pode diminuir o nívelde colesterol e glicose.

A fibra insolúvel é encontrada principalmente em cereais integrais, e também em cascas de frutas e vegetais.Ele não é digerido pelo organismo, mas forma grandes quantidades no intestino, o que ajuda a manter os intestinos a  mover-se normalmente.

Alimentos ricos em amido e frutas e os vegetais contêm mais fibras. Então, as dicas acima em alimentos ricos em amido e frutas e legumes também vai aumentar fibra. Se você alternar para o arroz integral e massas e pão integral, isso pode aumentar significativamente a sua ingestão de fibra. Pulsos como lentilhas e feijão também são cheios de fibra.

Comer alimentos de alta em fibras pode fazer você se sentir cheio por mais tempo, o que pode ajudar se você estiver tentando assistir o seu peso.
Tenha muito para beber quando você come uma dieta rica em fibras (pelo menos 6-8 copos de líquido por dia).

 

Coma leite e alimentos lácteos suficientes

Leite e outros laticínios como queijo e iogurte são importantes em sua dieta, uma vez que fornecem cálcio, que é necessário para ossos e dentes saudáveis. Eles também são uma fonte de proteína e pode fornecer outras vitaminas e minerais importantes para a saúde. Leite de soja enriquecido com cálcio de preferência a esse leite. No entanto, outros alimentos como manteiga e creme de leite não são considerados alimentos lácteos aqui, pois eles também são ricos em gordura, por isso eles vêm sob o grupo de alimentos gordurosos e devem ser evitados.

Para certificar-se de que você começa bastante cálcio em sua dieta, você precisa de três porções por dia deste grupo de alimentos. Uma porção é:

200 ml de leite.

Uma pequena (150 g) de iogurte pote.

A 30 g porção de queijo (aproximadamente do tamanho de uma caixa de fósforos).

À medida que o teor de gordura de alimentos lácteos pode variar, certifique-se de que você vá para opções de baixo teor de gordura, sempre que possível, como leite desnatado ou semi-desnatado, queijo magro e iogurte de baixa gordura.

Fontes não-lácteos de cálcio incluem vegetais de folhas verdes, conservas de peixe (principalmente se os ossos estão incluídos), figos secos, amêndoas, laranjas, sementes de gergelim, algas e alguns tipos de feijão dê preferência aos vegetais.

Cálcio não lácteos deve ser comido com uma fonte de vitamina D, como o corpo precisa dela para ajudá-la a absorver o cálcio. A vitamina D pode ser encontrada em ovos e peixes. Mas é principalmente composto na pele em contacto com a luz do sol.

Alguns alimentos são enriquecidos com cálcio, como cereais matinais, algumas bebidas de soja e tofú. Esta vitamina pode já ter adicionado D.

 

Coma outros alimentos protéicos com moderação

Outros alimentos que contêm proteínas incluem carne, peixe, ovos e fontes vegetais de proteína. Fontes vegetais de proteína incluem nozes, sementes, tofú, feijão, como feijão vermelho e feijões enlatados, e leguminosos como lentilha e grão de bico.

Você precisa de certa quantidade de proteína para manter-se saudável. A proteína é importante para a energia e para o crescimento e reparação em seu corpo. Alguns destes alimentos ricos em proteínas também pode ser uma fonte de ferro e vitaminas, incluindo as vitaminas B e vitamina D. No entanto, a maioria das pessoas come mais proteína do que o necessário. Cuidado, algumas carnes também são ricos em gordura. Escolha aves como frango ou carne magra. Além disso, tenha cuidado, pois muitas receitas à base de carne incluem molhos cremosos ou gordurosos, que são ricos em calorias. Ao comer ovos, cozinha-los em vez de fritar. Uma porção de feijão ou leguminosas, como grão de bico ou lentilha é de três colheres de sopa de heaped.

Há algumas evidências de que a ingestão de óleo de peixe ajuda a proteger contra doenças cardíacas. Peixes oleosos incluem arenque, sardinha, cavala, salmão, atum fresco (não enlatada), arenque, sardinha, truta, salmão, anchova e espadarte. Pensa-se que o ômega-3 os ácidos graxos no óleo de peixe ajuda a reduzir ‘furring das artérias’ (o acúmulo de ateroma), que provoca angina e ataques cardíacos. Procure comer pelo menos duas porções de peixe por semana.

 

Proteína combinando
Fontes vegetarianas de proteínas não fornecem o equilíbrio correto de aminoácidos (os blocos de construção das proteínas) para o corpo a usar a menos que combinado com o outro. Então, as pessoas que não estão comendo um monte de peixe, carne ou ovos precisa ter certeza de que suas refeições contêm dois dos seguintes:

Os produtos lácteos

Grãos

Legumes (por exemplo, feijão, lentilhas)

Exemplos de refeições equilibradas em proteínas são:

Feijão cozido Dhal e arroz ou chapatti

Batata cozida com feijão cozido e queijo

Uma tigela de cereal com leite

 

Gordura

Durante muito tempo, a obesidade e muitos outros problemas de saúde têm sido atribuídos a quantidade de gordura que nós comemos. Isso faz sentido porque a gordura contém cerca de duas vezes mais calorias por grama de carboidratos ou proteínas. Entretanto, a pesquisa mais recente sugere que o quadro é mais complexo do que isso. Ele sugere que o carboidrato desempenha um papel maior no ganho de peso do que se pensava anteriormente.

Além disso, os conselhos sobre quais tipos de gorduras são melhores para comer está em discussão. Pensou-se previamente que as gorduras saturadas (principalmente de origem animal, como carne e manteiga) foram mais perigosos para a saúde do que as gorduras poli-insaturadas. Gorduras poli-insaturadas, geralmente são encontrados nos óleos vegetais. Uma pesquisa recente não suporta esta opinião.

Provavelmente ainda é uma boa idéia para comer menos gordura, se você está tentando perder peso.

Dicas para reduzir a gordura na sua dieta incluem o seguinte:

Sempre que possível, não fritar alimentos.É melhor para grelhar, assar, caçar, churrasqueira, ou comida ferver. Se você fritar, use o óleo saturado. Escorra o óleo fora a comida antes de comer.

Escolha cortes magros de carne, e cortar qualquer excesso de gordura.

Evite adicionar gordura desnecessária aos alimentos.Por exemplo, use os spreads baixo teor de gordura, espalhados menos manteiga ou margarina no pão, medir pequenas porções de óleo para cozinhar, etc

Cuidado com as gorduras escondidas que estão em bolos, chocolates, bolos e biscoitos.

Tenha leite com baixo teor de gordura, queijos, iogurtes e outros produtos lácteos, em vez de variedades cheio de gordura.

Evite creme.Use creme de salada com pouca gordura, ou um iogurte magro como um substituto de creme.

Contudo aconselhamos evitar ao máximo as gorduras.

Elimine os alimentos e bebidas açucarados

Alimentos e bebidas açucarados são ricos em calorias e muito pode causar ganho de peso. Não é apenas a quantidade de açúcar que pode ser ruim. Mesmo comer pequenas quantidades de alimentos açucarados (doces, etc) muitas vezes é ruim para os dentes. Dicas incluem:

Tente não adicionar açúcar aos cereais chá, café, e café da manhã.Seu gosto pela doçura muitas vezes muda com o tempo. Utilize adoçantes artificiais somente se necessário.

Reduzir o açúcar em qualquer tipo de receita.Use frutas ou mel como uma alternativa para adicionar doçura a receitas.

Tente bebidas sem açúcar.Dar às crianças água ou leite como sua bebida principal.

Se você comer chocolate ou doces, tente manter a quantidade para baixo.Comê-los como parte de uma refeição, e, em seguida, escovar os dentes, é melhor do que entre as refeições como lanches.

 

Não comer muito sal

Muito sal aumenta o risco de desenvolver pressão alta. Diretrizes recomendam que não devemos ter mais do que 6 g de sal por dia. (A maioria das pessoas de todo o mundo tem atualmente mais do que isso.) Se você está acostumado a um monte de sal, tente gradualmente para reduzir a quantidade que você tem. Seu gosto pelo sal acabará por mudar. Dicas sobre como reduzir o sal incluem:

Use ervas e especiarias para sabor em vez de sal.

Limite a quantidade de sal utilizada na culinária, e não adicionar sal à comida na mesa.

Escolha alimentos rotulados “sem adição de sal.

Tanto quanto possível, evitar alimentos processados, molhos ricos em sal, delivery, e sopas de pacote que muitas vezes são ricos em sal. O sacrifício vale a pena para o bem de sua saúde e boa forma, algumas mudanças são difícil no inicio mas logo você se acostuma

 

Não se esqueça o tamanho das porções

Você pode estar comendo alimentos muito saudáveis, mas você ainda precisa manter um olho sobre o tamanho das porções, porque se eles forem muito grandes, você ainda vai ganhar peso. Deliberadamente tentar tirar porções menores, quando você tem uma refeição. Não pense que você tem que esvaziar seu prato. Talvez mudar os pratos que você tem em seu armário (que pode ser grande) para pratos mais médios. Desta forma, você irá, naturalmente, servir porções menores. Encha-se de frutas e legumes. Peça uma porção menor quando comer fora. Afinal de contas você precisa perder calorias para perder gordura.

 

Pense sobre o que você está bebendo

Muitas bebidas contêm calorias, incluindo bebidas não alcoólicas. Pense sobre o que você está bebendo.

Escolha bebidas não alcoólicas mais saudáveis.Algumas dicas: a água não contém calorias e pode ser refrescante e saudável. Adicionar uma fatia de limão ou de lima para sua água. Mantenha uma garrafa na geladeira para que fique legal. Além disso, pensar em mudar o seu café,leite gordo para um café feito a partir de leite desnatado ou semi-desnatado.

Evitar ingerir álcool.Beber bebidas alcoólicas  pode levar a sérios problemas. Por exemplo, ao beber muito pode danificar o fígado, cérebro, estômago, pâncreas, coração e. Ele também pode causar pressão arterial elevada. Além disso, o álcool contém muitas calorias e, em excesso pode causar ganho de peso. Água, água, água eis a melhor e mais saudável bebida, frutas legumes e nozes eis as melhores alimentos esses últimos com moderação.

LEIA A PARTE 1 DESTE ARTIGO CLICANDO AQUI

TAGS: dieta,hábitos saudáveis,controle do peso, emagrecer, perder peso,saude, controle do peso


hábitos saudáveis para melhora da saúde e controle de peso parte#1

hábitos saudáveis para melhora da saúde e controle de peso

HABITO SALDAVEL

Já pensou sobre o porquê de você praticar hábitos saudáveis?

Você sabe que hábitos saudáveis ​​faz sentido, mas você já parou para pensar por que você deve praticá-los? A pesquisa mostra que o impacto de uma boa saúde em sua qualidade de vida é de longo alcance, independentemente da sua idade, sexo ou capacidade física. Confira essas qualidades que a boa saúde promove.

Controles de peso
Comer bem e fazer exercícios regularmente pode ajudar a evitar o ganho excessivo de peso e manter um peso saudável. De acordo com especialistas, você pode obter benefícios do exercício por ser ativo de forma simples ao longo do dia. Por exemplo, caminhar em vez de dirigir veículo ou subir as escadas em vez do elevador.

Comer uma dieta com baixo teor de gordura também pode ajudar a controlar o peso. Quando você começar o dia com um pequeno-almoço saudável, você ajuda a evitar espasmos de fome que poderia enviar-lhe correr para o fast food antes do almoço, diz que os especialistas em nutrição. Os nutricionistas  também recomenda a incorporação de pelo menos cinco vezes por dia de frutas e legumes – que são baixos em calorias e rica em nutrientes – na sua dieta para ajudar a controlar o peso.

Melhora o humor
Fazer bem ao seu corpo compensa para a sua mente também. estudiosos observa que a atividade física estimula a substâncias químicas do cérebro que muitas vezes deixam você sentir tanto mais feliz e mais relaxado. Comer uma dieta saudável, bem como o exercício pode levar a um físico melhor, então você também pode se sentir melhor sobre sua aparência, o que pode aumentar a sua confiança e auto-estima. O American Council on Exercise relata que os resultados de curto prazo do exercício incluem diminuição do estresse e capacidade de pensar melhor.

Não é só dieta e exercício que levam à melhora do humor. De acordo com um estudo publicado noAmerican Journal of Comportamento de Saúde, outro hábito saudável, que leva a uma melhor saúde mental está a fazer conexões sociais. Quer se trate de voluntariado, aderir a um clube, ou a assistir a um filme, atividades comunitárias ajudar a melhorar o humor e funcionamento mental, mantendo a mente ativa e os níveis de serotonina equilibrado, diz a Academia Americana de Médicos da Família.

Combate a Doenças
Hábitos saudáveis ​​podem ajudar a prevenir certas condições de saúde – tais como doenças cardíacas, derrame e pressão alta -, aumentando a lipoproteína de alta densidade (HDL), ou “bom” colesterol e diminuir os triglicéridos insalubres. Esta combinação mantém o seu sangue flui sem problemas, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares. Os estudiosos  afirmam que a atividade física regular e dieta adequada pode ajudar a prevenir ou controlar uma ampla gama de outros problemas de saúde, incluindo a síndrome metabólica, diabetes, depressão , certos tipos de câncer e artrite.

Aumenta a Energia
Nós todos experimentamos a queda de energia que vem de comer alimentos ricos em açúcar e gorduras saturadas. Quando você come uma dieta equilibrada, incluindo grãos integrais, carnes magras, laticínios com baixo teor de gordura, e as frutas e legumes, o seu corpo tem o combustível de que necessita para gerir o seu nível de energia.

O exercício físico regular também melhora a força muscular e aumenta a resistência, dando-lhe mais energia, segundo os especialistas. O exercício ajuda a fornecer oxigênio e nutrientes para os tecidos e recebe o seu sistema cardiovascular trabalhando de forma mais eficiente para que você tenha mais energia para ir sobre suas atividades diárias. Ele também ajuda a aumentar a energia, promovendo um sono melhor – ajudando você a adormecer mais rápido e aprofundar seu sono.

Melhora Longevidade
Quando você pratica hábitos saudáveis, você aumenta suas chances de uma vida mais longa. O American Council on Exercise relatou em um estudo de 13 mil pessoas de oito anos. O estudo mostrou que aqueles que andaram apenas 30 minutos por dia reduziu significativamente suas chances de morrer prematuramente, em comparação com aqueles que se exercitavam ocasionalmente.

 

DE OLHO EM SUA DIETA

Uma nota sobre os diferentes grupos de alimentos

Seu corpo precisa de energia para trabalhar normalmente e mantê-lo vivo. Você pode obter essa energia a partir de nutrientes nos alimentos que você come – a maioria, carboidratos, gorduras e proteínas. Minerais e vitaminas são outros nutrientes que também são importantes na sua dieta para ajudar seu corpo a se manter saudável.

É importante encontrar o equilíbrio certo entre esses nutrientes diferentes para alcançar o máximo de benefícios de saúde (veja abaixo). Uma dieta equilibrada geralmente contém alimentos de cada um dos seguintes grupos de alimentos:

  • Alimentos ricos em amido, como pão, arroz, batatas, massas, etc
  • Frutas e legumes.
  • Leite e produtos lácteos.
  • Alimentos ricos em proteínas.Estes incluem carne, peixe, ovos e outras fontes não lácteos de proteína (incluindo nozes, tofu, feijão, leguminosas, etc.)

Alimentos gordurosos e açucarados são o quinto grupo de alimentos que você come.No entanto, apenas uma pequena quantidade do que você come deve ser composta de alimentos gordurosos e açucarados. Melhor seria evita-los.

Quais são os benefícios de uma dieta saudável?

Uma dieta saudável pode ajudar a prevenir certas doenças graves, tais como doença cardíaca acidente vascular cerebral e diabetes. Ele também pode ajudar a reduzir o risco de desenvolver alguns tipos de câncer.Se você ficar doente, comer uma dieta saudável pode ajudá-lo a se recuperar mais rapidamente. Além disso, a principal forma de prevenir a obesidade e o excesso de peso é comer uma dieta saudável. Se você estiver com sobrepeso ou obeso, comendo uma dieta saudável pode ajudar você a perder peso .

O que torna-se uma dieta saudável?

Como regra geral, vegetais, frutas e alimentos ricos em amido deve fornecer a maior parte da maioria de suas refeições. A parte restante de sua dieta deve ser feita a partir de leite e alimentos lácteos e alimentos proteicos com moderação. Como mencionado acima, você deve limitar a quantidade de alimentos e bebidas que são ricos em gordura ou açúcar. (melhor elimina-los)

Abaixo, os princípios de uma dieta saudável são explicados. É um conselho geral para a maioria das pessoas. Se você tiver um problema de saúde específico, ou necessidades dietéticas específicas, este conselho pode não se aplicar a você. Em caso de dúvida, você deve verificar com o seu médico. Há também algumas mudanças que as mulheres grávidas precisam fazer a sua dieta.

Carboidratos

Grande parte da energia (calorias), em que nós comemos vem de carboidratos. Estes são divididos em carboidratos complexos – alimentos geralmente ricos em amido, como pão, massas, arroz e batatas – e carboidratos simples, que são os alimentos açucarados e doces. Há muito a ser escrito sobre o quanto da nossa alimentação deve ser composta por carboidratos, mas a maior parte das diretrizes recomendam cerca de um terço. Isso deve ser principalmente hidratos de carbono, as opções de maior preferência de fibra, como pão integral, cereais integrais e arroz integral.

Índice glicémico
O índice glicêmico de um alimento é a velocidade com que o alimento aumenta os níveis de açúcar no sangue depois de ter sido comido. Se um alimento possui um baixo índice glicémico, que é processado pelo corpo de uma forma que significa que é menos susceptível de conduzir a problemas, tais como diabetes e obesidade.

Carboidratos Superior de fibra, como cereais integrais e pão integral, tendem a ter um índice glicêmico mais baixo do que os amidos mais refinados. Isto pode significar que eles são uma opção mais saudável por esta razão, bem como para as fibras que eles contêm.

Coma muita fruta e vegetais

Uma nova pesquisa sugere que a ingestão de pelo menos sete porções de frutas e verduras diariamente reduz os riscos de muitas doenças, tais como acidente vascular cerebral, doenças cardíacas e alguns tipos de câncer. Idealmente, deve haver mais vegetais do que frutas em sua dieta. Além destes benefícios, frutas e legumes:

  • Contêm grande quantidade de fibras, que ajuda a manter seu intestino saudável.Problemas como aprisão de ventre e doença diverticular são menos propensos a desenvolver.
  • Conter a abundância de vitaminas e minerais, que são necessários para mantê-lo saudável.
  • São naturalmente pobres em gordura.
  • Está farto, mas são pobres em calorias.

Uma porção média de vegetais pode ser de cerca de um punhado, ou cerca de 80 g.Alternativamente, uma porção de fruta ou legumes é aproximadamente equivalente a um dos seguintes procedimentos:

  • Um grande frutas como maçã, pêra, banana, laranja, ou uma grande fatia de melão ou abacaxi.
  • Duas frutas menores, como ameixas, kiwis, satsumas, clementinas, etc
  • Um copo (ou um punhado) de pequenas frutas, como uvas, morangos, framboesas, cerejas, etc
  • Dois grandes colheres de sopa de salada de frutas, cozidos ou conservas de frutas em sucos naturais.
  • Uma colher de sopa de frutas secas.
  • Um copo de suco de frutas frescas (150 ml).
  • Cerca de três colheres de sopa cheias de qualquer vegetal.
  • Uma tigela de sobremesa de salada.

Algumas dicas sobre como aumentar frutas e vegetais na sua dieta incluem:

  • Experimente alguns tipos diferentes que você não tenha experimentado antes.A variedade de sabores e texturas pode ser surpreendente. Sucos, congelados, enlatados e secos variedades contam.
  • Tente adicionar bananas picadas, maçãs ou outras frutas de cereais matinais.
  • Destinam-se a incluir pelo menos dois legumes diferentes, com a maioria das principais refeições.Faça vegetais não over-ferver. Cozinhando em vapor, refogar, ou levemente fervente são os melhores para reter os nutrientes.
  • Tente ter fruta em cada refeição ou um copo pequeno de suco de frutas.
  • Experimente novas receitas que incluem frutas.Por exemplo, alguns curries ou ensopados incluem frutas como damascos secos. Tenha pudins à base de frutas.Fruta com iogurte é um favorito comum.
  • Considere tomate cereja, cenoura, damascos secos, ou outras frutas, como parte de almoços embalados.
  • A fruta é ótima para lanches.Incentivar as crianças para fazer um lanche com frutas, em vez de doces.

 

CONTINUE LENDO A PARTE 2 DESTE ARTIGO CLICANDO AQUI

tags:dieta,hábitos saudáveis,controle do peso, emagrecer, perder peso,saude

 


COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte #3

abdomen

Terceiro passo: lutar com a gordura da parte inferior da barriga, costas e laterais. Por que os métodos habituais não funcionam e como se livrar corretamente da gordura “teimosa”?

Como se livrar da gordura da barriga e laterais?

Na primeira parte desta série de ‘guerra’ à gordura foi dedicado ao combate à barriga saliente e à gordura visceral e o segundo – à estratégia para perder gordura subcutânea. Já no presente artigo iremos, finalmente, nos dedicar à assim chamada gordura “teimosa”.

Até 1994 se acreditava haver só um tipo de gordura subcutânea e toda literatura médica até esse ano confirmam isto. De acordo com essa teoria, não havia diferença qual gordura se combatia: se a gordura da barriga e dos lados ou outra gordura qualquer.

Gordura das áreas problemáticas

Novos estudos mostraram que, em primeiro lugar, diferentes partes do corpo armazenam diferentes tipos de gordura (ácidos graxos saturados ou insaturados); e, em segundo lugar, a resposta desses tipos de gordura a hormônios e ao treino também difere.

Acontece que a gordura da parte inferior da barriga e das costas dos homens é muito parecida por sua estrutura com a gordura do quadril das mulheres e ela difere de qualquer outra gordura subcutânea armazenada pelo organismo. Em poucas palavras: é precisamente aqui que está a causa das “partes problemáticas”.

Diferença hormonal

A gordura visceral reage pouco à insulina, mas reage à adrenalina, que permite “derretê-la” com cardiovasculares independentemente de dietas; a queima da gordura subcutânea comum fica bloqueada na presença de insulina, por isso é necessário não só treinamento cárdio mas também dieta

A gordura subcutânea “teimosa” responde bem à insulina mas mal à adrenalina — mesmo se você diminui o nível de insulina com uma dieta pobre em carboidratos e aumenta o nível de adrenalina com cárdio, essa gordura não será queimada, como acontece com a subcutânea comum.

Influência da adrenalina na queima de gordura

Na gordura subcutânea comum a adrenalina melhora a vascularização, acelerando a queima dessa gordura. Mas no caso da gordura “teimosa”, a adrenalina, pelo contrário, diminui a circulação sanguínea e é precisamente por isso que muitos sentem a barriga fria durante os exercícios cardiovasculares.

A adrenalina permite, literalmente, que a gordura seja queimada, ativando a saída dos ácidos graxos livres (AGL) das células adiposas. Mas, em primeiro lugar, esse processo é travado na presença de insulina, e em segundo, na gordura “teimosa” a adrenalina bloqueia a saída dos AGL.

Como perder gordura da barriga?

Estudos mostraram que por volta do segundo ou terceiro dia de dieta o metabolismo muda e os receptores da gordura “teimosa” sensíveis à ação da adrenalina desligam, permitindo queimá-la com carga de cárdio ou qualquer outra.

Também se descobriu que uma dieta com uma quantidade média de carboidratos (50-60 g. por dia) ativa no organismo muitos dos processos ativados na forme e leva à neutralização desses receptores. O corpo começa a queimar a gordura “teimosa” com a limitação de calorias e a ingestão controlada de gorduras. Dê preferência aos alimentos integrais aos industrializados.

 

Alguns passos para secar a barriga

A maioria das mulheres quer estar com a barriga sequinha, não é mesmo? Para te ajudar na missão de “secar” a barriga e desfilar em forma pelas praias brasileiras, ensinaremos oito passos para você seguir todos os dias a partir de hoje. Após duas semanas, veja como ficaram suas medidas. Vamos tentar?

1 – Mastigar até cansar

Mastigar bem faz toda a diferença se você que enxugar a barriga. Quanto mais você mastigar, menores vão ficando os pedaços de comida e mais fácil fica a digestão. Mastigue pelo menos 40 vezes cada garfada. Em um estudo da Universidade Oxford Brookes, na Inglaterra, voluntários que mascaram cada porção por 35 vezes simplesmente comiam menos quando comparados aos outros que só mascaram por dez vezes ou menos.

  1. Coma menos quantidade e mais vezes ao longo do dia

Ficar sem comer de nada adianta se você quer emagrecer. Quando você passa muito tempo sem comer, seu estômago reclama, manda sinais para seu cérebro, que por sua vez, ordena você “atacar” qualquer tipo de comida. E de preferência as mais gordurosas, para a preservação da espécie!

Então, faça o seguinte: aquele lance de comer de três em três horas é real e vai te ajudar. Não enfie o pé na jaca. Coma uma fruta, um copo de iogurte, coalhada ou ricota, algo assim leve, entre as refeições, ok?

  1. Prefira os alimentos de fácil digestão

Principalmente se você trabalha após o almoço. Nada de comer alimentos gordurosos. Frutas, grãos integrais e verduras passam mais rapidamente pelo intestino e ajudam seu funcionamento. Já os de difícil absorção  favorecem a fermentação, responsável pelo aspecto de barriga inchada. Evite comidas gordurosas, como queijos, carne vermelha, grão-de-bico, repolho, couve-flor  doces e refrigerantes.

  1. Fibras todos os dias, mas sem exagero

As fibras que estão em verduras e legumes crus, nas frutas, principalmente com casca, em produtos intregais , como granola, aveia, linhaça e chia, ajudam o intestino a funcionar como se fosse uma vassoura! As que não são absorvidas passam pelo aparelho digestivo e vão “arrastando” as gorduras e outras moléculas maiores ajudando a eliminar aquele aspecto de abdômen estufado. Mas lembre-se: exagerar na dose pode ter o efeito contrário, provocando cólicas e inchaço. Duas colheres de sopa destes cereais ou meio prato de legumes e verduras já está de bom tamanho!

  1. Troque os refinados por integrais

Alimentos refinados são sinônimo de farinha branca, seja de trigo ou açúcar. Então, deixe de lado o pão francês, o arroz branco, a farinha de trigo e a massa convencional e opte pelas versões integrais. Açúcar mascavo ou demerara são ótimas opções. Ou mesmo o mel! Além de terem mais fibras e ajudarem o intestino a funcionar melhor, esses alimentos baixam o índice glicêmico, o que evita a produção excessiva de insulina, hormônio que estimula o organismo a estocar gordura.

  1. Maneire no salgado

Evite alimentos condimentados e/ou salgados, como salgadinhos, tempero do macarrão instantâneo, molho de soja. Tente sempre procurar os light. Todo alimento light tem menos 20% de calorias totais, ou de gordura, ou de açúcar ou de sódio. Excesso de sódio provoca retenção hídrica, responsável pelo aspecto de inchaço no corpo, inclusive na barriga. Além disso, os condimentos irritam o intestino e aumentam a formação de gases. Outros vilões que é melhor você fugir são: azeitonas, anchovas, picles, carne seca, defumados e embutidos (salame, presunto, bacon), queijos salgados e muito temperados (gorgonzola, parmesão, roquefort), catchup e molhos prontos para saladas.

  1. Beba muita água sempre

Está com sede? Beba água. Não está com sede? Beba água! Sabia que algumas vezes sentimos fome e, na verdade, o corpo está pedindo água? Beber água acalma, dilui a comida ou bebida que você ingeriu, limpa os intestinos e rins, alivia dores estomacais. Beba pelo menos dois litros ao longo do dia, mas não durante as refeições, o que dificulta a digestão e favorece a fermentação e o aumento do volume abdominal. Os líquidos, como água, chás e sucos, além de ajudarem a regular o intestino, permitem também a eliminação do sal. Evite ao máximo as águas gaseificadas com ou sem sabor. Elas impedem a absorção do cálcio além de favorecer a osteoporose.

  1. Gordura para eliminar gordura
    Já está provado que alguns tipos de gordura, como a mono e a poliinsaturada, em doses moderadas, agem contra os “pneuzinhos”, principalmente no abdômen. Por isso, abra espaço no seu cardápio para o azeite de oliva, o abacate e as frutas oleaginosas, como a castanha-do-pará e a amêndoa. Mas sempre com moderação. As oleaginosas podem ser consumidas uma vez ao dia, o punhado que você conseguir segurar em uma das mãos. O azeite, duas colheres de sopa ao longo do dia está debom tamanho. E o abacate, consuma metade da fruta, passe papel-filme na parte cortada, deixe bem rente para não oxidar e ficar preto e guarde na geladeira até odia seguinte.

Tomar 2 litros de chá verde diariamente, que ajuda a eliminar toxinas. Outra dica para aumentar o metabolismo é adicionar 1 colher de café de pimenta caiena na água do chá para ajudar a acelerar o metabolismo e a queimar gordura.

Fazer prancha abdominal depois de aquecer depois de uma caminhada por exemplo, é uma excelente forma de garantir a queima de gordura localizada na barriga.

Evitar comer alimentos muito doces e gordurosos e pré preparados como congelados. A alimentação para perder a barriga deve ser baseada em alimentos naturais como frutas, verduras e proteínas magras como carnes brancas ou tofu.

Manter o intestino funcionando regularmente com uma alimentação rica em fibras presentes em frutas e legumes. Assim evita-se a prisão de ventre e o uso de laxantes que podem irritar o intestino inchando e provocando gases.

Fazer massagens localizadas na barriga diariamente ajuda a ativar a circulação sanguínea e a modelar a silhueta.

Para acabar com a gordura na barriga faça refeições regulares durante o dia, evitando momentos em que o volume da refeição é muito grande, evitando assim a produção exagerada de insulina e o aumento da massa gorda.

É na gordura que as toxinas se concentram, por isso é muito importante garantir uma boa hidratação e assim facilitar a eliminação delas pelo intestino e pela urina, pois quando há uma grande queima de gordura localizada há também uma grande liberação de toxinas pelo corpo, que devem ser eliminadas para não provocar inchaço e levar ao envelhecimento precoce.

LEIA TAMBÉM:

COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte#1

COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte #2

tags: como perder gordura abdominal, secar barriga, perder barriga, gordura localizada, barriga chapada, abdomen durinho, perder peso, emagrecer, turbinar o emagrecimento


COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte #2

abdomen

Como perder barriga parte 2

Segundo passo: diminuir a quantidade de gordura subcutânea e definir os músculos. Como combinar dieta e cárdio para a maior eficácia? Técnicas para turbinar o emagrecimento.

Estratégia para perder peso rapidamente

já falamos de três tipos distintos de gordura corporal (gordura visceral, subcutânea e localizada, que nos homens está concentrada na parte baixa da barriga e nas costas) e respondemos à questão de como pessoas com problemas de peso podem emagrecer com maior eficácia. O artigo de hoje interessará principalmente àqueles cujo nível de gordura corporal está entre 15% e 18% (o ‘pneus’ da barriga ronda os 1 cm a 3 cm, a barriga não está sobressaída mas é visível debaixo da camiseta) e para quem quer chegar aos 10-11%

Como queimar a gordura e bombar os músculos?

Mais uma vez lembramos que é impossível queimar gordura e aumentar os músculos com um único treino. A recomendação tradicional de alternar treino de força com muitas repetições e com vinte minutos de cárdio no final não podia estar mais errada.

Por mais bonito, e até mesmo lógico, que nos pareça a ideia de que o corpo queima a gordura subcutânea e imediatamente direciona a energia recebida para construir tecido muscular, isso é, na realidade, um processo impossível de se efetuar pela própria natureza das funções fisiológicas.

Influência dos hormônios na queima de gordura

A insulina, que é liberada na presença de glicose na corrente sanguínea e que é essencial para a produção de músculo, é praticamente um bloqueador da saída de gordura das células adiposas, o que faz com que seja praticamente impossível queimar essa gordura como fonte de energia.

Sabendo que os carboidratos e as proteínas aumentam o nível de insulina, queima de gordura é inibida na sua ingestão. Também é obvio que ao comer gordura o corpo não precisará recorrer nem queimar a sua própria gordura. Resulta que só se perde gordura com periódicas inibições à ingestão de alimento.

Por que correr não vai funcionar?

A gordura visceral, existente em muitas pessoas obesas, reage mal à insulina, mas bem ao hormônio queimador de gordura, a adrenalina, que é secretada nos exercícios cardiovasculares. É exatamente por isso que as pessoas obesas emagrecem com corrida mesmo sem seguir nenhuma dieta.

Se você tem pouca gordura visceral, o papel da corrida é outro – o que você aqui precisa é de déficit calórico e de “livrar” periodicamente o sangue de insulina e energia extra como a glicose. É aqui que os exercícios cárdio vão ajudar (a corrida, em particular).

O que é melhor: corrida ou dieta?

É importante saber que durante a prática de exercício cardiovascular se emagrece mais rapidamente além das calorias perdidas, mas também por conta dos fatores hormonais ativados na corrida ou na caminhada rápida. É de fato mais fácil cortar 400 kcal do seu prato do que correr 5 quilômetros.

Você pode combinar uma dieta leve com aeróbicos queimadores de gordura, ou não executar cárdio mas seguir uma dieta mais puxada que limite os carboidratos a 40-60 g por dia. O cárdio vai ajudar, sem dúvida, mas nessa altura do campeonato a dieta continua sendo mais importante. Mas ainda assim é importantíssimo a pratica de exercícios físicos seja quais forem.

Por que se perde músculo e não gordura?

Já que o papel da insulina é proteger os músculos (e a gordura), o seu nível baixo faz perder não só gordura como também músculos. Se acredita que a perda de três quilos de gordura implica a perda de um quilo de músculo e isso não tem como mudar.

Para perder o mínimo possível de músculo é importante seguir uma norma maior de ingestão de proteína e em nenhuma situação descer o consumo das calorias mais de 10-20%. O objetivo (e a técnica) do treino de força tem de ser outra :manter o peso.

Técnicas para turbinar o emagrecimento

Quanto mais magro você ficar, mais o corpo vai se opor à queima da gordura restante. As técnicas habituais de emagrecimento (dietas ou monodietas, corte brusco nas calorias, cárdio em excesso) queimarão mais músculos do que gordura.

Se quer deixar a barriga chapada deve contar as calorias e seguir dietas cíclicas. Só isso permite queimar a gordura mais teimosa, o pneuzinho da barriga, já que os exercícios aqui não funcionam.

A técnica mais eficaz para queimar a gordura subcutânea é treinar cárdio de barriga vazia algumas vezes por semana, diminuir a ingestão de calorias em 10-20%, limitar os carboidratos a 50-60 g por dia e aumentar a ingestão de proteína para proteger os músculos.

LEIA TAMBÉM:

COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte#1

COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte #3

tags: como perder gordura abdominal, secar barriga, perder barriga, gordura localizada, barriga chapada, abdomen durinho, perder peso, emagrecer, turbinar o emagrecimento


COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte#1

COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte#1

abdomen

DEFININDO O ABDÔMEN.

Estratégia de luta contra o EXCESSO DE PESO e gordura na barriga: tudo sobre como deixar o abdômen sarado. Os três tipos de gordura no organismo e dicas para combater cada uma delas.

Para perder a gordura da barriga nem sempre é necessário emagrecer, pois muitas vezes a gordura localizada na barriga se mantém mesmo depois da dieta de emagrecimento bem sucedida.

Abdominais queimam a gordura da barriga?

Pesquisas da fisiologia humana mostram que, apesar de o músculo ativo utilizar, de fato, o tecido adiposo em sua volta como energia de trabalho, trinta minutos de abdominais queimam apenas 0,05 g de gordura subcutânea.

O mecanismo de ação dos exercícios na queima da gordura é um pouco diferente — em exercícios aeróbicos o organismo aprende a utilizar as reservas internas de energia, aumentando gradualmente a quantidade de capilares no tecido adiposo, o que leva à sua queima, mas é importante fazer exercícios abdominais para tornear e tonificar os músculos do abdômen.

Três tipos de gordura

É obvio que os capilares não podem se multiplicar infinitamente e que essa estratégia funciona somente até um determinado momento e com um determinado tipo de gordura. É precisamente por isso que para muitos é fácil perder os primeiros quilos, mas é difícil deixar aquela barriga sarada.

Na realidade, a gordura em um homem adulto não é toda igual e se divide em três tipos fundamentais: gordura visceral, gordura subcutânea e gordura definida pelo gênero. E cada uma exige a sua estratégia de combate.

Gordura visceral

Como o próprio nome indica, a gordura visceral é armazenada primeiramente na cavidade abdominal, empurrando a barriga para fora. Quanto mais gordo o homem ou a mulher, mais gordura desta ele(a) terá. E é precisamente a gordura visceral que dá ao indivíduo a silhueta de uma maçã. Os exercícios cardio são os mais eficazes contra esse tipo de gordura. Quem garante que emagreceu bruscamente simplesmente a correr, teve primeiro que se livrar da gordura visceral. Se você consegue encolher a barriga, significa que tem pouca gordura deste tipo e a corrida não lhe ajudará. Mas ainda assim é importante no processo de emagrecimento pois queima calorias. Doces em geral são os causadores dessas gorduras que acumula na cintura.

Gordura subcutânea

Cerca de 40-60% de toda a gordura do corpo se apresenta em forma de gordura subcutânea — aquela gordura que podemos sentir debaixo da pele. Os exercícios aeróbicos têm menos capacidade de eliminação deste tipo de gordura e para além deles há que adotar também uma dieta com déficit calórico.

Em média é possível perder entre 400 g a 700 g dessa gordura por semana, o que equivale a um déficit de 500 kcal a 900 kcal por dia. O organismo é incapaz de queimar essa gordura mais rapidamente e se você diminuir a ingestão calórica ainda mais, começará a perder em primeiro lugar músculos e não a gordura.

Gordura teimosa da barriga (gordura localizada)

O terceiro tipo de gordura é aquela definida pelo gênero e que está localizada na parte inferior da barriga e costas dos homens e mulheres, e no quadril e nas nádegas, nas mulheres. A luta contra esse tipo de gordura é bastante atual para homens com menos de 10% de gordura subcutânea.

Infelizmente, esta gordura é precisamente a mais problemática, já que o organismo só a utiliza em última instância, se livrando antes das gorduras visceral e subcutânea. A estratégia de luta contra esta gordura exige soluções conjuntas. Evite doces e massas.

Emagrecer uma vez é para toda vida?

Vale a pena notar que, ao contrário do que comumente se acredita, a quantidade de células adiposas não algo definido geneticamente e o organismo tem liberdade total para  criar novas reservas de gordura. Infelizmente, as células adiposas praticamente não morrem, são eternas.

No fundo, os tecidos adiposos fazem lembrar esponjas – você pode até emagrecer e “secar” as células adiposas, mas terá sempre que manter uma dieta e praticar exercícios físicos, já que essas células retomam ao seu volume inicial com incrível rapidez assim que você comece a comer a mais.

A gordura no organismo humano se divide fundamentalmente em três tipos diferentes: gordura visceral, gordura subcutânea e gordura relacionada com o gênero. A estratégia de combate defere em cada uma delas e será descrita nos respetivos artigos.

Como perder barriga: parte I

Primeiro passo: se livrar da gordura visceral que reveste os órgãos internos e da barriga saliente. Regras eficazes de treinamento e recomendações referentes à alimentação e suplementos.

Como diminuir a barriga?

Os nutricionistas explicam que a gordura no organismo do indivíduo adulto não é toda igual e pode ser dividida basicamente em três tipos diferentes: gordura visceral; gordura subcutânea e gordura localizada (que é definida pelo sexo do indivíduo).

Cada um destes tipos exige a sua estratégia própria de combate e hoje falaremos sobre como se livrar da gordura que reveste os órgãos internos. Esse capitulo será particularmente útil àqueles que não apenas buscam “modelar o corpo” mas que sofrem de fato com o excesso de peso

O que é a gordura visceral?

Muito frequentemente, a causa de aparecimento de gordura visceral é banal: estilo de vida sedentário e uma alimentação altamente calórica. A gordura visceral se acumula primeiramente na parte interior do abdômen, o que acaba empurrando a barriga para fora.

As pessoas com muita gordura visceral sofrem geralmente de obesidade e de todas as consequências negativas que daí advém para a saúde: nos homens diminui o nível de testosterona, aumenta o risco de ataque cardíaco e de muitas outras doenças.

Como se livrar da gordura visceral?

A perda de gordura visceral muda completamente uma pessoa: os amigos e conhecidos logo notam que ela começou a praticar esportes, uma vez que a mudança é tão evidente. Surge uma sensação de leveza e a pessoa se sente como se estivesse muito mais saudável.

Felizmente, perder até 15% de gordura corporal não é tão difícil assim: valores acima deste são de fato excesso de peso e, por sua própria natureza, o corpo tenta se livrar dela o mais rápido possível. Você só precisa dar uma ajudinha uma das formas de perder gordura é a reeducação alimentar livrar-se doces, alimentos gordurosos, massa, refrigerantes, ingerir bastante água e praticar exercícios físicos.

Fisiologia da perda de gordura

As reservas de gordura visceral que se formam na falta de exercício físico destacam-se por seu reduzido número de capilares. Na essência, estamos falando de um peso morto que o corpo não usa no metabolismo energética; a tarefa do treino é, precisamente, reensinar o corpo.

Com exercícios aeróbicos de média intensidade há uma melhora na circulação no tecido adiposo, o corpo começa a utilizar a gordura como fonte de energia, o que leva a uma queima gradual dessa gordura. E com o passar do tempo os resultados vão sendo mais rápidos.

Treino para pessoas com sobrepeso

A corrida é altamente contraindicada a pessoas com mais de 80 kg: em primeiro lugar, se você não sabe correr direito e pousa o pé com o calcanhar, acaba criando pressão nos joelhos, o que pode levar a lesões; em segundo, você irá aumentar a batida cardíaca acima do recomendável.

Para pessoas não habituadas a malhar, treinar na zona vermelha (mais que 90% da FCmax) pode causar problemas no coração ou mesmo levar a parada cardíaca. Para medir as batidas durante o treino utilize obrigatoriamente um monitor cardíaco ou os sensores instalados nos aparelhos e treino.

Precisa mesmo de correr para emagrecer?

Quando escolher um exercício aeróbico, lembre-se que deve executá-lo na zona de 60-80% da Fcmax. Para pessoas sedentárias isto significa geralmente uma caminhada rápida ou um treino no elíptico. Corrida ou natação disparam a frequência cardíaca e isso é contraindicado para você.

Faça semanalmente entre de 2 a 4 treinos de 45-60 min. Abdominais ou treinos de força não lhe ajudarão a emagrecer, mas se tem medo de perder músculos, faça um programa de treino completo uma vez por semana, mas em dia que não malhe no cárdio.

Dieta para perder peso

Nesta etapa é importante não tentar cortar drasticamente a alimentação ou passar fome, basta que siga a norma calórica diária, que corte no fast-food e doces, que aumente a quantidade de comida saudável no prato e que não coma nunca além da conta.

Se lembre que você está no começo de uma jornada atrás de um corpo elegante e sarado e, por isso, antes de mais, precisa ensinar o seu corpo a emagrecer. Passos radicais costumam ser difíceis demais, logo se perde a motivação e termina a garra de emagrecer.

Se livrar da barriga saliente e da gordura visceral não é assim tão difícil: basta ter um controle básico sobre o que come, assim como se exercitar em cárdio de baixa intensidade algumas vezes por semana. O principal é não ter pressa e se mentalizar que vai obter resultados graduais.

LEIA TAMBÉM:

COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte #2

COMO QUEIMAR GORDURA ABDOMINAL RÁPIDO? parte #3

tags: como perder gordura abdominal, secar barriga, perder barriga, gordura localizada, barriga chapada, abdomen durinho, perder peso, emagrecer


DIETA DESINTOXICANTE PARA EMAGRECER

método limpa o organismo e acelera emagrecimento

dieta



Para emagrecer mais facilmente é preciso eliminar as toxinas do organismo. Por isso, seguem alguns conselhos úteis para manter o corpo limpo por dentro:

Desintoxicar deve ser o primeiro passo para se ter sucesso no processo de emagrecimento. Porém, utilizar técnicas para confeccionar os alimentos com menos gorduras e evitar períodos prolongados de jejum devem ser regras a seguir para quem pretende retirar as gorduras do corpo definitivamente.

 

Ao iniciar uma dieta, algumas pessoas notam que o resultado é mais lento do que o esperado para o emagrecimento e até mesmo algumas mudanças que costumam surgir por causa da alimentação saudável demoram a aparecer, como uma pele mais bonita, cabelos mais brilhantes e um sono tranquilo. Esse é o seu caso? A culpa pode ser de alimentos tóxicos que você consumia antes que causam diversos processos inflamatórios no organismo e fazem com que ele não consiga mais exercer as funções corretamente. É comum sentirmos sintomas dessa intoxicação, como dor de cabeça, fadiga e problemas intestinais, alerta os nutricionistas.

Para evitar esse problema, alguns nutricionistas recomendam adotar uma dieta desintoxicante antes de fazer a reeducação alimentar de fato. Essa dieta ajuda o corpo a eliminar as toxinas acumuladas por causa do consumo de alimentos industrializados, açúcar  refinado, doces em geral,  gorduras saturadas e gorduras trans e hidrogenadas, além de vícios como álcool e cigarro. A duração da desintoxicação dependerá de cada organismo.

Fazer uma desintoxicação alimentar pode ser uma das formas de perder peso rápido, já que com ela é feita uma limpeza no organismo, eliminando todas as impurezas. De acordo com Karyna Pugliese, nutricionista, a dieta detox é uma dieta de baixas calorias, sem carboidratos e com muito líquido. “Sua consequência é uma rápida redução de peso. É preciso que a dieta tenha um bom fracionamento para não haver problemas como a queda de pressão e glicose sanguínea”.

A personal trainer Carina Rosin alerta dizendo ser essencial fazer a manutenção dos quilos perdidos após a dieta. “Ela é tão importante e difícil quanto o processo de emagrecimento, pois o corpo tem memória e vai tentar fazer com que você volte aos antigos hábitos ganhando peso novamente”, diz .

Confira abaixo os alimentos que podem ser consumidos sem culpa durante essa desintoxicação. Não deixe de fazer você também.

– Ao despertar
1 copo de 200 ml água morna e ½ limão

– Desjejum
Suco desintoxicante – tônico de clorofila (1 copo de 200 ml de suco de laranja + 4 folhas de couve manteiga + ¼ da unidade de cenoura média crua + ¼ da unidade de mamão papaya + ¼ da unidade de maçã + 1 colher de sopa rasa de sementes de linhaça)
*Substituições
Suco detox 1
2 folhas de couve + suco de ½ limão + ½ pepino japonês sem casca + 1 fatia de gengibre + 1 maçã vermelha + 150 ml de água de coco

Suco detox 2
2 folhas de couve + 2 talos de salsão + 1 rodela média de abacaxi + 8 folhas de hortelã + 1 fatia de gengibre + 150 ml água de coco

Suco detox 3
2 folhas de couve + 3 colheres de sopa de polpa de maracujá + ½ cenoura picada + 1 fatia de gengibre + 150 ml de água de coco

– Após uma hora do desjejum
4 xícaras de chá verde + 2 copos de 200 ml de água
*Substituições
4 xícaras de chá de hortelã

– Colação
1 fruta de livre escolha

– Almoço
Verduras e legumes à vontade, desde que crus e/ou cozidos no vapor
1 concha de grãos (feijão, ervilha, lentinha, vagem, grão de bico ou soja)
1 porção de proteína (peixe ou ovo sem gema)
1 fruta de livre escolha
Obs.: Evitar líquidos durante a refeição

– Após uma hora do almoço
2 xícaras de chá verde + 2 copos de água
*Substituições
2 xícaras de chá de ervas claras

– Lanche da tarde
1 copo de 200 ml de leite de soja light
1 fruta de livre escolha
*Substituições
1 copo de 200 ml de suco de soja light

– Jantar (você pode escolher não jantar)
Verduras e legumes à vontade, desde que crus e/ou cozidos no vapor
Sopa desintoxicante (1 maço de brócolis + 1 maço de couve manteiga + 1 maço de aipo ou salsão (só o talo) ou ½ repolho médio + 1 maço de escarola + 2 berinjelas + 2 chuchus médios + 1 abobrinha média + 1 cebola grande + 3 dentes de alho + 2 tomates maduros cortados em cubos + 1 colher de sopa de óleo + sal a gosto + 2 litros de água filtrada)

– Ceia
1 copo de 200 ml suco de soja light
*Substituições
1 copo de 200 ml de chá de ervas claras

Beber, pelo menos, 2 litros de água por dia.

Aumentar a ingestão de alimentos ricos em vitamina C, como as frutas cítricas, os espinafres ou o pimentão, por exemplo.



Limitar o consumo de sal, pois ele contribui para a retenção hídrica e atrapalha o processo de eliminação de toxinas.

TESTEMUNHO DA EFICÁCIA DA DIETA DETOX:

A dieta que emagrece 21 kg com um cardápio desintoxicante

¨ regulei meu intestino e perdi  21kg! Sequei em cinco meses com o cardápio que desintoxica, desincha e deixa a pele, as unhas e os cabelos mais bonito ¨ conta Fernanda Lucas 32 anos.

“‘Nem parece que você é nutricionista. Você não dá o exemplo para suas pacientes!’. Era o que eu escutava dos meus parentes e amigos. No auge da minha obesidade, esse tipo de crítica fazia todo o sentido. E saber disso me doía. Mas quem disse que eu conseguia controlar minha boca?

Fazia jejum por horas e tomava pouca água

Tentava de tudo para emagrecer. Fiz a dieta da sopa, usei cápsulas naturais, coloquei mais fibras no meu cardápio… Cheguei até a tomar moderadores de apetite. Perdia um pouco de peso mas, sem força de vontade para continuar a dieta, parava e engordava de novo.

Quando entrei na faculdade de nutrição, em 1999, aprendi tudo sobre bons hábitos alimentares. Mas não adiantava nada, pois os ensinamentos ficavam só no caderno. Eu ainda comia mais do que devia, fazia jejum por várias horas e bebia pouca água.

A situação piorou depois que minha filha nasceu, em 2009. Segurei a boca na gravidez, mas depois da licença maternidade relaxei de vez. Estava ansiosa demais com as funções de mãe, esposa e profissional de nutrição. Isso me fazia atacar a geladeira sem controle! Em agosto de 2010, cheguei à marca vergonhosa de 83 kg. Me olhava no espelho e via meus braços grossos, meu rosto redondo e minha barriga flácida. Não estava apenas gorda – estava feia. Até meu marido começou a comentar gentilmente que eu precisava emagrecer.

Em outubro de 2010, depois de ouvir todas essas críticas, decidi correr atrás da minha meta. ‘Vou perder 20 kg e ficar linda!’, defini. Sabia o que precisava ter no prato para conseguir isso. Só me faltavam força de vontade e vergonha na cara.

Coloquei em prática o que aprendi na faculdade

Minha primeira medida foi passar a comer de três em três horas, nem que fosse uma fruta pequena. Às vezes comia mesmo sem ter fome. Aprendi que se meu estômago não estivesse saciado no meio da manhã ou no meio da tarde, descontaria na hora do almoço ou do jantar. E esse comportamento é o grande vilão da dieta! Também comecei a tomar 2 litros de água por dia e dois copos de suco de limão ou maracujá. Como frutas cítricas são antioxidantes, elas melhoraram minha pele e desincharam o meu corpo logo nos primeiros dias da dieta.

Também priorizei no meu cardápio alimentos que regulam o intestino, como aveia, frutas, granola, feijão, bastante salada de folhas verdes, tomate e cebola. Desde que comecei essa dieta, passei a ir ao banheiro todos os dias. Aliás, deixo aqui mais uma dica de especialista: ir ao banheiro todos os dias é fundamental para quem quer fazer as pazes com a balança. É assim que o corpo elimina o que não presta e aproveita os nutrientes para se manter saudável. Não tem erro: é só fazer uma dieta com uma boa quantidade desses alimentos que o intestino melhora e o aspecto da pele muda para melhor.

Sequei 7 kg no primeiro mês!

Já no primeiro mês de dieta, comecei a escutar elogios da família, dos colegas e do maridão. Afinal, perdi 7 kg em 30 dias! Mas minha autoestima andava tão baixa que eu não via as minhas vitórias. Só quando entrei em um jeans 44 perdido no meu armário – eu usava 46 – é que percebi os primeiros resultados do meu esforço. Eu estava virando uma mulher mais bonita.

Após cinco meses de dieta regradinha, eliminei 21 kg. Depois que atingi essa meta, passei a me permitir um pedaço de pizza nos sábados à noite. Afinal, nem as melhores nutricionistas são de ferro. “O que importa é que hoje estou saudável.”

A dieta que me deixa toda linda

Minha experiência comprovou: fazer uma dieta saudável emagrece e deixa a pele mais bonita, os cabelos mais brilhosos, as unhas mais fortes e a silhueta mais delineada.

Enfim, melhora o corpo como um todo e deixa a autoestima lá em cima. Reuni aqui alguns alimentos para você comer no seu dia a dia e ficar realizada como eu.

Anti-inflamatórios  O fim da celulite!

O problema – Excesso de gordura, sódio ou álcool no corpo resulta em inchaço e celulite.

A solução – Alimentos anti-inflamatórios.

Coloque no prato – Abacate, atum, salmão, castanha-do-pará, cenoura, tomate, uva, chá verde, alho, aveia, cebola, brócolis, couve-flor, repolho e semente de linhaça.

Reguladores – Pele sem manchas, cabelo com brilho e unhas fortes

O problema – Ir ao banheiro menos de três vezes na semana é sinal de que o intestino não está funcionando bem. A pele é a primeira prejudicada e logo aparecem as manchas. As unhas também enfraquecem e os cabelos tornam-se quebradiços e sem brilho.

A solução – As fibras são os principais nutrientes que regulam o intestino. Para que elas funcionem, no entanto, é necessário consumir bastante água. É a água que vai empurrar a fibra para fora do intestino.

Coloque no prato – Água (2 litros por dia), farelo de trigo, feijão, lentilha, iogurte, leite fermentado, banana, tomate, arroz, alho, cebola e trigo.

Antioxidantes – Jovem por mais tempo

O problema – Os radicais livres são os vilões do envelhecimento precoce.

A solução – Substâncias antioxidantes são capazes de neutralizar os radicais livres antes que eles destruam as células do corpo.

Coloque no prato – Laranja, limão, morango, couve-flor, pimentão verde, brócolis, beterraba, cereal integral, castanha-do-pará, vagem, amora, uva, framboesa e leite.

Essa também pode ser a sua história, desde que você ponha em prática os princípios não só da dieta detox deste capitulo mas, todos os ensinamentos sugeridos neste livro com o programa (medida certa e corpo perfeito).



tags: emagrecer,emagrecedores, emagrecer rápido, dieta para emagrecer, perder peso, dieta desintoxicante, dieta detox, perder peso rápido, corpo perfeito.


O Hipotálamo Glândula da perda de peso

O Hipotálamo Glândula da perda de peso

emagrecer hipotalamo

Como redefinir o hipotálamo e perder peso?

Para muitos, o fator determinante  em um programa de perda de peso bem sucedida é o controle do apetite. O bom senso e força de vontade pode se tornar irrelevante quando a angústia de fome chamar a vossa atenção. Embora uma dieta hipocalórica para emagrecer pode ser o que provoca a sensação de fome, o hipotálamo no cérebro é responsável por sua criação. Enquanto o hipotálamo é responsável por um grande número de tarefas, uma tarefa de grande importância é a fome e o controle do apetite.

Apresentação

Uma estrutura dentro do seu hipotálamo chamado núcleo arqueado controla a parte da frente da glândula pituitária e outros órgãos do corpo por meio do nervo vago. Sua principal função é regular o apetite através da criação de um equilíbrio entre as necessidades de ingestão de alimentos e de energia. Para alcançar este objetivo, O núcleo arqueado um dispositivo sensorial, que trabalha para detectar a gordura no sangue e os níveis de glucose bem como os níveis dos hormônios insulina, leptina, grelina e peptídeo, também chamado PYY. Em seguida, usa essas informações para coordenar o metabolismo dentro do seu fígado, rins, intestinos e tecido adiposo.

Regulamento apetite

É identificado duas classes de células nervosas dentro do núcleo arqueado que define o processo de regulação do apetite e do metabolismo que ajuda a emagrecer. A primeira categoria inclui estimulante do apetite e inibindo neurônios primários. A informação sensorial essas células nervosas recebe e estimula um ou outro para enviar instruções para os neurônios secundários, cujo papel é coordenar e sincronizar funções, tais como o metabolismo. Neurônios secundários realizar essa tarefa, enviando sinais para os órgãos do corpo através do nervo vago.

O papel dos hormônios no emagrecimento

Os hormônios são a principal fonte de informação sensorial para o núcleo arqueado. Como tal, é registrado e o seu efeito pode ser para estimular ou inibir o seu apetite. A grelina é um hormônio estimulante do apetite, produzidos a partir de dentro de seu estômago e intestinos somente quando o estômago está vazio. PYY estimula neurônios primários inibidoras do apetite ao sinalizar a presença de gorduras e carboidratos em seu intestino delgado e cólon.

Insulina afeta o apetite tanto direta como indiretamente. Diretamente, a insulina estimula neurônios primários de inibição do apetite e, indiretamente, a insulina regula os níveis de glicose no sangue, que por sua vez envia informações que estimula o apetite quer estimular ou inibir neurônios primários. A leptina, uma hormona produzida no tecido adiposo, também estimula neurônios primários inibidora de apetite.

a tireoide

Ganhar ou perder muito peso rapidamente pode ser um sinal de que a glândula  tireoide  não esteja funcionando muito bem. Mas como os sintomas são inespecíficos e compatíveis com outras doenças, como a anemia, a depressão e o cansaço, seja por excesso de trabalho ou atividades físicas, o diagnóstico acaba se tornando mais difícil

Solução para perda de peso

Pode haver uma maneira que você pode controlar parcialmente as informações seu cérebro recebe e gere sentimentos de fome enquanto você trabalha para perder peso. especialistas publicaram resultados de um estudo no qual eles afirmam que tanto o exercício aeróbico e treinamento de resistência pode reduzir os níveis de hormônios do apetite estimulando grelina e PPY. Ambos os aeróbico de treinamento físico e resistência podem reduzir os níveis de grelina e exercício aeróbico sozinho reduz PPY. Embora o grupo afirme que uma pesquisa mais adicional é necessária, especialmente a respeito de como o treinamento de resistência afeta o apetite.

Como redefinir o hipotálamo para perda de peso

Cápsulas de Omega-3 pode ajudar a redefinir o hipotálamo.

O hipotálamo é uma área do cérebro que produz hormônios envolvidos na regulação da fome e da sede, entre outras sensações. O hipotálamo é considerado uma parte do sistema nervoso. O abastecimento do hipotálamo com nutrientes que são favoráveis ​​a função cognitiva pode ajudar a aumentar a sua funcionalidade. O hipotálamo também está relacionado com a função da tireóide, que controla o metabolismo e está ligada à eficácia dos esforços de perda de peso.

Passo 1

Consulte um médico antes de tomar quaisquer medidas para aumentar a função do hipotálamo. Conversando com um médico ele pode ajudá-lo a determinar possíveis problemas do hipotálamo, que podem contradizer o seu desejo de redefinir o hipotálamo para perda de peso. Obter aprovação para tomar suplementos que poderiam afetar o hipotálamo e sua eficácia.

Passo 2

Tome vitaminas B. Os suplementos de vitamina do complexo B são eficazes no apoio a função cognitiva. Estas vitaminas apoiam não só a função do sistema nervoso, mas também desempenha um papel no metabolismo de carboidratos. Alimentos fontes de vitaminas do complexo B incluem frango, peixe, carne,  ovos e laticínios.

Passo 3

Consuma alimentos ou suplementos a base de ácidos graxos essenciais, gorduras omega-3 ou ácidos graxos poliinsaturados, aumenta a função do sistema nervoso e melhora os transtornos de humor. Porque eles são de suporte do sistema nervoso e a função cognitiva, acredita-se que eles também são favoráveis ​​à saúde do hipotálamo e sua ação na produção de hormônios reguladores da fome o que pode ajudar a emagrecer. Alimentos ricos em ácidos graxos essenciais são peixes de água doce, nozes e sementes. Como alternativa, ácidos graxos essenciais pode ser tomado suplementarmente em ômega-3.

CLIQUE AQUI E ADQUIRA ÔMEGA 3 DE QUALIDADE

omega 3.jpg1

omega 3

Tags: hipotálamo, emagrecimento, emagrecer, perder peso dieta, ômega 3