como limpar desintoxicar o fígado?

COMO LIMPAR E DESINTOXICAR SEU FÍGADO?





“Que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja seu remédio” – Hipócrates pai da medicina moderna.

Funções do nosso fígado

O fígado desempenha muitas funções importantes dentro de nosso organismo, como: armazenamento e liberação de glicose, metabolismo dos lipídeos, metabolismo das proteínas (conversão de amônia em uréia), síntese da maioria das proteínas do plasma, processamento de drogas e hormônios, destruição das células sanguíneas desgastadas e bactérias, emulsificação da gordura durante o processo de digestão através da secreção da bile, etc.

Indicadores de problemas com o fígado

Náuseas. É o primeiro sintoma e o mais evidente de um problema no fígado. …

Dor na parte superior do abdômen.

Icterícia.

Fadiga e debilidade.

Febre. …

Fezes claras. …

Coceira no corpo. …

Sangramentos e hematomas.

Boca amarga

Somos o que comemos. Pois bem… não é de agora que se sabe a importância da alimentação na saúde e sobretudo na prevenção de doenças! Estudando essa área é nisso mesmo que acredito e é por isso que trabalho todos os dias a tentar mudar mentalidades e alterar hábitos alimentares para o beneficio físico e mental.

Neste artigo você vai ver os alimentos que limpa o fígado e desintoxica o organismo ajudando na saúde física bem-estar e até no emagrecimento.

Alho. Apenas uma pequena quantidade desse alimento tem a habilidade de ativar enzimas do fígado que ajudam seu corpo a eliminar toxinas e trabalhando melhor todo o organismo

Toranja.

Beterraba e Cenoura.

Vegetais de Folhas Verdes.

Abacate.

Maçã .

Azeite de Oliva.

Elimine  o consumo de álcool e cafeína

Beba muita água.

Adicione limão a sua dieta.

Beba vitaminas de frutas naturais.

Faça seu próprio jejum de sucos naturais e integrais.

Ao depurar o nosso fígado, os níveis de energia aumentam, assim como a nossa vontade de praticar atividades físicas, de nos levantarmos mais cedo e de sermos mais produtivos em geral.

Uma boa limpeza do fígado envolve a ingestão de alguns suplementos para melhorar as funções do órgão. Existem diferentes. “receitas” para limpá-lo, todas incluem azeites, sais, sucos ou suplementos naturais. Quando seu fígado está limpo, você certamente fica mais saudável, porque poderá eliminar tudo aquilo que não é necessário.

O que saber sobre a limpeza do fígado?

Em primeiro lugar, você deve conhecer quais são os efeitos que tem esta técnica. É escolhida por aqueles que deseja perder peso ou ainda que sofreram algum dano neste órgão ou sofre de outras enfermidades. A obesidade ou o sobrepeso nada mais é que o resultado da alimentação excessiva, pelo que o organismo vai armazenando os alimentos, mas primeiro os transforma em gorduras.

Quando há algum dano hepático, podemos sofrer de micção inadequada, obstrução da vesícula, fezes amolecidas ou prisão de ventre, tudo pelo acúmulo de toxinas que prejudicam este órgão. Quando a limpeza do fígado é realizada, isso se remove. Os suplementos que são ingeridos durante o tratamento ajudam este órgão para que ele siga cumprindo seu papel e quanto mais alto e funcional seja o metabolismo, maior será a possibilidade do emagrecimento.

 

O fígado é o segundo maior órgão do corpo humano e um dos mais importantes, pois é responsável por filtrar toxinas danosas da corrente sanguínea. Há programas médicos para desintoxicá-lo, mas também há diversas mudanças naturais e simples que se pode fazer no estilo de vida e que resultarão em um órgão limpo e saudável.

elimine o consumo de álcool e cafeína. Estes são dois dos maiores culpados por depositar toxinas no seu fígado e fazer com que ele não funcione adequadamente.

Limpe o órgão reduzindo o eliminando o álcool e bebidas cafeinadas. Pesquisas recentes, entretanto, indicam que o café descafeinado pode ajudar a reduzir os níveis elevados de enzimas hepáticas. Continue lendo para descobrir quais líquidos são bons para o fígado.

Beba muita água. Desintoxique o fígado e remova as toxinas bebendo pelo menos dois litros de água por dia. Tomar muita água manterá você hidratado, o que encoraja naturalmente a regeneração das células. Ela também permitirá que o fígado filtre mais toxinas e resíduos, fazendo com que ele trabalhe mais rápido e aumentando seu nível de energia.

Adicione limão a sua dieta. Beba suco de limão com água ou chá uma vez por dia. Ele estimula a produção de bile para ajudar a remover as toxinas e previne o acúmulo de pedras, favorecendo a digestão e a função hepática no movimento dos sucos gástricos.

Tome chá verde. Ele é rico em catequinas, um tipo de antioxidante vegetal que melhora a função do fígado e ajuda a diminuir o acúmulo de gordura nesse órgão.

Beba vitaminas de frutas naturais. As frutas, como morangos, amoras, mirtilos e framboesas, melhoram a saúde do fígado. Elas têm ácidos orgânicos que diminuem os níveis de açúcar no sangue e ajudam a queimar gordura, diminuindo suas chances de doença hepática gordurosa.

Faça seu próprio jejum de sucos. O jejum é uma forma certeira de limpar o fígado. A maioria dos jejuns envolve comer apenas frutas e vegetais ou tomar somente sucos por um certo período de tempo. Há muitas limpezas diferentes por aí; você precisa escolher a mais certa para seu corpo, se possível Consulte um médico ou um nutricionista antes de embarcar em um jejum.

Comendo alimentos saudáveis

Evite alimentos que causem danos ao seu fígado. Alimentos processados e que contêm muitos conservantes, gorduras e colesterol podem fazer com que o órgão fique congestionado e entupido de resíduos de gordura. Limpe-o evitando alimentos processados ou gordos para permitir que ele se desbloqueie e regenere as células.

Evite fast-foods, especialmente os alimentos fritos ou as carnes embutidas como a salsicha, o bacon, etc.etc

Fique longe das gorduras ruins. A carne vermelha gordurosa, as frituras e as gorduras processadas devem ser evitadas, pois podem entupir o fígado. Gorduras processadas incluem a margarina, a gordura vegetal e os óleos hidrogenados.

Evite adoçantes, corantes e conservantes artificiais. É melhor seguir uma rota natural ao limpar o fígado pois os corantes são tóxicos ao fígado e todo organismo.

Coma vegetais. Alguns deles contêm nutrientes como o betacaroteno, que estimula as células hepáticas e protege o fígado de toxinas. Os vegetais verdes folhosos como o espinafre incentivam o crescimento das células e estimulam o órgão, enquanto a beterraba protege os canais da bile de danos tóxicos. Procure comer cinco porções de vegetais diariamente e inclua aqueles que contenham nutrientes benéficos para o fígado.

Os vegetais que promovem a saúde hepática incluem dentes-de-leão, melãozinho, rúcula, mostarda, chicória e espinafre.

Aumente seu consumo de alho. Ele tem componentes com enxofre que ativam enzimas do fígado e que trabalham para limpar as toxinas que podem estar no seu sistema. O alho também contém alicina e selênio, dois nutrientes que protegem o órgão de danos causados pelas toxinas. Esses dois nutrientes ainda ajudam no processo de desintoxicação.

Se não puder suportar o gosto de alho porque não gosta dele (ou é um vampiro), você pode comprar suplementos na loja de produtos naturais.

Coma toranja Os Benefícios da toranja são diversos, pois, possui grande quantidades nutrientes essenciais para saúde geral do corpo. Ela é rica em vitamina C e antioxidantes, e ambos promovem uma limpeza saudável do fígado. A toranja aumenta as enzimas de desintoxicação nesse órgão e tem um componente conhecido como naringenina, que faz com que o fígado queime a gordura em vez de armazená-la. Tome cuidado, porém, porque altas quantidades de toranja podem inibir uma enzima hepática chamada citocromo P450, que afeta a maneira como certos alimentos e medicamentos são decompostos pelo corpo.

Comendo alimentos saudáveis

Consuma abacates duas vezes por semana quando possível. Eles são deliciosos e têm compostos fitoquimicos produtores de glutationa, que ajudam a proteger o fígado de sobrecarga tóxica.

Ingira nozes. Elas têm altos níveis de l-arginina (um aminoácido), glutationa e ácidos graxos ômega 3 que ajudam a limpar o fígado da amônia causadora de doenças. Extratos das cascas de nóz são usadas em muitas fórmulas para desintoxicação hepática.

Usando remédios fitoterápicos

Tome um suplemento de ervas. Diz-se que as ervas naturais como a bardana e a raiz de dente-de-leão ajudam a livrar o corpo de toxinas enquanto protegem as células do fígado e promovem um funcionamento saudável dele.

Todas podem ser encontradas na forma de cápsula ou tablete, e as raízes de dente-de-leão também vêm em alguns chás. Adicionar esses suplementos a sua dieta pode ajudar a limpar o fígado e a regular a função dele.

Use a lecitina de soja. Os grânulos dela contêm fosfolipídios que ajudam a proteger o fígado Eles estão disponíveis na maioria das lojas de alimentação saudável natural.

Aumente seu consumo de magnésio. Esse mineral promove a produção da bile, que por sua vez leva à desintoxicação do fígado. Você pode tomar suplementos de magnésio para melhorar a saúde do órgão.

Outra maneira de obter magnésio é dissolvendo uma colher de sopa de sal de Epsom na água morna e bebendo a mistura uma ou duas vezes por mês. Esse sal contém uma alta quantidade desse mineral.

Adicione cúrcuma a sua dieta. Ela aumenta a habilidade do fígado de produzir bile, uma parte essencial do processo de limpeza, e também ajuda a regenerar células do órgão.

Comece a tomar suplementos de cardo-leitoso. Ele promove o crescimento e a saúde das células hepáticas porque contém silibinina, um elemento que combate a oxidação, um processo que danifica as células do fígado. Ele também melhora a síntese de proteínas no órgão.

Desintoxicando seu organismo

Evite o estresse. As situações estressantes liberam hormônios e endorfinas na corrente sanguínea, que por sua vez depositam toxinas no fígado e o deixam lento. Elimine o estresse em todas as áreas da vida que puder.

Considere fazer atividades antiestresse, como a ioga e a meditação.

Use produtos de limpeza naturais para a casa. Quando você se expõe a produtos químicos, seu fígado precisa trabalhar mais para manter seu corpo saudável. Reduza o número de substâncias químicas às quais você é exposto usando produtos de limpeza feitos de ingredientes naturais. Usar artigos naturais e orgânicos para a própria higiene pessoal também ajuda.

Use um purificador de ar em sua casa. Quanto mais toxinas no ar, mais toxinas seu fígado precisa remover do corpo. Os purificadores de ar são investimentos muito bons para quem mora na cidade ou perto de uma avenida, pois os carros depositam muitas toxinas no ar.



Exercite-se o máximo possível. O exercício o ajuda a manter um peso saudável, o que por sua vez diminui seu risco de doença hepática gordurosa. Ele também melhora o funcionamento das enzimas do fígado. Porém, o excesso de treino com pesos está ligado ao aumento dessas enzimas, e é por isso que você não deve se exercitar 48 horas antes de um exame de função hepática.

bebidas para limpar seu fígado naturalmente

O fígado é um dos órgãos mais importantes de nosso corpo já que cumpre funções que são vitais para a nossa saúde. Este órgão é o encarregado da desintoxicação, da regulação do metabolismo, da purificação do sangue, da síntese de proteínas plasmáticas, absorção e armazenamento de vitaminas, entre outros. Existem muitos fatores e hábitos que põe em risco a saúde deste importante órgão e como consequência afeta nossa saúde a nível geral. É importante estar alerta ante qualquer moléstia hepática, já que pode se converter em algo grave e difícil de ser controlado.

A saúde do fígado pode estar em constante risco se não prestarmos a atenção necessária, já que muitos dos hábitos que temos podem ser grandes causadores da saúde ruim e de seus problemas. Hoje vamos deixar aqui 5 bebidas que irão te ajudar a limpar o fígado de maneira natural, para que você se previna de muitas doenças.

Suco de maçã para limpar o fígado

A maçã é rica em fibras e contém ácido málico, um composto que ajuda a amolecer os cálculos intra biliares. Tomar o suco de maçã é ideal para limpar o fígado de uma forma natural e com isso prevenir qualquer tipo de infecção que possa te afetar.

Você vai precisar:

½ kg de maçãs

½ limão

Açúcar a gosto, melhor que seja o mínimo e integral.

Água.

O que fazer?

Lave muito bem o quilo de maçãs e sem retirar a casca, corte em pedaços para por no liquidificador.

Adicione o suco de meio limão, açúcar a gosto e dois copos de água.

Bata muito bem todos os ingredientes e beba o suco.

Observação

Durante os dias de limpeza do fígado com suco de maçã, tente evitar o consumo de proteínas, produtos lácteos e frituras. O suco de maçã deve ser tomado durante seis dias, preferivelmente em jejum.

Chá verde

O chá verde é conhecido em âmbito mundial pelas suas propriedades e benefícios que possui para o organismo. Entre todas as suas propriedades, o chá verde está carregado de catequinas, um tipo de antioxidante vegetal que de acordo com diferentes estudos, possuem a capacidade de eliminar o acúmulo de gordura no fígado e promover a função hepática adequada.

O que fazer?

Tome infusões de chá verde, de maneira moderada. O ideal é consumir o chá em jejum, ou antes, de ir dormir. O chá verde em excesso pode apresentar efeitos secundários que afetam outras partes do nosso organismo e não tomar por muito tempo.

Batida de toranja

Esta batida limpa o fígado, ajuda a desintoxicar o corpo e fortalece o sistema linfático. Ela não apresenta efeitos secundários, por isso pode ser consumida todos os dias sem maiores consequências para a nossa saúde.

Você vai precisar:

Duas toranjas grandes

Dois dentes de alho fresco

Um pedaço de raiz de gengibre fresco

Quatro limões

300 mL de água filtrada

Uma colher ou tabletes de acidófilus ¨Os Acidófilus são bífidobactérias presentes na nossa flora intestinal que permitem manter as colónias “boas” de bactérias no intestino e assim manter a boa saúde do aparelho digestivo¨.

Duas colheres de azeite de oliva

O que fazer?

Em primeiro lugar você deve extrair o suco dos dois limões e das toranjas.

Aparte rale a gengibre e triture o alho para extrair seu suco.

No liquidificador, coloque o resto dos ingredientes e adicione os sucos, a gengibre e o alho.

Bata muito bem todos os ingredientes e consuma a batida antes de ir dormir.

Suco de mirtilos vermelhos

Os mirtilos vermelhos contêm propriedades depurativas e desintoxicantes ideais para limpar o fígado. Seu alto conteúdo em vitaminas, minerais e antioxidantes essenciais os convertem em um aliado excelente para a boa saúde, já que previnem o organismo de muitas doenças.

6 alimentos que podem estar acabando com o seu fígado! Evite-os a partir de hoje!

Evite esses alimentos e mantenha o seu fígado saudável e longe de doenças.

O fígado é um órgão central no metabolismo dos alimentos e também de hormônios, remédios e toxinas. Ele é o grande desintoxicador do organismo e trabalha intensamente para expulsar compostos que possam nos fazer mal.

Evite estes 6 alimentos e conserve a saúde do seu fígado

Para proteger este órgão tão importante, você vai ler aqui sobre tudo o que pesquisamos sobre os piores alimentos para o seu fígado. Se informe e fique com a saúde em dia!

  1. Frituras

Pastéis, salgadinhos, acarajé, churros, todos esses alimentos fritos contém muita gordura e para piorar, muitos destes alimentos vendidos na rua ou em lanchonetes e restaurantes são preparados com óleos de péssima qualidade, que são reutilizados muitas e muitas vezes. O que nem todo mundo sabe é que o óleo reaquecido várias vezes libera substâncias tóxicas que são relacionadas com o câncer de fígado e outros. Fique longe deste perigo!

  1. Bebidas alcoólicas

O consumo de álcool é relacionado a muitas doenças que atacam o fígado: cirrose, fígado gorduroso (esteatose hepática) e câncer. O álcool é tóxico por si só com o consumo é frequente e com altas doses, o álcool danifica as células hepáticas, prejudicando o seu funcionamento normal. Evite o álcool.

  1. Excesso de proteínas

A proteína é um nutriente essencial à vida humana, participa de todos os processos no nosso corpo, inclusive compõe toda a nossa massa muscular. Porém, algumas pessoas se deixam enganar pensando que podem consumir proteína à vontade e que logo ficarão musculosas. Ledo engano! Para aumentar a massa muscular é preciso treinamento físico e a alimentação apenas ajudará neste objetivo, mas nunca com exageros. O excesso de proteína lesiona as células e sobrecarregam o seu funcionamento. Além de prejudicar também a função renal.

  1. Alimentos gordurosos

Além de favorecer a obesidade e o aumento do colesterol, uma dieta com excesso de gordura é muito prejudicial ao fígado, principal responsável em metabolizar toda essa gordura.

Prefira alimentos ricos em gorduras do bem: azeite de oliva, abacate, coco, amendoim. Evite: molhos prontos como maionese, creme de leite, margarina, pele de frango, óleo de soja etc.

  1. Fast food ou refeições congeladas

Hambúrguer, batata frita, lasanha congelada, pizza congelada…. Sabe o que caracteriza esses alimentos? O alto teor de conservantes químicos para preservar o alimento e intensificar o sabor.  Se você olhar a lista de ingredientes, mal consegue contar quantas coisas têm ali dentro! E o pior, não são nomes de alimentos e sim de substâncias químicas que nem conhecemos!

Quando você consome este tipo de comida com frequência, o seu fígado fica sobrecarregado com tantos compostos químicos para filtrar e metabolizar, deixando o órgão cansado e vulnerável a doenças e inflamações. Além disso são ricos em gorduras o que faz o seu fígado trabalhar ainda mais. Evite este tipo de alimentos e consuma apenas ocasionalmente. Proteja o seu fígado!

  1. Açúcar

Açúcar faz mal, muito mal, isso é fato! Provoca obesidade, diabetes e problemas cardiovasculares. Uma dieta rica em açúcar é muito prejudicial ao fígado, que multiplica a produção de gordura e se torna cada vez mais lento e ineficiente.

O melhor que você pode fazer é evitar o açúcar industrializado e priorizar o açúcar natural das frutas. Nem mesmo o adoçante é inofensivo, também possui muitos compostos químicos. Mais uma vez, o ideal é você consumir açúcar da fruta, que está misturado com muitas fibras e não sobrecarrega o fígado.

Essas foram as dicas para uma boa limpeza e desintoxicação do seu fígado siga essas dicas e viva melhor.

 



Tags: como limpar o fígado, como desintoxicar o fígado, doenças hepática, remédio para doenças hepática, hemodiálise, depurativo do fígado, limpeza do organismo, limpeza do fígado, doenças do fígado, remédio para o fígado, cirrose no fígado, cirrose hepática, doença no figado.


acebrofilina

ACEBROFILINA
]



Forma Farmacêutica e Apresentações da Acebrofilina

Xarope Adulto (10mg/mL): Embalagens contendo 1 e 50* frascos com 120mLXarope Pediátrico (5mg/mL): Embalagens contendo 1 e 50* frascos com 120 mL
*Embalagem hospitalar

USO ADULTO E PEDIÁTRICO
USO ORAL
Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999
Composição da Acebrofilina

Cada mL do xarope adulto contém:
acebrofilina ………………..10mg
veículo q.s.p. ………………..1mL
(sorbitol, metilparabeno, propilparabeno, ciclamato de sódio, sacarina sódica, glicerol, essência de framboesa,
corante vermelho bordeaux, corante azul FDC nº1 e água purificada).
Cada mL do xarope pediátrico contém:
acebrofilina ………………..5mg
veículo q.s.p. ………………..1mL
(sorbitol, metilparabeno, propilparabeno, ciclamato de sódio, sacarina sódica, glicerol, essência de framboesa,
corante vermelho bordeaux e água purificada).

INFORMAÇÕES AO PACIENTE DA ACEBROFILINA

Ação esperada do medicamento: A acebrofilina tem ação reguladora do muco, broncodilatadora e expectorante.
Cuidados de armazenamento: Conservar em temperatura ambiente entre 15° e 30° C. Proteger da luz.
Prazo de validade: 24 meses. Não use medicamento com o prazo de validade vencido, pode ser prejudicial à sua
saúde.
Gravidez e lactação: Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após seu
término”. “Informe seu médico se está amamentando.
O uso da acebrofilina durante o primeiro trimestre de gravidez deve ser evitado.
Cuidados de Administração da acebrofilina: Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a
duração do tratamento.
Interrupção do tratamento de acebrofilina: Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Reações adversas: Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, tais como náusea ou
tontura.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão concomitante com outras substâncias: A ingestão concomitante com outros medicamentos só deve
ser feita sob orientação médica.
Contra-indicações e precauções: A acebrofilina é contra-indicada em pacientes com reconhecida
hipersensibilidade à droga ou a outros componentes da fórmula, aos derivados da xantina e em casos de
hipertensão.
Em pacientes que apresentem cardiopatias, hipertensão, hipoxemia severa e úlcera péptica, o produto deve ser
usado com cautela.
Este medicamento é contra-indicado em crianças menores de dois anos de idade.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

NÃO TOME MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SE PERIGOSO PARA A
SAÚDE.
Informações Técnicas da Acebrofilina

A acebrofilina possui vários mecanismos, pelos quais exerce seu efeito terapêutico. É uma molécula que possui ação broncodilatadora, mucorreguladora e expectorante. Atua fragmentando e descarregando a organização
filamentosa do muco, de forma a diminuir sua viscosidade e adesividade e tornando mais fluidas as secreções do
aparelho respiratório.
Por sua ação broncodilatadora, a acebrofilina inibe o broncoespasmo, a dispnéia e os sibilos, melhorando a função
respiratória com o aumento do fluxo respiratório. Estimula a síntese e secreção do surfactante alveolar, favorecendo
a expulsão das secreções bronquiais melhorando portanto, a capacidade de ventilação.
A meia-vida plasmática da acebrofilina varia de 3 a 5 horas após a administração oral. Quando administrada por via
oral em indivíduos adultos e sadios, proporciona altas concentrações do princípio ativo no plasma, persistindo por algumas horas.

INDICAÇÕES DA ACEBROFILINA:
A acebrofilina é indicada como broncodilatador, mucolítico e expectorante para o tratamento sintomático das
patologias agudas e crônicas do aparelho respiratório caracterizadas por fenômenos de hipersecreção,
traqueobronquites, rinofaringites, laringotraqueítes, pneumoconioses e bronquiectasias, bem como nas patologias
pulmonares acompanhadas de broncoespasmo, tais como: bronquite aguda, bronquite obstrutiva ou asmatiforme,
asma brônquica e enfisema pulmonar.
Contra-Indicações da Acebrofilina

ESTE MEDICAMENTO É CONTRA-INDICADO EM CASOS DE RECONHECIDA HIPERSENSIBILIDADE AO
PRINCÍPIO ATIVO OU A OUTROS COMPONENTES DA FÓRMULA, AOS DERIVADOS DA XANTINA E EM
CASOS DE HIPERTENSÃO.

ESTE MEDICAMENTO É CONTRA-INDICADO EM CRIANÇAS MENORES DE 2 ANOS DE IDADE.
Precauções e Advertências da Acebrofilina

Este medicamento deve ser usado com cautela em pacientes que apresentem cardiopatias, hipertensão,hipoxemia severa e úlcera péptica.

Gravidez: Evitar o uso deste medicamento durante o primeiro trimestre da gravidez.
Interações Medicamentosas da Acebrofilina

Ocorre interação deste medicamento com outros derivados da xantina e com beta-bloqueadores.
Reações Adversas da Acebrofilina

Algumas reações de desconforto gastrintestinal (náusea) e, ocasionalmente tonturas, foram relatadas. Interrompendo o uso do medicamento, esses sintomas desaparecem rapidamente.
Posologia/modo de usar da Acebrofilina

Adultos: xarope (10mg/mL): 10mL do xarope, 2 vezes ao dia.
Crianças: xarope (5mg/mL)
•  2 a 3 anos: 2mg/Kg/dia do xarope pediátrico dividido em 2 tomadas.
•  3 a 6 anos: 5 mL do xarope pediátrico, 2 vezes ao dia.
•  6 a 12 anos: 10 mL do xarope pediátrico, 2 vezes ao dia.
Superdose da Acebrofilina

Em casos de superdose, recomenda-se induzir o vômito ou utilizar um agente laxante ou carvão ativado, quando
não ocorre convulsão. Em caso de convulsão, deve-se assegurar a manutenção da respiração e administrar
oxigênio e diazepam por via I.V., hidratando o paciente e monitorando a pressão arterial.

PACIENTES IDOSOS e o uso da acebrofilina:
Para o uso deste medicamento em idosos, não há recomendações especiais.

 



Tags: acebrofilina,brondilat,acebrofilina remédio para tosse,acebrofilina tira catarro,acebrofilina resfriado,acebrofilina limpa os pulmões,para que serve acebrofilina,para que serve filinar,acebrofilina filinar,para que serve brondilat,BRONQUITE ASMATICA,REMEDIO PARA BRONQUITE.


Apresentação e indicações de Aas ácido acetil salisilico

Apresentação e indicações de Aas ácido acetil salisilico

aas



Aas Infantil – comprimidos 100 mg
USO ORAL. USO PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO
Cada comprimido de Aas Infantil contém:
ácido acetilsalicílico …………………………………………………………………………………………….100 mg
excipiente q.s.p. ……………………………………………………………………………………….1 comprimido
(vanilina, sacarina sódica di-hidratada, lactose mono-hidratada, dióxido de silício, amido de milho, laca amarela nº 5, laca amarela nº 6).
Aas – Indicações

– Para o alívio sintomático da cefaleia, odontalgia, dor de garganta, dismenorreia, mialgia ou artralgia, lombalgia e dor artrítica de pequena intensidade.
– No resfriado comum ou na gripe, para o alívio sintomático da dor e da febre.
Contra-indicações de Aas

Aas está contraindicado em todos os pacientes com hipersensibilidade ao ácido acetilsalicílico e a outros anti-inflamatórios não esteroides. Aas não deve ser empregado em pacientes predispostos a dispepsias ou sabidamente portadores de alguma lesão da mucosa gástrica. Seu emprego deve ser evitado nos pacientes com insuficiência hepática grave, em hemofílicos e naqueles que estejam fazendo uso de anticoagulantes. A administração deve ser cautelosa nos pacientes com função renal comprometida, particularmente nas crianças, e sempre que o paciente estive desidratado. O Aas somente deverá ser empregado durante a gravidez sob orientação médica.

Advertências

Não exceder a posologia recomendada na bula sem prévia orientação médica.
O ácido acetilsalicílico, que devido a algumas de suas propriedades prolonga o tempo de coagulação sanguínea, não deve ser usado em altas doses nos últimos três meses de gestação, exceto sob estrito acompanhamento médico, pois pode causar problemas no feto ou complicações durante o parto.
O mesmo cuidado deve ser tomado em relação às mulheres que estejam amamentando.
Existem relatos sugerindo que o uso de ácido acetilsalicílico em crianças e adolescentes com febre devido à infecção viral, especialmente nas gripes ou catapora, pode causar uma doença séria, porém rara, chamada “Síndrome de Reye”. Por esta razão, estes pacientes não devem usar este medicamento antes de consultar um médico sobre a “Síndrome de Reye”. O uso de Aas não é aconselhável quando há suspeita de dengue.
Recomenda-se precaução em pacientes com insuficiência hepática leve e moderada.

Interações medicamentosas de Aas

Alguns efeitos do ácido acetilsalicílico no trato gastrintestinal podem ser potencializados pelo álcool. Pode ser aumentada a atividade dos anticoagulantes cumarínicos e a atividade hipoglicemiante das sulfonilureias. Os anticoagulantes podem acentuar o efeito hemorrágico do ácido acetilsalicílico sobre a mucosa gástrica. O ácido acetilsalicílico diminui o efeito de agentes uricosúricos como a probenecida e a sulfinpirazona. Barbitúricos e outros sedativos podem mascarar os sintomas respiratórios da superdosagem com ácido acetilsalicílico e tem sido relatado aumento da toxicidade daqueles. A atividade do metotrexato pode estar marcadamente acentuada e sua toxicidade aumentada.

Dados experimentais sugerem que o ibuprofeno pode inibir o efeito de baixas doses de ácido acetilsalicílico na agregação plaquetária quando são administrados concomitantemente (vide Farmacodinâmica). Entretanto, as limitações desses dados e as incertezas referentes à extrapolação de dados ex vivo para a situação clínica implica que conclusões definitivas não podem ser feitas quanto ao uso regular de ibuprofeno, e nenhum efeito clinicamente relevante é considerado como provável para uso ocasional de ibuprofeno.
Reações adversas / Efeitos colaterais de Aas

O ácido acetilsalicílico pode provocar irritação da mucosa gástrica e sangramento digestivo, sobretudo em dose alta e tratamento prolongado.
Embora pouco comuns, podem ocorrer casos de hipersensibilidade manifestada por broncoespasmo, asma, rinite, urticária e outras manifestações cutâneas.
O uso prolongado do ácido acetilsalicílico em altas doses tem sido associado com diminuição da função renal.

Distúrbios hepatobiliares:
Não conhecido: elevação das enzimas hepáticas e lesões hepáticas, principalmente hepatocelular.

Distúrbios do sistema nervoso: hemorragia intracraniana.
Aas – Posologia

Crianças até 1 ano de idade, a critério médico; de 1 ano a 2 anos, 1/2 a 1 comprimido; de 3 a 5 anos, 1 a 2 comprimidos, de 6 a 9 anos, 2 a 3 comprimidos; de 10 a 12 anos, 4 a 5 comprimidos. Estas doses podem ser repetidas até 3 vezes ao dia, podendo variar segundo orientação médica.
Aas deve ser ingerido de preferência após as refeições ou com um pouco de leite. O comprimido INFANTIL (100 mg de ácido acetilsalicílico) deve ser colocado na boca e deixado dissolver.
Superdosagem

Nos casos de intoxicação moderada, o esvaziamento do estômago por aspiração ou êmese, ou a lavagem gástrica, serão normalmente medidas suficientes.
Nos casos de intoxicação grave (concentrações de salicilato acima de 500 mcg/mL de plasma em adultos e 300 mcg/mL em crianças) deve-se realizar lavagem gástrica juntamente com diurese por infusão intravenosa de solução fisiológica com bicarbonato de sódio, ou Ringerlactato ou solução de glicose.

Características farmacológicas

O ácido acetilsalicílico pertence ao grupo de fármacos anti-inflamatórios não esteroides, com propriedades analgésica, antipirética e anti-inflamatória. Seu mecanismo de ação baseia-se na inibição irreversível da enzima ciclooxigenase, envolvida na síntese das prostaglandinas.
O ácido acetilsalicílico também inibe a agregação plaquetária, bloqueando a síntese do tromboxano A2 nas plaquetas.

Farmacodinâmica 
Dados experimentais sugerem que o ibuprofeno pode inibir o efeito de baixas doses de ácido acetilsalicílico na agregação plaquetária quando são administrados concomitantemente.

Em um estudo, quando uma dose única de 400 mg de ibuprofeno foi ingerida 8 horas antes ou dentro de 30 minutos após a administração de uma dose de 81 mg de ácido acetilsalicílico de liberação imediata, ocorreu uma diminuição do efeito do ácido acetilsalicílico na formação de tromboxano ou na agregação plaquetária. Entretanto, as limitações desses dados e as incertezas referentes à extrapolação de dados ex vivo para a situação clínica implica que conclusões definitivas não podem ser feitas quanto ao uso regular de ibuprofeno, e nenhum efeito clinicamente relevante é considerado como provável para uso ocasional de ibuprofeno.
Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

PACIENTES IDOSOS
Nos pacientes idosos, devido deterioração da função renal e gástrica há necessidade de um acompanhamento clínico mais cuidadoso, com o objetivo de evitar efeitos colaterais de maior gravidade.
Aas – Bula para o Paciente

Ação esperada do medicamento: Aas é um produto que possui em sua fórmula uma substância chamada ácido acetilsalicílico. Esta substância tem a propriedade de baixar a febre (antitérmico), aliviar a dor (analgésico) e reduzir a inflamação (anti-inflamatório). Por isso, é utilizado para alívio dos sintomas de várias doenças como gripes, resfriados e outros tipos de infecções.

Cuidados de conservação: conservar o produto em sua embalagem original, evitar calor excessivo (temperatura superior a 40º C) e protegido da umidade.

Prazo de validade: vide embalagem. Ao adquirir o medicamento confira sempre o prazo de validade impresso na embalagem externa do produto. Nunca use medicamento com o prazo de validade vencido, pois pode ser prejudicial à saúde.

Gravidez e lactação: informe ao seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando. Aas não deve ser utilizado no último trimestre de gravidez.

Cuidados de administraçãoAas deve ser ingerido de preferência após as refeições ou com um pouco de leite. O comprimido INFANTIL (100 mg de ácido acetilsalicílico) deve ser colocado na boca e deixado dissolver.

Evitar a ingestão concomitante de bebidas alcoólicas.
Manter o intervalo mínimo de 4 horas entre cada administração; não ultrapassar as doses estabelecidas na posologia sem prévia orientação médica. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Interrupção do tratamento: não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Reações adversas do aas
: Informe seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis com o uso de Aas, em especial sintomas como acidez no estômago, reações cutâneas alérgicas, zumbido, tonteira, e outras atribuíveis ao medicamento.
Aas não deve ser utilizado por pacientes alérgicos a outros analgésicos e anti-inflamatórios do mesmo tipo.

Distúrbios hepatobiliares do aas:
Não conhecido: elevação das enzimas hepáticas e lesões hepáticas, principalmente hepatocelular.

Distúrbios do sistema nervoso: hemorragia intracraniana.

Ingestão concomitante com outras substâncias: Evitar a ingestão concomitante de bebidas alcoólicas.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Contraindicações e precauções: Aas está contraindicado a pacientes com doenças no estômago, fígado (pacientes com insuficiência hepática grave) e rins. Não deve ser usado em hemofílicos e naqueles pacientes que estejam fazendo uso de anticoagulantes. O Aas só poderá ser empregado durante a gravidez e lactação sob orientação médica.
Recomenda-se precaução em pacientes com insuficiência hepática leve e moderada.
Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

Crianças ou adolescentes não devem usar este medicamento para catapora ou sintomas gripais antes que um médico seja consultado sobre a Síndrome de Reye, uma rara, mas grave doença associada a este medicamento.
O produto Aas infantil contém o corante amarelo de TARTRAZINA que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao ácido acetilsalicílico.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE E EM VEZ DE LHE CURAR PODE LHE PREJUDICAR.



TAGS:ACIDO ACETIL SALISILICO, AAS INFANTIL,AAS ADULTO, AAS PARA AFINAR O SANGUE,AAS PARA EVITAR DERRAME,AAS PARA EVITAR AVC, PARA QUE SERVE AAS, AAS INDICACAO, AAS PREJUDICA,AAS CONTRA INDICACAO,


Dor no estomago? Gastrite? Úlcera? Azia? espinheira santa

gastrite



Dor no estomago? Gastrite? Úlcera? Azia? Queima nunca mais espinheira santa o santo rémedio.

Benefícios da espinheira santa um santo remédio. Boa contra as úlceras: A espinheira santa conta com taninos que têm poder cicatrizante de lesões ulcerosas no estômago por controlar a produção de ácido clorídrico nos órgãos. Combate a gastrite, úlcera, azia, queima no estomago: A espinheira santa é boa em casos de gastrite dispepsias estomacais .

A espinheira está indicada nas úlceras pépticas benignas, tanto gástrica como duodenal. Os resultados obtidos na úlcera duodenal são superiores aos obtidos na úlcera gástrica, verificando-se índices de cicatrização de quase 100% após algumas semanas de tratamento.

É indicada também em úlcera pós-operatória, esofagite de refluxo, alívio dos sintomas de refluxo gastroesofágico, síndrome de Zollinger-Ellison e na dispepsia episódica crônica caracterizada por dor (epigástrica ou retroesternal) – a qual é relacionada às refeições ou durante o sono, mas não associada às condições anteriores

Ela é uma planta originária da América do Sul, e muito presente na região sul do Brasil. Utilizada há muito tempo pelos povos nativos dessas regiões como planta medicinal.

O nome espinheira santa se deve ao formato de suas folhas, que parecem ter vários espinhos e por ser considerada um “santo remédio” na linguagem popular.  Seu uso é muito útil no combate às dores de estômago, gastrite, úlcera, azia e queimação, devido às propriedades medicinais que possui.

Propriedades Da Espinheira Santa

Benefícios da espinheira santa

Boa contra as úlceras: A espinheira santa conta com taninos que têm poder cicatrizante de lesões ulcerosas no estômago por controlar a produção de ácido clorídrico no órgãos.

Combate a gastrite: A espinheira santa é boa em casos de gastrite. Este benefício ocorre devido aos taninos presentes na planta que estão relacionados à diminuição da secreção do ácido clorídrico pelas células do estômago e assim atenuam a gastrite.

Alivia os gases: A espinheira santa tem ação antisséptica, devido à expressiva quantidade de taninos, atuando rapidamente na paralisação das fermentações gastrintestinais e é carminativa, por isso ela é indicada em casos de gases.

Ação diurética: A espinheira santa tem ação levemente diurética devido à presença de triterpenos, composto bioativo, em sua composição.

Melhora o trânsito intestinal: A espinheira santa melhora o trânsito intestinal devido à mucilagem presente nesta planta.

Alivia dores no estômago: Por evitar a secreção de ácido gástrico, a espinheira santa ajuda a aliviar as dores no estômago.

Previne câncer de pele: Os triterpenos encontrados na espinheira santa possuem propriedades contra o câncer de pele. Vale ressaltar que, caso tenha um tumor, é importante conversar com seu médico antes de consumir a planta.

Problemas Gastrointestinais

As pesquisas clínicas a respeito da espinheira santa começaram há muitas décadas, desde 1960, e conseguiram evidências científicas da sua ação no combate a problemas estomacais, como gastrite, úlcera e gases. Casos em que é utilizada como infusão (chá) ou pode ainda ser ingerido o extrato seco encapsulado.

As potentes propriedades antiulcerogências da espinheira santa foram demonstradas por um estudo em que o extrato aquoso quente da erva (mais conhecido como chá) foi tão eficaz quanto dois dos medicamentos mais utilizados no combate às úlceras estomacais, a ranitidina e a cimetidina, aumentando o pH do conteúdo estomacal. O baixo pH provocado pela secreção de ácido clorídrico naturalmente pelo estômago é o principal agente de úlceras quando essa secreção ocorre em excesso, esse ácido corrói as paredes do órgão levando a gastrite e até à úlcera.

A ação da espinheira santa nos casos de disfunções estomacais seria por meio de vários mecanismos, além de não depender de um componente específico da planta mas sim da ação conjunta de diferentes fitocomplexos. Um dos mecanismos foi demonstrado em um estudo com sapos, que é o de inibição da ativação de receptores histamínicos do tipo H2, diminuindo assim a quantidade de ácido secretada pela mucosa estomacal, o mesmo mecanismo dos medicamentos citados, ranitidina e cimetidina. Além disso, há inibição da gastrina, um hormônio que também estimula a secreção ácida e a motilidade do estômago. Alguns taninos e óleos essenciais seriam ainda, responsáveis por parte do efeito protetor da muscosa gástrica.

Alguns casos de gastrite, úlcera e até câncer gástricos, podem ainda ser induzidos pela presença da bactéria Helicobacter pylori, e além de todas as ações já citadas, componentes da espinheira santa também apresentaram ação in vitro e in vivo contra essa bactéria.

Com todas essas informações garantindo a eficácia da espinheira santa ela pode ser indicada para todos os seguinte quadros clínicos:

Má digestão;

Azia e acidez estomacais;

Refluxo;

Gastrites, inclusive as causadas por Helicobacter pylori;

Úlceras gástricas e duodenais;

Perturbações do trato gastrointestinal;

Enterites (inflamações do intestino);

Flatulência;

Mau hálito causado por distúrbios estomacais.

Em todas as indicações seu poder digestivo, cicatrizante, anti-inflamatório e protetor da mucosa gástrica são os mais acentuados. O médico deve sempre ser consultado para avaliar o benefício da inclusão da espinheira santa como auxiliar no tratamento dessas doenças.

Podendo ser utilizada como chá, as indicações são várias.

Os usos clássicos são para úlceras gástricas e intestinais, gastrite, dispepsia, indigestão, constipação e problemas no fígado.

O chá feito a partir das folhas também pode ser aplicado topicamente em lesões da pele e machucados.

Os fitoquímicos presentes na espinheira santa e que são os responsáveis pelas suas atividades biológicas no organismo humano são terpenos, triterpenos, taninos e alcaloides.

Ela possui boas quantidade de taninos, especialmente epigalocatequina, que têm poder cicatrizante de lesões ulcerosas no estômago por controlar a produção de ácido clorídrico no órgão e aliviar a dor. Os taninos também são poderosos antissépticos por paralisar as fermentações gastrintestinais

Mesmo com a ação digestiva, cicatrizante, antiinflamatória e protetora da mucosa gástrica, o médico deve sempre ser consultado para avaliar o benefício da inclusão da espinheira santa como auxiliar no tratamento dessas doenças.

Reduz o Risco de Câncer

Estudos demonstraram a atividade de substâncias presentes na espinheira santa contra células cancerosas e tumores em concentrações bastante baixas.

A substância maitansina, um alcaloide, levou a expressivas regressões de carcinoma de ovário e linfomas, mais pesquisas não foram conduzidas pois observou-se alta toxicidade nas doses usadas.

Já um outro alcaloide, maiteína, apresentou baixa ou nenhuma toxicidade e teve excelentes resultados na redução de tumores epidermóides, ou seja, que se originam de células epiteliais, de até 60% com expressiva melhora na condição de vida dos pacientes Em 1990, pesquisadores japoneses descobriram a ação antineoplásica em um outro grupo de moléculas presente na espinheira santa pertencentes à classe dos triterpenos. Os experimentos mostraram citotoxidade ou inibição de vários tipos de leucemia e tumores.

Apesar da capacidade da espinheira santa em auxiliar nos tratamentos contra o câncer, a utilização dessa planta só deve ser feita com o aval médico.

 

Contraindicações da espinheira santa

A espinheira santa é contraindicada em casos de gravidez ou tratamento da infertilidade feminina por ter um efeito abortivo descrito em pesquisas científicas. Também é contraindicado durante o período de amamentação, pois pode levar à redução do leite materno.

A espinheira santa também não é recomendada para crianças

Dosagem – Como Tomar

Para cada forma de consumo as doses recomendadas são:

Chá: três xícaras ao dia. Para fazer o chá ferva cerca de 30g de folhas picadas em meio litro de água e deixe esfriar.

Tintura: 15 gotas diluídas em água três vezes ao dia. Já comprada pronta em lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação.

Cápsulas: 2 cápsulas de 380mg três vezes ao dia.

Compressas: ferver 10 folhas picadas em meio litro de água, esfriar e aplicar topicamente.

 



Tags: remédio para gastrite,cura da gastrite, remédio natural para gastrite,remédio para ulcera,remédio natural para ulcera,cura da ulcera,remédio para queima no estomago,remédio para azia,espinheira santa,remédio para má digestão.


DORES? CLORETO DE MAGNÉSIO PA O ELIXIR DA BOA SAÚDE #1

cloreto-a



CLORETO DE MAGNÉSIO PA – O ELIXIR DA BOA SAÚDE DORES, COLUNA ETC.
VEJA AQUI ALGUNS PROBLEMAS DE SAÚDE QUE PODEM SER TRATADOS COM CLORETO DE MAGNÉSIO COMO DORES NO CORPO, COLUNA E ARTICULAÇÕES ETC veja o video
o cloreto de magnesio pa serve para muitos problemas de saúde





tags: cloreto de magnésio pa, dores no corpo, coracao, indicacao do cloreto de magnésio, para quw serve cloreto de magnesio


CLORETO DE MAGNÉSIO PA, QUAL É O SEU PROBLEMA? SAÚDE PLENA#2

  1. Regulariza a pressão arterial elevada

O magnésio reduz a tensão da musculatura vascular melhorando a circulação e baixando a pressão arterial.

cloreto




2. Previne o infarto do miocárdio

Muitas vezes acontece o infarto agudo do miocárdio por deficiência de magnésio

3. Dissolve a maioria dos cálculos renais

Tomando magnésio se reduz as chances de formação de cálculos renais  pois, este elemento impede as calcificações em lugares inadequados

4. Melhora a qualidade dos ossos e dentes

Os processos de osteoporose regridem significativamente com a ajuda do magnésio na forma de cloreto já que, está comprovada a relação entre o consumo de cálcio e a absorção de magnésio.

5. Auxilia no tratamento da asma

20% dos asmáticos são deficientes em magnésio e este elemento ajuda no tratamento pois tem a qualidade de melhorar o sistema imunológico

6. Resolve o cansaço crônico

Baixos níveis de magnésio costumam estar correlacionados com as ocorrências de cansaço crônico sem causa conhecida e, no caso, o magnésio melhora a capacidade do organismo em converter alimentos em energia.

7. Enxaquecas ou migrenas

O magnésio é um vasodilatador por excelência promovendo muito rápida melhora em casos de dores de cabeça

8. Melhora a função renal

O cloreto de magnésio ajuda ao bom funcionamento dos rins como filtros mantendo as vias urinárias oxigenadas

9. Síndrome metabólica

Com o magnésio se trata a resistência insulínica, uma das causas primeiras da hipertensão essencial

10. Melhora a função hepática

Em casos de figado gorduroso ou de alcoolismo, este elemento é essencial para a melhora da função hepática

11. Combate o estresse

O cloreto de magnésio ajuda no combate ao estresse típico do tipo de vida assumido atualmente pelas sociedades ocidentais. Nesse tipo de estresse o nosso organismo perde muito magnésio

12. Calmante do sistema nervoso

O cloreto de magnésio tem um efeito calmante no sistema nervoso e ajuda no bom descanso noturno, acalma nervos superexcitados

13. Regula a menstruação e tpm

O magnésio tem ação regulatória nas glândulas e, por este efeito, também ajuda na diminuição dos sintomas típicos da tensão pré-menstrual

14. Melhora a digestão

Magnésio regula a produção de ácidos estomacais reduzindo sintomas de acidez e digestão lenta, pesada.

15. Reduz o risco de diabetes

A ingestão de magnésio melhora a sensibilidade à insulina

16. Impede o risco de parto prematuro

Magnésio reduz a ocorrência de partos prematuros pois tem o efeito de reduzir as contrações uterinas antecipadas.

17. Melhora o ph do nosso organismo

A ingestão de magnésio promove o reequilíbrio do nosso pH reduzindo os casos de acidificação do sangue e suas consequências: doenças e infecções.

18. Previne a obstipação

O intestino preso pode ser ajudado com o uso do cloreto de magnésio que auxilia na criação de um ambiente mais úmido para as fezes melhorando também os movimentos peristálticos necessários para a expulsão destas.

19. Normaliza os níveis de colesterol

O nível adequado de magnésio no organismo regula a produção de colesterol do tipo LDL e HDL e mantendo-os no equilíbrio necessário à boa saúde.

20. Reduz o risco de câncer e tumores

A ingesta de cloreto de magnésio aumenta o magnésio existente nas nossas células o que as mantêm saudáveis impedindo, muitas vezes, a formação de tumores cancerígenos.

21. Melhora as funções cerebrais

O consumo de cloreto de magnésio potencializa as funções cerebrais de aprendizagem e diminui a sua perda no envelhecimento.

22,Cloreto de magnésio para ajudar a combater problemas de sono

A insônia está afetando muitos hoje em dia. Ela pode afetar sua saúde e bem-estar geral. O magnésio tem sido provado em muitos estudos por responsável para ajudar com o sono




ALFAVACA (Ocimum basilicum) plantas medicinais az

alfavaca-ocimum-basilicum



ALFAVACA (Ocimum basilicum): Também conhecida como basilicão, erva-real, manjericão de molho. Tem poder antiséptico, ajuda na cura de feridas e hematomas. A infusão forte pode ser usada em gargarejos e bochechos contra dor de garganta, mau hálito e aftas. Serve ainda contra queda de cabelos (deixar agir por cinco minutos e enxágüe). O chá é usado contra náuseas, gases e disenterias.

 

tags: ALFAVACA Ocimum basilicum, plantas medicinais de a-z, remédios caseiros, plantas medicinais indígenas, plantas medicinais pdf, plantas medicinais que cura, plantas caseiras, remédios caseiros, medicina alternativa, plantas fitoterápicas, cura através das plantas, remédios fitoterápico, plantas medicinais indígenas, lista de plantas medicinais, tudo sobre plantas medicinais, remédio natural, oficinais ervas, plantas naturais, plantas que curam





ALFAFA (Medicago sativa) plantas medicinais az

alfafa-medicago-sativa



ALFAFA (Medicago sativa): Planta usada como suplemento alimentar, rica em vitaminas (especialmente a vitamina K), minerais, contém potássio, magnésio, fósforo e cálcio. Age nas anemias e hemorragias. Revigorante nos casos de fadiga e alimentação insuficiente. O rico valor nutricional da alfafa torna-a um alimento valioso.

 

tags: alfafa Medicago sativa, plantas medicinais de a-z, remédios caseiros, plantas medicinais indígenas, plantas medicinais pdf, plantas medicinais que cura, plantas caseiras, remédios caseiros, medicina alternativa, plantas fitoterápicas, cura através das plantas, remédios fitoterápico, plantas medicinais indígenas, lista de plantas medicinais, tudo sobre plantas medicinais, remédio natural, oficinais ervas, plantas naturais, plantas que curam





Alecrim (Rosmarinus officinalis) plantas medicinais az

alecrim



Alecrim (Rosmarinus officinalis): Também conhecido como alecrim-de-jardim, alecrim-rosmarino ou libanotis. Considerado estimulante e digestivo, apresenta propriedades antiespasmódicas, e vasodilatoras. É também antiácido e antiséptico. Muito usado nos problemas digestivos, essencialmente nos males que acometem o fígado. Por suas virtudes tônicas e estimulantes é indicado contra a depressão e o cansaço físico. Popularmente , o alecrim é usado contra dores reumáticas, gases intestinais, debilidade cardíaca, inapetência, cicatrização de feridas, dor de cabeça de origem digestiva e problemas respiratórios. Em altas doses pode ser tóxico e abortivo. Em doses elevadas pode provocar irritações gastrointestinais.

 

tags:Alecrim(Rosmarinus officinalis, plantas medicinais de a-z, remédios caseiros, plantas medicinais indígenas, plantas medicinais pdf, plantas medicinais que cura, plantas caseiras, remédios caseiros, medicina alternativa, plantas fitoterápicas, cura através das plantas, remédios fitoterápico, plantas medicinais indígenas, lista de plantas medicinais, tudo sobre plantas medicinais, remédio natural, oficinais ervas, plantas naturais

 

 





ALCAÇUZ (Glycyrrhiza glabra) plantas medicinais az

alcacuz




ALCAÇUZ (Glycyrrhiza glabra): Na medicina popular é indicado para alivar tosse, combater úlceras, como laxante e expectorante. Usado também nas conjuntivites, desordens do fígado, desequilíbrios hormonais e problemas da garganta. O uso medicinal do alcaçuz é datado dos povos antigos do Egito, relatado em seus papiros. A complicada composição química do alcaçuz dá a ele um largo espectro de propriedades. Centenas de estudos já comprovaram sua ação no tratamento de doenças do fígado, supra-renais, desequilíbrios hormonais e úlceras pépticas. Na China, onde é uma das ervas mais utilizadas, é indicado para o baço, rins e proteger o fígado de doenças. No Japão um preparado de alcaçuz é utilizado para tratar a hepatite. Muitos estudos comparam sua ação com a hidrocortisona, mas sem seus efeitos colaterais. Como a cortisona, teria o efeito de diminuir as inflamações e aliviar sintomas de artrite e alergias, daí seu efeito anti-histamínico. A raiz possui glicirrizina (cinqüenta vezes mais doce que a sacarose), que favorece a formação de hormônio como a hidrocortisona. Mulheres com ciclos menstruais irregulares costumam usar alcaçuz para normalizar seus ciclos, pelo equilíbrio hormonal. O alcaçuz é ligeiramente laxante.

ALCAÇUZ Glycyrrhiza glabra,plantas medicinais de a-z, remédios caseiros, plantas medicinais indígenas, plantas medicinais pdf, plantas medicinais que cura, plantas caseiras, remédios caseiros, medicina alternativa, plantas fitoterápicas, cura através das plantas, remédios fitoterápico