Enxaqueca

O QUE É ENXAQUECA (DOR DE CABEÇA)?

428534-Um-número-considerável-da-população-sofre-com-a-cefaleia-tensional.



Sinônimos: dor de cabeça, cefaleia, enxaqueca.

A enxaqueca é um dos tipos de cefaleia (dor de cabeça) A enxaqueca se caracteriza por uma dor pulsátil em um dos lados da cabeça (às vezes dos dois), geralmente acompanhada de fotofobia e fonofobia, náusea e vômito. A duração da crise varia de quatro a 72 horas, podendo ser mais curta em crianças. Segundo o Ministério da Saúde, de 5 a 25% das mulheres e 2 a 10% dos homens tem enxaqueca. A enxaqueca é predominante em pessoas com idades entre 25 e 45 anos, sendo que após os 50 anos essa porcentagem tende a diminuir, principalmente em mulheres. A doença ocorre em 3 a 10% das crianças, afetando igualmente ambos os gêneros antes da puberdade, mas com predomínio no sexo feminino após essa fase. A enxaqueca pode ser divida entre com aura ou sem aura, e essas em episódica ou crônica. Segundo dados do Ministério da Saúde, 64% do total desses pacientes apresentaram enxaqueca sem aura, 18% com aura e 13% com e sem aura. Os restantes 5% apresentaram aura sem cefaleia.

A enxaqueca crônica se caracteriza por cefaleia em 15 ou mais dias do mês, sendo oito dias com crises típicas de enxaqueca, por mais de três meses, na ausência de abuso de medicamentos.

CAUSAS DA ENXAQUECA (DOR DE CABEÇA)

As causas exatas da enxaqueca são desconhecidas, embora se saiba que elas estão relacionadas com alterações do cérebro e possuem influência genética. A enxaqueca começa quando as células nervosas, já em estado de hiperexcitabilidade, reagem a algum gatilho frequentemente externo, enviando impulsos para os vasos sanguíneos, causando sua constrição ( relacionado a aura) seguida de uma dilatação (expansão) e a libertação de prostaglandinas, serotonina e outras substâncias inflamatórias que causam a dor. O padrão de crise é sempre o mesmo para cada indivíduo, variando apenas em intensidade. O espaçamento entre crises é variável. Sabe-se também que o gatilho para as crises em enxaqueca variam de indivíduo para indivíduo, sendo que em alguns a pessoa pode não apresentar nenhum gatilho específico. Os gatilhos de enxaqueca mais comuns são:

Estresse

Jejum prolongado

Dormir mais ou menos do que o de costume

Mudanças bruscas de temperatura e umidade

Perfumes e outros odores muito fortes

Esforço físico

Luzes e sons intensos

Abuso de medicamentos, incluindo analgésicos causam enxaqueqra

Fatores hormonais: é comum mulheres portadoras de enxaqueca apresentarem dor nas fases pré, durante ou após a menstruação. Esse tipo de migrânea é chamado de enxaqueca menstrual. Esse tipo de enxaqueca tende a melhorar espontaneamente na menopausa. Muitas mulheres têm as crises pioradas, ou ate melhoradas, a partir do momento que iniciam o uso de anticoncepcionais orais

Alimentos e bebidas: queijos amarelos envelhecidos, frutas cítricas (principalmente laranja, limão, abacaxi e pêssego), carnes processadas, frituras e gorduras em excesso, chocolates, café, chá e refrigerantes à base de cola, aspartame (adoçante artificial), glutamato monossódico (tipo de sal usado como intensificador de sabor, principalmente em comida chinesa), excesso de álcool.  Sintomas de Enxaqueca (dor de cabeça)

Entre os sintomas de enxaqueca estão:

Crise de cefaleia durando de quatro a 72 horas, unilateral e pulsátil

Náusea

Vômitos

Bocejos

Irritabilidade

Sensibilidade à luz

Sensibilidade ao som

Sensibilidade ao movimento do corpo ou do ambiente.

Tontura

Fadiga

Mudanças de apetite

Problemas de concentração, dificuldade para encontrar as palavras

Enxaqueca com aura

A manifestação mais comum da enxaqueca com aura é a chamada aura visual, que pode se apresentar como flashes de luz, manchas escuras em forma de mosaico ou imagens brilhantes em ziguezague – como quando estamos andando em uma estrada e vemos aquele ziguezague de calor que emana do chão. Em outros casos, a enxaqueca com aura pode se manifestar como dormências ou formigamentos em apenas um lado do corpo – dependendo da gravidade da enxaqueca com aura, a pessoa pode começar com um formigamento em uma das mãos e ele se espalhar por todo o lado do corpo, chegando a adormecer apenas metade da língua. No entanto, essas manifestações sensitivas da enxaqueca com aura são mais raras. Geralmente, a aura começa da cefaleia na crise de enxaqueca, podendo persistir ou não depois que a dor começar. 

Diagnóstico de Enxaqueca (dor de cabeça)



No Brasil, é estimado que apenas 56% dos pacientes com enxaqueca procuram atendimento e, destes, apenas 16% se consultam com especialistas em cefaleias. Um estudo feito em duas Unidades Básicas de Saúde (SUS), encontrou prevalência de 45% de enxaqueca nos pacientes com queixa de cefaleia. O diagnóstico de enxaqueca é basicamente clínico. O médico neurologista fará perguntas como:

– Você sente dor em qual lado da cabeça?;Quais os sintomas relacionados à dor?;Qual a duração desses sintomas?;Eles acontecem em ambos os lados do corpo?;Se foram sintomas visuais,como são e em que momento os apresenta?;Algum desses sintomas aparece antes de a dor começar?.

Seu médico pode querer ter certeza de que não existem outras causas para sua enxaqueca. Assim, é provável que ele faça exames físicos e neurológicos. Além disso, o médico irá perguntar sobre seu histórico familiar, incluindo questões como:

Os outros membros da família têm enxaqueca ou outros tipos de dores de cabeça?

Você usa medicamentos como pílulas anticoncepcionais ou vasodilatadores?

Sua dor de cabeça começa depois que você faz muito esforço, ou após tossir ou espirrar?.

O diagnóstico da enxaqueca é feito clinicamente, seguindo os seguintes critérios, com base nas diretrizes da Headache International Society. Para ser diagnosticada a enxaqueca, o paciente precisa apresentar pelo menos cinco crises com essas características:

Crise de cefaleia durando de quatro a 72 horas (tratamento fracassado ou não realizado)

Cefaleia tendo pelo menos duas das seguintes características: unilateral

pulsátil

dor de intensidade moderada a intensa

dor agravada ou impedindo atividade física rotineira (caminhada, subir escadas, etc)

Durante a cefaleia, ocorrência de pelo menos um destes sintomas: náusea e vômitos, fotofobia e “fonofobia”.

Nenhum outro diagnóstico que explique a cefaleia.

Enxaqueca com aura

Pelo menos duas crises com a presença de sintomas da aura, como pontos luminosos ou perda e embaçamento da visão, formigamento, dormência e fraqueza no corpo e dificuldade na fala.

Tratamento de Enxaqueca (dor de cabeça)

Antes de iniciar o tratamento para enxaqueca, é necessário saber se o diagnóstico está correto e qual o fator desencadeante dela. No geral, o melhor é evitar esses desencadeantes e tomar o medicamento indicado pelo médico quando uma crise aparecer. Os medicamentos para prevenção da enxaqueca incluem neuromoduladores, betabloqueadores, antidepressivos, antivertiginosos. A indicação, no entanto, dependerá de cada caso.

Durante uma crise de enxaqueca, siga essas recomendações:

Tome o medicamento para enxaqueca (dor de cabeça): pessoas que tem enxaqueca frequente devem sempre andar com seus medicamentos. Isso porque algum tempo após a dor de cabeça se iniciar, ocorre um processo de sensibilização central, que mantém a dor e a torna mais rebelde aos analgésicos

Entenda o que alivia a sua dor de cabeça: como os desencadeantes da enxaqueca são diferentes para cada um, a forma de aliviar essa dor também varia. Alguns dos tratamentos não medicamentosos mais comuns incluem compressas quentes ou frias, massagens, terapia de biofeedback, homeopatia e acupuntura

Trate os sintomas separadamente: como o analgésico trata apenas a dor da enxaqueca, os outros sintomas devem ser tratados de forma tópica. Esse cuidado é redobrado com aqueles que sofrem com vômitos, pois ele pode golfar os analgésicos, precisando ir ao pronto socorro para receber drogas injetáveis

Descanse em um local escuro e silencioso: durante uma crise de enxaqueca, o paciente não suporta ambientes barulhentos e com muita luz. Por isso, o ideal é se sentar o deitar – o que for mais confortável – em um local com pouca luz e sem barulhos, evitando ao máximo atividades que o tirem do repouso

Faça refeições leves e hidrate-se: beba muito líquido, tanto água quanto soluções hidratantes disponíveis no mercado. Caso haja vômito, o melhor é não ingerir alimentos sólidos e, em casos graves, procurar um pronto atendimento para receber medicações injetáveis mais potentes.

Complicações possíveis da enxaqueca (dor de cabeça)

O episódio de enxaqueca é autolimitado e raramente resulta em complicações neurológicas permanentes. Enxaqueca crônica pode causar incapacitação por dor e afetar a execução de atividades diárias e a qualidade de vida. Quando uma crise intensa se prolonga por mais de 72 horas, diz-se que o paciente está em status enxaquecoso (ou migranoso).

Prevenção da enxaqueca (dor de cabeça)

Além dos medicamentos para enxaqueca e cuidados no momento da crise, você pode adotar alguns hábitos que ajudam na prevenção da enxaqueca:

– Manter um diário da enxaqueca: isso pode ajudar a identificar qualquer coisa que possa desencadear enxaquecas com aura. Inclua no diário a data e a hora da enxaqueca, todos os alimentos que você comeu, atividades que você participou e medicamentos ingeridos;Evite alimentos, medicamentos e fatores ambientais desencadeantes;Fique atento aos gatilhos psicológicos, como estresse e ansiedade.;Procure um especialista que lhe indique o medicamento preventivo mais apropriado para você.

 



PALAVRAS CHACES:

Enxaqueca, dor de cabeça, como curar enxaqueca, o que é cefaleia, como tratar enxaqueca, remédio para enxaqueca, remédio para dor de cabeça, remédio natural para enxaqueca, remédio natural para dor de cabeça, remédio natural para cefaleia, remédio caseiro para enxaqueca, remédio caseiro para dor de cabeça, o que é enxaqueca, como combater enxaqueca, sintomas de enxaqueca, causas da enxaqueca.

 


Diabetes

diabetes

O que é diabetes tratamento e prevenção?





 

O diabetes é uma doença em que o corpo é incapaz de usar corretamente e armazenar glicose (um tipo de açúcar). A glicose faz o backup na corrente sanguínea – fazendo com que a glicose no sangue (por vezes referido como o açúcar no sangue) pode subir muito alto.

Existem dois tipos principais de diabetes. tipo 1 (chamada insulino-dependente de início juvenil ou) diabetes, o corpo deixa completamente a produção de insulina, um hormônio que permite que o corpo a usar a glicose encontrada em alimentos para a energia. Pessoas com diabetes tipo 1 devem tomar injeções diárias de insulina para sobreviver. Este tipo de diabetes geralmente se desenvolve em crianças ou adultos jovens, mas pode ocorrer em qualquer idade. Diabetes Tipo 2 (anteriormente chamado adulto-início ou não insulino-dependente) diabetes resultados quando o organismo não produz insulina suficiente e / ou não é capaz de usar adequadamente a insulina (resistência à insulina). Este tipo de diabetes geralmente ocorre em pessoas que são mais de 40, acima do peso e têm uma história familiar de diabetes, embora hoje ela está ocorrendo cada vez mais em pessoas mais jovens, especialmente adolescentes.

Como as pessoas sabem se elas têm diabetes?

Como saber se tenho diabetes? Pessoas com diabetes frequentemente experimentam alguns sintomas. Esses incluem:

Estar com muita sede

Micção frequente

Perda de peso

Aumento da fome

Visão embaçada

Irritabilidade

Formigueiro ou dormência nas mãos ou pés

Infecção frequente com a pele, bexiga ou goma

Feridas que não cicatrizam

Fadiga inexplicável extrema

Em alguns casos, não há sintomas – isso acontece às vezes com diabetes tipo 2. Neste caso, as pessoas podem viver por meses, até anos, sem saber que têm a doença. Esta forma de diabetes vem em forma gradual que os sintomas não podem sequer ser reconhecido.

Como ocorre o diabetes?

Diabetes pode ocorrer em qualquer pessoa. No entanto, as pessoas que têm parentes próximos com a doença são um pouco mais propensas a desenvolvê-la. Outros fatores de risco incluem obesidade, colesterol alto, pressão arterial elevada e inatividade física.

O risco de desenvolver diabetes também aumenta à medida que as pessoas envelhecem. As pessoas que são mais 40 e o excesso de peso são mais propensos a desenvolver diabetes, embora a incidência de diabetes de tipo 2 em adolescentes está a crescer. Diabetes é mais comum entre os nativos americanos, afro-americanos, hispânicos e americanos asiáticos / Ilhas do Pacífico. Além disso, as pessoas que desenvolvem diabetes durante a gravidez (uma condição chamada diabetes gestacional) são mais propensos a desenvolver diabetes desabrochada  mais tarde na vida.

Como é tratada a diabetes?

Há certas coisas que todo mundo que tem diabetes, se o tipo 1 ou tipo 2, precisa fazer para ser saudável. Eles precisam ter um plano de refeições (comer saudável). Eles também precisam prestar atenção para o quanto de atividade física elas se envolvem, porque a atividade física pode ajudar a insulina melhor para que ela possa converter glicose em energia para as células.

Todas as pessoas com diabetes tipo 1, e algumas pessoas com diabetes tipo 2, também precisam tomar injeções de insulina. Algumas pessoas com diabetes tipo 2 tomam pílulas chamada “agentes orais” que ajudam seus corpos produzem mais insulina e / ou utilizar a insulina que está produzindo melhor. Algumas pessoas com diabetes tipo 2 pode gerir a sua doença sem medicação por refeição planejamento adequado e atividade física adequada.

Todo mundo que tem diabetes deve ser consultado pelo menos uma vez a cada seis meses por um especialista em diabetes (um endocrinologista). Ele ou ela também deve ser consultado periodicamente por outros membros de uma equipe de tratamento do diabetes, incluindo um educador de diabeticos enfermeira e um nutricionista que irá ajudar a desenvolver um plano de refeições para o indivíduo.

Idealmente, deve-se também ver um fisiologista do exercício para ajudar no desenvolvimento de um plano de atividade física, e, talvez, um assistente social, psicólogo ou outro profissional de saúde mental para ajudar com as tensões e desafios de viver com uma doença crônica que é o diabetes.

Todo mundo que tem diabetes deve ter exames oftalmológicos regulares (uma vez por ano) por um médico especialista olho no olho cuidados para diabetes para se certificar de que todos os problemas oculares associadas à diabetes são detectados precocemente e tratados antes que se tornem graves.

Além disso, pessoas com diabetes precisam aprender a controlar sua glicose no sangue. testes diários ajudará a determinar o quão bem o seu plano de refeição, plano de atividades e medicação estão trabalhando para manter os níveis de glicose  em uma escala normal no sangue.

Que outros problemas a diabetes pode causar?

Sua equipe de saúde vai encorajá-lo a seguir o seu plano de refeição e programa de exercícios, usar os seus medicamentos e monitorar sua glicose no sangue regularmente para manter a sua glicose no sangue tão normal quanto possível, em grande parte do tempo possível. Por que isso é tão importante? Porque o diabetes mal geridos pode levar a uma série de complicações a longo prazo – entre estes são ataques cardíacos, derrames, cegueira, insuficiência renal e doença dos vasos sanguíneos que podem exigir uma amputação, danos nos nervos, e impotência sexual nos homens.

Mas, felizmente, um estudo concluído ao longo de um período de 10 anos mostrou que se as pessoas manter a sua glicose no sangue o mais próximo possível do normal, eles podem reduzir seu risco de desenvolver algumas dessas complicações em 50 por cento ou mais.

A diabetes pode ser prevenida?



Talvez algum dia. O diabetes tipo 2 é o tipo mais comum de diabetes, mas nós ainda não entendemos completamente. Uma pesquisa recente sugere, no entanto, que há algumas coisas que podemos fazer para prevenir este tipo de diabetes. Estudos mostram que mudanças no estilo de vida podem prevenir ou retardar o aparecimento da diabetes tipo 2 em adultos que estão em alto risco de contrair a doença. modesta perda de peso (5-10% do peso corporal) e atividade física modesta (30 minutos por dia) são metas recomendadas.

Saiba mais Sobre Diabetes

“Diabetes mellitus”, mais comumente referido como “diabetes“, é uma condição que faz com que o açúcar no sangue  suba a níveis perigosos: a glucose no sangue em jejum de 126 miligramas por decilitro (mg / dL) ou mais.


Como Diabetes Desenvolve

Depois de comer uma refeição, o alimento é dividido pelo sistema digestivo e de açúcar no sangue (ou glicose) aumenta. O pâncreas é um órgão perto do estômago, que produz um hormônio chamado insulina. Com a ajuda de insulina, as células do corpo assumir a glicose e usá-lo para a energia. Quando seu corpo não produz insulina suficiente e / ou não usar eficientemente a insulina que produz, os níveis de açúcar subir na corrente sanguínea. Quando isso acontece, pode causar dois problemas:

Imediatamente, as células do corpo pode ser carente de energia.

Ao longo do tempo, os níveis de glicose no sangue pode danificar os olhos, rins, nervos ou coração.
Riscos para a Saúde para Diabetes Tipo 1

Durante o desenvolvimento da diabetes tipo 1, sistema imunitário ataca certas células do corpo (chamadas células beta) no pâncreas. Embora as razões isso ocorre ainda são desconhecidos, os efeitos são claros. Uma vez que estas células são destruídas, o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina, de modo que a glicose permanece no sangue. Quando há excesso de glicose no sangue, especialmente durante longos períodos, todos os sistemas de órgãos do corpo sofrem danos a longo prazo. Saiba mais sobre as consequências para a saúde de diabetes e como tratá-lo .

Diabetes tipo 2

Este tipo de diabetes pode ocorrer quando:

O organismo desenvolve “resistência à insulina” e não pode fazer uso eficiente da insulina que produz, e

O pâncreas perde gradualmente a sua capacidade de produzir insulina.

Em uma forma leve, este tipo de diabetes pode ir não diagnosticada por muitos anos, que é um motivo de grande preocupação, já que o diabetes não tratado pode levar a muitos problemas de saúde graves, incluindo a doença cardiovascular. Diabetes tipo 2 pode ser retardada ou controlada com dieta e exercício.

Precursores de Diabetes

Além da diabetes mellitus em pleno desenvolvimento, não são precursores de doença:

Resistência a insulina 
A resistência à insulina é uma condição que afeta milhões e milhões de pessoas. A resistência à insulina ocorre quando o corpo produz insulina, mas não usá-lo de forma eficiente a glicose se acumula no sangue em vez de ser usada por células.

Para compensar os níveis de açúcar no sangue, as células produtoras de insulina no pâncreas libera mais e mais insulina para tentar manter os níveis de açúcar no sangue normal. Aos poucos, essas células não conseguem manter-se com a necessidade do corpo para os níveis de insulina e de açúcar no sangue começam a subir. A resistência à insulina pode levar tanto a pré-diabetes e diabetes tipo 2.

Quando um indivíduo em jejum tem excesso de glicose no sangue (hiperglicemia) ou excesso de insulina no sangue (hiperinsulinemia), que indica que uma pessoa pode ter a resistência à insulina.

Pré-diabetes 
Pré-diabetes significa que seus níveis de açúcar no sangue são mais elevados do que o normal, mas não para os níveis de ser diagnosticado com diabetes. Se tiver sido informado pelo seu médico que você tem “pré-diabetes” isso também significa que, sem fazer algumas mudanças saudáveis, você tem um maior risco de desenvolver diabetes tipo 2.


Riscos para a Saúde da resistência à insulina

As pessoas com resistência à insulina correm um risco maior de desenvolver diabetes de tipo 2 e doença cardiovascular. Elas também são mais propensos a ter um histórico de ser obeso e fisicamente inativo e ter outros fatores de risco cardiovasculares como a dislipidemia (muito) LDL ( “mau” colesterol) , não o suficienteHDL ( “bom colesterol”) , ou altos de triglicéridos , hipertensão e outros fatores que podem aumentar o risco cardiovascular.

Diabetes não tratada pode levar a muitos problemas de saúde graves , incluindo doenças cardíacas e acidente vascular cerebral. É por isso que é importante estar ciente dos sintomas , bem como os fatores de risco e tomar medidas adequadas para prevenir e tratar a resistência à insulina e diabetes.



Tags: diabetes, diabetes mellitus, tiabetes tipo 1, diabetes tipo 2, tratamento do diabetes, prevenção do diabetes, remédios para diabetes, como prevenir diabetes.


Depressão

O que é depressão? Sintomas e causas

O que é depressão? Quais são as causas? Quais são os sintomas e como se tratar da depressão, tudo que você precisa saber sobre depressão.



 

A depressão clínica é mais do que apenas os “blues”, sendo “deprimido“, ou experimentando sentimentos temporários de tristeza que todos nós temos de vez em quando em nossas vidas. Depressão é uma doença grave que afeta a mente e o corpo de uma pessoa. Tem impacto em todos os aspectos da vida cotidiana, incluindo comer, dormir, trabalhar, relacionamentos e como uma pessoa pensa sobre si mesma / ela mesma. As pessoas que são clinicamente deprimidas não pode simplesmente sentir-se melhor ou apenas “sair dessa”. Se eles não recebem tratamento adequado os seus sintomas podem continuar por semanas, meses ou anos.

 

A boa notícia é que tratamentos muito eficazes estão disponíveis para ajudar aqueles que estão deprimidos. No entanto, apenas cerca de um terço das pessoas que estão deprimidas realmente recebe tratamento. Isso é lamentável, uma vez que mais de 80-90% das pessoas que procura tratamento pode se sentir melhor dentro de poucas semanas.

Muitas pessoas não procuram tratamento para a depressão por uma variedade de razões. Alguns acreditam que a depressão é o resultado de uma fraqueza pessoal ou falha de caráter outros dizem que é a falta de Deus em suas vidas. Isto simplesmente não é verdade. Assim como a diabetes, doenças do coração, ou qualquer outra condição médica, a depressão clínica é uma doença que deve ser tratada por um profissional de saúde mental ou médico.

 

Outra razão pela qual muitas pessoas não procuram ajuda para a depressão é que eles simplesmente não reconhecem os sinais ou sintomas de que algo pode estar errado.

A depressão afeta milhões de pessoas em todo mundo, ou 9,5% da população em qualquer período de um ano. Em algum momento de suas vidas, 10% -25% das mulheres e 5% a 12% dos homens provavelmente vai se tornar clinicamente deprimidos.

Na verdade, ela afeta tantas pessoas que muitas vezes é referido como o “resfriado comum” da doença mental ou doença do século. Estima-se que a depressão exige um custo econômico de mais de US $ 30 bilhões a cada ano, mas o custo do sofrimento humano não pode ser medido. Depressão não só causa sofrimento para aqueles que estão deprimidos, mas também causa grande dificuldade para a sua família e amigos que muitas vezes não sabem como ajudar.

 

Tipos de Depressão

O Transtorno Depressivo Maior
Esta doença prejudica a capacidade de uma pessoa para trabalhar, dormir, comer, e funcionam como ele ou ela normalmente. Ela mantém as pessoas privadas de desfrutar de atividades que antes eram agradáveis, e faz com que elas pensam sobre si mesmas e para o mundo de forma negativa. A depressão maior é muitas vezes incapacitante e pode ocorrer várias vezes na vida de uma pessoa.
transtorno distímico
Um tipo mais suave ainda mais duradouro de depressão maior. As pessoas com distimia pode parecer ser cronicamente levemente deprimida ao ponto que parece ser uma parte de sua personalidade. Quando uma pessoa finalmente procura tratamento de distimia, não é raro que ele / ela tem lutado com esta condição/distúrbio depressivo por vários anos

 

Transtorno bipolar
Também conhecida como psicose maníaco-depressivo ou transtorno maníaco-depressivo. Esta doença é caracterizada por humor que alterna entre períodos de depressão e períodos de euforia e comportamento excitável conhecido como mania (ver sintomas abaixo). Para as pessoas que têm transtorno bipolar, as depressões podem ser graves e a mania pode prejudicar seriamente seu julgamento normal. Quando maníaco, uma pessoa é propensa a ter comportamentos imprudente e inadequado, como engajar-se em gastos excessivos selvagens ou fazer sexo promíscuo. Ele ou ela pode não ser capaz de perceber o dano de seu comportamento e pode até perder o contato com a realidade.
Transtorno Ciclotímico
Um tipo mais suave ainda mais duradouro do transtorno bipolar. suplente humor de uma pessoa entre a mania menos grave (conhecida como hipomania) é uma depressão menos grave. 
Perturbação do Humor Devido a uma doença Geral
A depressão pode ser causada ou precipitada por uma doença física conhecida ou desconhecida, tais como hipotireoidismo etc.
Perturbação do Humor Induzido por Substância
A depressão pode ser causada ou desencadeada pelo uso ou abuso de substâncias, como drogas, álcool, medicamentos ou toxinas.
Desordem afetiva sazonal

Esse distúrbio depressivo afeta pessoas durante horários específicos ou estações do ano. Durante o inverno esses indivíduos se sente deprimido e letárgico, mas durante outros meses seu humor pode ser normal.
Depressão pós-parto
depressão pós-parto é uma forma rara de depressão que ocorre em mulheres dentro de aproximadamente uma semana a seis meses depois de dar à luz uma criança.
Transtorno disfórico pré-menstrual
Este é um tipo raro de depressão que afeta uma pequena porcentagem de mulheres menstruadas. É uma condição cíclica em que as mulheres podem se sentir deprimidas e irritável por uma ou duas semanas antes de seu período menstrual a cada mês.
Os sintomas da depressão

As pessoas que estão deprimidas ou maníacos não podem experimentar todos os seguintes sintomas. Alguns terão muitos sintomas, outros terão apenas alguns. A gravidade dos sintomas podem também ser diferentes para cada pessoa e mesmo variar ao longo do tempo. Se você estiver enfrentando algum destes sintomas ou se tiver dúvidas sobre se você pode estar deprimido ou maníaco, você deve consultar com seu médico ou um profissional de saúde mental qualificado.

 

Se você ou alguém que você conhece está pensando em suicídio, ou fez planos de fazer isso, você deve procurar a ajuda de um profissional de saúde mental ou médico imediatamente.

Tristeza, ansiedade, ou sentimentos “vazios”

Diminuição da energia, fadiga, sendo “devagar”

Perda de interesse ou prazer nas atividades que antes gostava, incluindo sexo.

Insônia, sonolência excessiva, ou acordar muito mais cede do que o habitual ou muito tarde.

Perda de peso ou apetite ou comer demais e ganho de peso

Sentimentos de desesperança e pessimismo,

Sentimento de impotência culpa e inutilidade

Pensamentos de morte ou suicídio ou tentativas de suicídio

Dificuldade de concentração, tomada de decisões, ou lembrar-se

Inquietação, irritabilidade ou choro excessivo.

dores e dores crônicas ou problemas físicos que não respondem ao tratamento

Estes são sintomas ou causas que levam à depressão

 

Os sintomas da Mania

Euforia anormal ou excessiva

Irritabilidade incomum

Diminuição da necessidade de sono

Noções grandiosas

Aumento da fala

Pensamentos rápidos

Aumento do desejo sexual desordenado

Marcadamente aumento da energia

Julgamento pobre

Comportamento social inadequado

 

Estatísticas e Informações Sobre Depressão adicionais

 

A depressão afeta milhões e milhões  da população do mundo, a cada ano

Durante seu tempo de vida, 10% -25% das mulheres e 5% a 12% dos homens se tornará clinicamente deprimidos por algum dos motivos acima.

As mulheres são afetadas pela depressão quase duas vezes mais que os homens

O custo econômico da depressão é estimado em mais de US $ 30 bilhões a cada ano

Dois terços das pessoas que estão deprimidas e nunca procuram tratamento e sofrem desnecessariamente e caladas

80% -90% das pessoas que procuram tratamento para a depressão pode se sentir melhor dentro de poucas semanas

Investigação sobre gémeos sugere que há um componente genético para o risco de desenvolvimento de depressão

A pesquisa mostrou também que o estresse de uma perda, especialmente a morte de um ente querido, pode levar à depressão em algumas pessoas

 

Como a depressão afeta a vida de uma Pessoa

A depressão clínica afeta todos os aspectos da vida de uma pessoa. Ela prejudica a nossa capacidade de dormir, comer, trabalhar e conviver com outras pessoas. Ele danifica nossa auto-estima, auto-confiança, e nossa capacidade de realizar tarefas diárias. As pessoas que estão deprimidas têm tarefas diárias uma luta significativa. Elas cansam facilmente, mas pode não ter uma boa noite de sono. Elas não têm motivação e perdem o interesse em atividades que antes eram agradáveis. Depressão coloca, uma nuvem escura e sombria sobre a forma como vemos a nós mesmos, o mundo, e nosso futuro.

 

A história de Brenda:
“Foi muito difícil sair da cama de manhã. Eu só queria esconder debaixo das cobertas e não falar com ninguém. Eu não tinha muita vontade de comer e eu perdi muito peso. Nada mais parecia divertido. eu estava cansada o tempo todo, mas eu não estava dormindo bem à noite. Mas eu sabia que eu tinha que continuar firme, porque eu tenho e um emprego. Nada estava ajudando a mudar ou melhorar a situação .

“passei dias ausente do trabalho, e um amiga percebeu que algo não estava certo”. Ela me falou sobre o tempo em que ela havia estado realmente deprimida e tinha conseguido a ajuda de seu médico.

“Eu liguei para meu médico e falei sobre como eu estava me sentindo”. Ela me chamou para um check-up e me deu o nome de um psiquiatra, que é um especialista no tratamento da depressão.

“Agora, eu estou visitando o psiquiatra uma vez por mês e tomando medicamento para a depressão”. Eu também estou visitando outra pessoa para terapia da conversa, o que me ajuda a aprender maneiras de lidar com esta doença na minha vida cotidiana.

 

A história de Robe:
“As coisas na minha vida estava indo tudo bem. Eu tinha acabado a minha GED e estava começando um novo trabalho em uma semana. Minha família era muito orgulhosa de mim. Mas por dentro, eu estava me sentindo terrível.

“No começo eu estava me sentindo triste o tempo todo, mesmo que eu não tinha razão de estar”. Em seguida, a tristeza se transformou em raiva, e eu comecei a ter brigas com minha família e amigos.

Eu me sentia muito mal sobre mim, como se eu não estivesse bem o suficiente para qualquer um. Eu fiquei tão ruim que eu desejei que fosse para a cama e nunca mais acordar.

 

“Meu irmão mais velho, que eu sempre admirei, viu que eu não estava agindo como o habitual”. Ele me disse diretamente que eu parecia deprimido e que eu deveria falar com um médico sobre isso. Eu odeio ir ao médico. Eu pensei: “de maneira nenhuma irei a um médico.”

“Mas depois de algumas semanas, comecei a ter problemas no trabalho também”. Às vezes eu não aparecia, porque eu não tinha dormido na noite anterior. Quando eu fui demitido, eu sabia que tinha que ouvir o meu irmão a buscar Socorro.

 

“Eu fui a um médico em uma clínica. Ele me disse que eu tinha uma doença comum chamada de depressão e que o tratamento poderia ajudar”.  “Então eu comecei a ir à clínica a cada semana para” terapia da conversa. Este tratamento ajuda-me a aprender a controlar a depressão na minha vida cotidiana. levou algum tempo, mas finalmente estou me sentindo como eu mesmo novamente. ”

Você está deprimido Os sintomas da depressão

Abaixo está uma lista para verificação de sintomas de depressão. Ela é de forma alguma a intenção de fornecer um diagnóstico e não deve ser usada como tal. Destina-se a ser um guia para ajudar você a entender os seus sintomas. Só um profissional de saúde física ou mental treinado é qualificado para fazer um diagnóstico. Você pode imprimir esta lista, marque se você tem experimentado os sintomas, e depois mostrá-la ao seu médico ou terapeuta para uma discussão sobre se você pode ou não estar deprimido.

 

Houve um período de 2 semanas de tempo em que você teve ou … Sim Não
A.Se sentindo deprimido, para baixo com o humor triste na maior parte do tempo, mais dias do que o normal ___ ___
OU
B. A perda de interesse ou prazer em atividades que antes eram apreciados ___ ___
E, no mesmo período de 2 semanas, você experimentou quatro dos seguintes sintomas (três, se você verificou ambos A e B acima) a maior parte do dia, quase todos os dias
1. Uma perda significativa de peso ou o ganho de peso, ou uma mudança de apetite. ___ ___
2. Dormir demais ou muito pouco ___ ___
3. O sentimento abrandou (como câmera lenta), ou fisicamente agitado, inquieto ___ ___
4. A perda de energia, a fadiga. ___ ___
5. Sentimentos de inutilidade ou culpa ___ ___
6. Dificuldade com o pensamento, concentração ou de tomar decisões. ___ ___
7. pensamentos recorrente de morte ou suicídio, tentativa de suicídio ou plano ___ ___

Mais Causas da Depressão

Infelizmente, não é totalmente conhecido o que exatamente faz com que a depressão clínica com um indivíduo em particular. Há muitas teorias sobre as causas, como fatores biológicos e genéticos, influências ambientais e infância ou eventos de desenvolvimento. No entanto, acredita-se geralmente que a depressão clínica é mais frequentemente causada pela influência de mais do que apenas um ou dois fatores.

 

Por exemplo, uma pessoa cuja mãe teve depressão maior recorrente pode ter herdado uma vulnerabilidade para o desenvolvimento de depressão clínica (influência genética). Isto combinado com a forma como a pessoa pensa sobre si própria (influência psicológica) em resposta ao estresse de passar por um divórcio, perca do desemprego etc (influência ambiental), pode colocá-la em um risco maior de desenvolver depressão do que alguém que não tem tais influências.

 

As causas da depressão clínica é provavelmente diferente para diferentes pessoas. Às vezes, um episódio depressivo pode parecem vir do nada em um momento quando tudo parece estar indo bem. Outras vezes, a depressão pode ser diretamente relacionado a um evento significativo em nossas vidas, como a perda de um ente querido, experimentando trauma, ou lutando contra uma doença crónica.

 

Fatores de risco para depressão

Relacionado com a discussão sobre as causas da depressão clínica é algo chamado, “fatores de risco”. Essencialmente, todos nós estamos em risco de desenvolver uma doença depressiva. Pessoas de todas as idades, raças e classes sociais podem tornar-se clinicamente deprimidas. Ninguém está completamente imune a esta doença. No entanto, é importante saber que as doenças mais comuns da depressão maior é o transtorno bipolar tendem a afetar alguns grupos de indivíduos mais do que outros. Algumas características destes grupos, quando associados com o desenvolvimento de uma doença depressiva, são conhecidos como “fatores de risco”.

Por favor, lembre-se que ninguém está predestinado a desenvolver depressão clínica. No entanto, pode ser muito importante você estar ciente de fatores de risco para que aqueles de nós que pode ser vulnerável pode nos educar, estar atento aos sinais de alerta, e tomar medidas no sentido de reconhecer e prevenir esta doença.

 

Fatores de risco para grandes depressões

Sexo: Em todo mundo, as mulheres são quase duas vezes mais propensas que os homens a serem diagnosticadas e tratadas com depressão maior. Cerca de 20-25% das mulheres e 12% dos homens vai experimentar uma grave depressão pelo menos uma vez em suas vidas. Entre as crianças, a depressão infantil parece ocorrer em igual número de meninas e meninos. No entanto, quando as meninas atingem a adolescência, elas tendem a se tornar mais deprimidas do que os meninos. Esta diferença entre os sexos continua em idade mais avançada.

Existem várias teorias a respeito de porque mais mulheres do que homens são diagnosticadas e tratadas a depressão:

As mulheres podem ser mais propensas que os homens a procurar tratamento de depressão. Elas podem estar mais dispostas a aceitar que elas têm sintomas emocionais de humor deprimido e sentimentos de inutilidade ou desesperança.

Os homens podem ser menos disposto a reconhecer os sintomas emocionais e mais aptos para suprimir sua depressão através do uso de álcool ou outras substâncias. Em tais casos, a depressão pode ser “mascarada“, ou visto apenas como álcool ou drogas dependência / abuso ao invés de depressão como doença.

As mulheres tendem a estar sob mais stress do que os homens. Nas mulheres da sociedade em geral de hoje, muitas vezes têm de gerir uma variedade de papéis conflitantes. Elas têm muitas responsabilidades e horários completos em casa e no trabalho.

As mulheres podem ser mais propensas à depressão por causa dos possíveis efeitos dos hormônios. As mulheres têm alterações frequentes em seus níveis hormonais, de seus ciclos menstruais mensais, ao tempo durante e após a gravidez, a menopausa. Algumas mulheres desenvolvem uma doença depressiva em torno desses eventos.
Fatores Conjugais: As mulheres que estão infelizes no casamento, divorciadas, ou separadas, têm altas taxas de depressão maior. As taxas são mais baixas para aqueles que estão bem casados.

Idade: Embora a depressão clínica geralmente ocorre pela primeira vez quando uma pessoa está entre as idades de 20 e 50, as pessoas com idade superior a 65 pode ser especialmente vulneráveis a ter depressão.

Episódio anterior: Se tiver tido depressão uma vez antes, suas chances de desenvolvê-la novamente aumenta. De acordo com algumas estimativas, cerca de metade das pessoas que têm depressão desenvolvida vai experimentá-la novamente.

Hereditariedade: As pessoas que têm parentes que tiveram depressão clínica têm uma maior chance de desenvolver por si próprias. Além disso, ter um parente próximo com transtorno bipolar pode aumentar as chances de uma pessoa desenvolver depressão maior.

 

Fatores de risco para  desordem Bipolar



O transtorno bipolar é diagnosticado em um número igual de homens e mulheres. Não se sabe ao certo por que a depressão parece afetar mais as mulheres do que os homens, enquanto a mania afeta ambos igualmente. Uma razão pode ser que a mania, com os seus sintomas muito visíveis, é muito mais facilmente reconhecidas do que a depressão. A depressão também pode passar despercebida nos homens.

Episódio anterior: Se você já teve grande mania uma vez antes, suas chances aumentam de desenvolvê-la novamente. A maioria daqueles que tiveram um episódio de transtorno bipolar, uma vez terá um segundo.

Hereditariedade: As pessoas que têm parentes que tiveram transtorno bipolar têm uma maior chance de desenvolver por si próprias. parentes imediatos (pais, irmãos, filhos) de pessoas com transtorno bipolar são 8 a 18 vezes mais propensos a desenvolver a doença do que aqueles que não estão relacionadas com as pessoas com transtorno bipolar. Ter um parente próximo com transtorno bipolar pode também aumentar as chances de uma pessoa desenvolver depressão maior.

 

Saiba mais Sobre Depressão

Doença mental

Todo mundo tem dias ruins. É perfeitamente normal sentir-se para baixo quando algo ruim acontece (por exemplo, você romper com seu namorado / namorada ou falhar em um exame). Se o seu mau humor persiste por um longo período de tempo, no entanto, e ele começa a afetar a sua capacidade para ter sucesso em sua vida diária (ou está fazendo você se sentir que não vale a pena viver), você pode estar sofrendo de depressão clínica profunda. Se você acha que você ou alguém que você conhece pode estar clinicamente deprimida, é uma boa idéia fazer uma consulta com seu conselheiro como um psicólogo ou médico de família.

 

Não pode haver muita confusão quando as pessoas usam a palavra depressão. Às vezes, a palavra é usada para significar quase qualquer tipo de sentimento negativo (por exemplo, solitário, infeliz, triste, desanimado, desmoralizado, descontente). Quando um consultor de saúde usa a palavra depressão, não significa um estado de espírito, elas significam um distúrbio mental, e às vezes eles usam a frase “depressão clínica“. Neste recurso a palavra “depressão” significa uma depressão clínica, não um sentimento negativo.

 

Existem diferentes tipos de depressão?

Sim, existem vários tipos de depressão. Este artigo se concentra além da abordagem geral em Transtorno Depressivo Maior, Transtorno Distímico e sazonal e Desordem afetiva porque eles são os transtornos depressivos mais susceptíveis de afetar a estudantes de faculdade / universidade.

A depressão pode ser tratada com êxito com a terapia e medicação.

 

Como é tratada a depressão?

A depressão é muito tratável, usando terapias e / ou medicação, psicológicos. Muitas vezes, psicoterapia e medicação serão prescritas em conjunto. Os tratamentos devem ser prestados por um profissional de saúde qualificado, utilizando as melhores intervenções em evidências (ou seja, as intervenções que têm sido apoiadas pela pesquisa de boa qualidade). Para distúrbios depressivos, terapia cognitivo-comportamental (TCC) e alguns medicamentos chamados inibidores seletivos de recaptação de serotonina são suportados pela pesquisa e foram prescritos e muito eficazes.

 

Dicas para combater os sentimentos negativos e para ajudar com tratamentos para qualquer doença mental

Vá para fora! Ficar dentro de casa o tempo todo, especialmente no inverno, pode ser muito desgastante. ficando fora e desfrutar do sol e ar fresco pode levantar o seu espírito auto-estima.

Exercício – Tente fazer pelo menos meia hora de atividade física vigorosa (por exemplo, uma caminhada rápida) a cada dia ou outras atividades física.

Ser social –  Mesmo que você não está com humor, você pode achar que estar com pessoas que você gosta ajuda você a se sentir melhor faça isso se esforce para estar no meio social.

Parar de pensar tanto – muito mais análise e ruminando sobre as coisas faz você se sentir pior. Desligue seu cérebro, apenas por um pouco não fique remoendo coisas negativas.

Converse – Converse com as pessoas que você pode confiar sobre seus sentimentos e preocupações. Compartilhar seus sentimentos com outra pessoa pode sentir como tirando um peso do peito.

Relax – Tire um tempo para si mesmo todos os dias. Considere tentar uma boa leitura, meditação ou exercícios de respiração.

Comer saudável – Comer uma dieta equilibrada dá a seu corpo o combustível que necessita para combater o stress e lhe trazer vigor físico e mental, opte por uma alimentação mais natural a base de hortaliças e frutas.

Fique longe de álcool e drogas – álcool e muitas drogas são depressores, o que significa que eles podem piorar seus sentimentos depressivos.

Rir – Assistir a um filme engraçado ou vídeos engraçados. Fale com alguém que te faz rir. Expondo-se a coisas que te fazem feliz é uma parte importante de se sentir melhor.

Resolver problemas – Assuma o controle. Considere um problema de cada vez e planeje possíveis soluções. Peça a alguém da sua confiança para ajudá-lo. Não tente lidar com tudo de uma vez; essa é a maneira mais rápida de se sentir sobrecarregado.

Estruturar o seu dia – Dê-se algo para fazer, você pode começar com pequenas coisas. Mesmo atividades como tomar banho, passear com o cão, ou fazer o almoço pode fazer você se sentir melhor. Tendo alguma estrutura no seu dia faz uma grande diferença na forma como você se sente. Manter um diário ou agenda pode ser uma grande ajuda, especialmente se você é uma pessoa visual.

Durma o suficiente – Você precisa de cerca de nove horas por noite.

 

Dicas para ajudar os outros com depressão

Se alguém que você gosta tem depressão, o melhor e a mais importante coisa que você pode fazer é apoiá-los nunca dirija palavras negativas ou critica a essa pessoa. A fim de apoiar alguém, você também precisa cuidar de si mesmo. Aqui ficam algumas sugestões:

Educar  Entendimento o que é depressão e como isso afeta a pessoa que você se preocupa o ajudará a ser menos frustrado e mais solidária.

Incentive o seu amigo a procurar ajuda – Ter alguém que ele / ela pode confiar, como você, é tão importante. Mas alguém tentando lidar com um transtorno mental também precisa de tratamento. Incentive-os a consultar um médico ou psicólogo para obter a ajuda que ele / ela precisa. Mesmo se os problemas não parecem ainda ruim, procurar ajuda precoce pode evitar problemas mais agrave.

Ouvir – Quando você ouve e reconhece os seus sentimentos, ela envia a mensagem de que você se importa. Sabendo que você tem pessoas que se preocupam com você é uma parte importante de recuperação de um transtorno mental.

Seja positivo – humores positivos podem ser contagiosos! É muito fácil para alguém com um transtorno mental se concentrar apenas nos aspectos negativos de sua vida. Compartilhando seu humor positivo pode ajudá-los a ver as coisas de uma perspectiva diferente.

Seja paciente – Às vezes pode ser frustrante quando eles começam a agir de forma diferente e não pode querer fazer tudo o que gostava. Respire fundo e lembre-se que a depressão é que os faz se sentir desta forma. Ela não pode simplesmente “sair dessa”. Ficando impaciente só vai piorar a situação. Permanecer positivo e ser paciente. Incentive-os a participar de eventos sociais. Ele / ela pode sentir como se muito trabalho ou esforço, mas provavelmente vai se sentir melhor depois.

Não se culpe – Não é sua culpa que eles têm depressão. Muitos fatores diferentes, incluindo a sua formação genética, meio ambiente e experiências de vida estão envolvidos. Ninguém pode “fazer” outra pessoa ter depressão.

Coloque-se em primeiro lugar – em um avião, eles dizem que você sempre coloca a sua máscara de oxigênio primeiro em caso de emergência antes de ajudar alguém. Você vai ser de nenhuma ajuda para ninguém se você está desmaiado. Com alguém com uma doença mental, se você queimar-se por sempre colocar ele ou ela em primeiro lugar, você não será capaz de ajudar ninguém. É absolutamente certo (e importante) você tomar tempo para cuidar de si mesmo.

Não tente mudar o seu amigo – Você não tem que resolver todos os seus problemas ou transformá-lo / a em um tipo diferente de pessoa. Basta estar presente e de suporte.

Divirtam-se juntos – Eles precisam de alguém que possa se ​​divertir, relaxar e rir com ele / ela. Estas são todas as partes importantes da sua saúde mental (e sua!).

Esteja ciente do risco de suicídio – Se eles falam sobre morte ou suicídio, não ignorá-lo ou mantê-lo em segredo. Falar com um adulto responsável que eles também confia (por exemplo, assistente de residência, conselheiro, treinador, professor etc). Que eles saibam que você se preocupa com ele / ela e sua vida. Se eles estão falando sobre o suicídio, pode ser a sua maneira de indiretamente pedir ajuda.

 

MEDICAMENTOS

Os remédios para depressão devem ser indicados pelo médico psiquiatra de acordo com as características do paciente porque possuem efeitos colaterais e podem interagir com outros medicamentos.

ABAIXO LISTA DE ALGUNS REMEDIOS USADOS PARA TRATAMENTO DA DEPRESSAO

Lista de remédios para depressão

Classe do antidepressivo Nomes Efeitos colaterais
Antidepressivos tricíclicos Imipramina, Clomipramina, Amitriptilina e Nortriptilina Boca seca, retenção urinária, prisão de ventre, delírios, sonolência, pressão baixa e tonturas ao levantar
Inibidores seletivos da recaptação da serotonina Fluoxetina, Paroxetina, Citaprolam, Escitaprolam e Sertralina Enjoos, boca seca, sonolência, produção excessiva de suor, tremores, prisão de ventre, dor de cabeça e problemas de ejaculação
Inibidores da recaptação da serotonina e da noradrenalina Venlafaxina, Duloxetina e Mirtazapina Boca seca, insônia, nervosismo, tremores, sonolência, enjoos, vômitos, problemas de ejaculação, excesso de suor e visão turva

 

Além dos efeitos colaterais referidos, os remédios para depressão engordam, porque alteram o metabolismo do organismo e levam ao acúmulo de gordura, porém em alguns indivíduos os remédios podem fazer perder peso.

 

Tags: depressão, transtorno bipolar, remédios para depressão, como curar depressão, depressão grave, doença depressão, depressão e o suicídio, depressão infantil,


Dengue

dengue

O que é dengue e como ela é tratada?

 

Dengue e dengue grave





 

A dengue é uma infecção viral transmitida pela picada de um mosquito fêmea infectada aedes aegypti. Há quatro sorotipos diferentes do vírus da dengue (DEN 1, DEN 2, DEN 3 e DEN 4). Os sintomas da dengue aparecem em 3-14 dias (média de 4-7 dias) após a picada infectante. A dengue é uma doença semelhante à gripe que afeta lactentes, crianças jovens e adultos.

 

Não há tratamento específico para a dengue. Dengue grave é uma complicação potencialmente letal, mas cedo o diagnóstico clínico e manejo clínico cuidadoso por médicos experientes e enfermeiras muitas vezes pode salvar vidas.

 

Mais de 70% da carga de doenças é no Brasil no Sudeste da Ásia e no Pacífico Ocidental. Na América Latina e no Caribe, a incidência e gravidade da doença têm aumentado rapidamente nos últimos anos. As regiões de África e Mediterrâneo Oriental também registraram mais focos da doença dengue nos últimos dez anos. Em 2010 transmissão autóctone de dengue também foi relatado em dois países da Europa. A urbanização, a rápida circulação de pessoas e bens, condições climáticas favoráveis ​​e à falta de pessoal treinado têm contribuído para o aumento global da dengue.

 

Quais os  sintomas da dengue?

 

Muitas pessoas, especialmente crianças e adolescentes, podem apresentar sinais ou sintomas durante um caso leve de dengue. Quando os sintomas ocorrem, eles geralmente começam de quatro a 10 dias após ser mordido por um mosquito infectado.

Os sinais e sintomas da febre da dengue incluem mais comumente:

Febre, tão alta quanto (41 C)

Dores de cabeça

Músculo, osso e dor nas articulações

Dor atrás dos olhos

Você também pode experimentar:

erupção cutânea generalizada

Náusea e vomito

Raramente, sangramento menor de suas gengivas ou nariz

A maioria das pessoas se recupera dentro de uma semana. Em alguns casos, os sintomas pioram e pode tornar-se ameaçador à vida. vasos sanguíneos tornam-se frequentemente danificado e permeável. E o número de formação de coágulo de células (plaquetas) em sua corrente sanguínea cai. Isto pode causar:

Sangramento do nariz e da boca

dor abdominal intensa

vômitos persistentes

Sangramento sob a pele, o que pode parecer com hematomas

Problemas com o seu pulmões, fígado e coração

 

Quando consultar um médico se sintomas de dengue?

 

Se você visitou recentemente uma região em que a dengue é conhecida por ocorrer e de repente você desenvolver uma febre, consulte o seu médico.

 

Qual o tratamento da dengue?




 

Não há tratamento específico para a dengue.

Para dengue grave, cuidados médicos por médicos e enfermeiros experientes com os efeitos e progressão da doença pode salvar vidas  diminuição das taxas de mortalidade de mais de 20% para menos de 1%. A manutenção do volume de fluido corporal do paciente é crítico para cuidados da dengue grave.
Qual as Causas da dengue?

 

A dengue é causada por qualquer um dos quatro vírus da dengue transmitida por mosquitos que se desenvolvem em e perto alojamentos humanos.

Quando um mosquito pica uma pessoa infectada com um vírus de dengue, o vírus entra no mosquito. Quando o mosquito infectado pica outro, em seguida, pessoa, o vírus entra corrente sanguínea da pessoa.

 

Depois de ter recuperado de dengue, você tem imunidade ao vírus que infectou – mas não para os outros três vírus da dengue. O risco de desenvolver dengue grave, também conhecida como febre hemorrágica da dengue, na verdade aumenta se você for infectado uma segunda, terceira ou quarta vez.

 

Qual os Fatores de risco da dengue?

 

Fatores que o colocam em maior risco de desenvolver a dengue ou uma forma mais grave da doença incluem:

1-A dengue é uma infecção viral transmitida por mosquitos.

2-A infecção provoca doenças semelhantes à gripe e, ocasionalmente, se desenvolve em uma complicação potencialmente letal chamada dengue grave.

3-A incidência global da dengue cresceu dramaticamente nas últimas décadas. Cerca de metade da população do mundo está agora em risco.

4-Dengue é encontrado em climas tropicais e sub-tropicais em todo o mundo, principalmente em áreas urbanas e semi-urbanas.

dengue grave é uma das principais causas de doença grave e morte entre crianças em alguns países asiáticos e latino-americanos.

5-Não há tratamento específico para a dengue / dengue grave, mas a detecção precoce e acesso a cuidados médicos adequados reduz as taxas de mortalidade abaixo de 1%.

6-prevenção e controle da dengue depende apenas medidas de controle de vetores eficazes.

 

Vivem ou viajam em áreas tropicais. Estar em áreas tropicais e subtropicais aumenta o risco de exposição ao vírus causador da dengue. Especialmente áreas de alto risco são o Sudeste Asiático, as ilhas do Pacífico Ocidental, América Latina e Caribe.

 

Infecção anterior com um vírus da dengue. Infecção anterior com um vírus da dengue aumenta o risco de ter sintomas graves se você for infectado novamente com dengue.

 

Quais as complicações da dengue?

 

Se for grave, febre de dengue pode danificar os pulmões, fígado ou coração.

A pressão arterial pode cair para níveis perigosos, causando choque e, em alguns casos, a morte.

 

A resposta da OMS para dengue.

 

OMS responde a dengue nas seguintes formas:

Apoia os países na confirmação de focos através da sua rede de colaboração de laboratórios;

Fornece suporte técnico e orientação aos países para a gestão eficaz de surtos de dengue;

Apoia os países para melhorar os seus sistemas de informação e capturar o verdadeiro peso da doença;

Oferece treinamento em manejo clínico, diagnóstico e controle de vetores, a nível regional, com alguns dos seus centros colaboradores;

Formula estratégias e políticas baseadas em evidências;

Desenvolve novas ferramentas, incluindo produtos inseticidas e tecnologias de aplicação;

Reúne registros oficiais de dengue e dengue grave em mais de 100 Estados-Membros; e

Publicam orientações e manuais de gestão de casos, diagnóstico, prevenção e controle da dengue para os Estados-Membros



 

Tags: dengue, dengue grave, vírus da dengue, o que é dengue, como tratar a dengue, dengue hemorrágica, aedes aegypti, mosquito da dengue.


Colesterol

colesterol avidaplenadesaude

Tudo sobre  Colesterol

O que é o colesterol? Como diminuir ou eliminar o mal colesterol?

O colesterol é uma forma de gordura que existe no sangue e todas as células do corpo. É extremamente importante para ajudar as membranas celulares forma, hormônios esteróides e ácidos biliares, mas o colesterol também pode acumular-se nas paredes internas das artérias que fornecem sangue ao coração. Esses depósitos pode contribuir para a formação de placa, o que pode fazer com que as artérias para tornando-as menos eficientes no transporte de sangue.

 

Esta condição pode levar a doença cardíaca coronária. Você pode ajudar a reduzir o risco de um evento cardíaco em reduzir seu colesterol a um nível saudável recomendado pelo seu médico.

Existem dois tipos de colesterol que podem ser medidos:

As lipoproteínas de baixa densidade (LDL) Este é o colesterol “ruim”, o que aumenta o seu risco de doença cardíaca. O excesso de LDL no sangue pode levar a um acúmulo de colesterol e bloqueios das artérias.

 

As lipoproteínas de alta densidade (HDL) Isto é conhecido como o colesterol “bom” porque ele funciona para retardar o acúmulo de colesterol, levando-o longe das artérias a ser expulso do corpo. Altos níveis de HDL colesterol parecem ajudar a proteger contra ataques cardíacos e outras complicações cardiovasculares.  Conheça o seu LDL (mau) Colesterol.

Tenha seu colesterol controlado! Seu LDL (mau) colesterol alto é muito importante o controle. Seu número de meta individual será baseado no seu histórico médico e eventuais fatores de risco ou predisposição genética poderá contribuir para a doença cardíaca.

 

Pergunte ao seu médico qual a sua meta qual nível deve ser. A pessoa média deve tentar manter um nível de colesterol LDL abaixo de 130 mg / dL. Se você tiver uma doença cardíaca ou diabetes, seu objetivo deve ser inferior a 100 mg / dL. Pergunte ao seu médico para ajudá-lo a desenvolver o plano certo para reduzir seu número de colesterol para o ideal.

 

Como combater ou diminuir o colesterol?

 

Combater o colesterol elevado não é fácil, mas é muito importante! Se você tem colesterol alto, as diretrizes sugerem que você deve ter mais cuidado com o que você come e deve se exercitar mais. Você também pode tomar uma medicação diária para ajudar a reduzir os níveis de colesterol LDL. No entanto, mais de 60 por cento das pessoas trata o colesterol elevado com dieta, exercício e medicação ainda assim não reduziram seu colesterol para um nível saudável.

 

As consequências podem ser muito graves, porque quanto mais elevados os níveis de colesterol, maior será o seu risco de um ataque cardíaco. Para montar uma estratégia bem-sucedida contra o colesterol, você e seu médico podem necessitar de expandir o tempo de seu tratamento.

Há duas fontes de colesterol

Além de serem encontrados nos alimentos que comemos, o colesterol é produzido naturalmente no corpo. Na verdade, a maioria das pessoas não sabe que a hereditariedade tem muito a ver com colesterol alto. É verdade, existem duas fontes de colesterol: O colesterol vem do alimento que você come, e seu corpo também produz naturalmente.

 

A quantidade que você produz é influenciada por sua hereditariedade. Modificações de estilo de vida como dieta e exercício físico ajuda a reduzir o colesterol, embora muitos pacientes ainda têm níveis mais elevados de LDL (mau) colesterol do que deveriam. É importante para o tratamento de ambas as fontes de colesterol  proporcionar um tratamento mais abrangente do colesterol, mesmo reduzindo ainda a um nível saudável. Converse com seu médico para saber que tipo de tratamentos, se houver, é o certo para você.

 

Faça dieta saudável e atividade física regular tenha isso como uma prioridade

Embora a medicina pode ser necessária para reduzir o colesterol, é sempre importante manter um estilo de vida saudável, que inclui baixa ingestão gordura saturada e alimentos de baixo colesterol e também a atividade física regular.  Muitas pessoas têm dificuldade com o colesterol elevado simplesmente porque seu corpo produz muito dele. Mas os alimentos que são ricos em colesterol ou gorduras saturadas também contribuem para o problema.

 

Para comer saudável, tente evitar óleos em saladas, remover o excesso de gordura da carne, e tirar a pele do frango. Leia os rótulos e substituir alimentos com maior teor de gordura adquirir aqueles que são mais baixos em gordura. Considere métodos de cozimento saudáveis ​​para o coração, como assar, grelhar. Use pequenas quantidades de gordura poliinsaturada ou monoinsaturada.

Faça  atividade física regular para queimar gordura.

 

O que é o colesterol elevado?

Você tem um fígado? Então você produzir colesterol.

Nosso fígado produz em qualquer lugar de 1-2 gramas de colesterol por dia. A produção pode diminuir quando comemos alimentos ricos em colesterol e aumentar quando comemos alimentos sem colesterol.

Nome do colesterol vem das palavras gregas Khole, ou bile (desde que foi isolado pela primeira vez a partir de cálculos biliares), e aparelhos de som, ou sólidos, o que indica que ele é parte de uma classe de moléculas que são conhecidos coletivamente como esteróis. (O termo “esteróides” vem dessa raiz comum.)

O colesterol é necessário para produzir vitamina D, hormonas esteróides e ácidos biliares. É também um componente das membranas celulares.

 

Lipoproteínas

O colesterol é gordura e não se mistura bem com o sangue, por isso, viaja no nosso sangue através de uma proteína ¨ invólucro ” conhecida como uma lipoproteína (o prefixo “lipo” é semelhante a “lípidos”, e ambos vêm das lipos grego, significando gorda).

Muitas vezes ouvimos sobre HDL e LDL colesterol – estes realmente não são colesterol por se, mas sim as proteínas “ invólucro ” que transportam o colesterol.

HDL, também conhecido como lipoproteína de alta densidade, conhecido como “colesterol bom“, o excesso de colesterol é levado para o fígado para eliminação.

 

O LDL, também conhecido como a lipoproteína de baixa densidade, também conhecido como “mau” colesterol, também tem um trabalho importante: ela transporta o colesterol e de gordura a partir do fígado para o resto do corpo.

Representante mau de LDL ocorre porque é também o principal ingrediente de placa navio. Colesterol de LDL parece ser a mais problemática quando se trata de coração e dos vasos da saúde, já que é frágil e susceptível à oxidação. A oxidação é uma má notícia.

Outra lipoproteína, chamado Lp (a), pode ajudar a restaurar vasos sanguíneos danificados em um corpo saudável. Mas algumas pessoas têm muito Lp (a), e pode concentrar-se nos locais de artérias danificadas, levando ao acúmulo de placa.

 

Porque é que o colesterol elevado é tão importante?

Parece haver uma associação entre níveis elevados de colesterol e risco de morte prematura por doença cardiovascular.

210 mg / dl é o nível médio de colesterol para aqueles em países desenvolvidos. Este nível prevê 50% de chance de morte prematura devido a aterosclerose.

Indo de 200 mg / dl a 260 mg / dl alavanca a chance de morte em 500%. estudos mostrou que ninguém tenha morrido de doença cardiovascular, tendo um nível de colesterol abaixo de 130 mg / dl.
Alguns dados sobre nutrição / estilo de vida indicaram uma redução de 40% nos níveis de LDL ao longo de um ano. Assim, se seu LDL é de 130 mg / dl e você incorporar as recomendações neste artigo, um ano a partir de hoje, o LDL pode ser de 90 mg / dl.

Vejam mais dicas para controlar o colesterol

Como controlar o colesterol no sangue?

Vamos delinear o que podemos fazer para controlar o colesterol no sangue.

1: você deve perder peso e ficar magra(o)

O teste globo ocular é suficiente aqui – se alguém olha para você e percebe que você esta acima do peso é má sinal.

Ganhar gordura corporal provavelmente irá aumentar o colesterol no sangue. Se a gordura corporal diminui, o colesterol também o fará.

2: Coma pelo menos algumas porções de frutas e legumes todos os dias

Existem inúmeras substâncias nos alimentos que têm propriedades para baixar o colesterol. Muitos são encontrados em vegetais e frutas.

Se você realmente quiser fazer uma baixa em seu colesterol, ingerir cerca de 90% de sua ingestão de alimentos a cada dia a partir de vegetais, frutas, feijão, grãos integrais e nozes / sementes.

3: Comer pelo menos uma xícara de grãos integrais por dia

Comer alimentos de grãos integrais está associado com uma redução de 15 até 25% de morte prematura por todas as causas. Na verdade, os pesquisadores descobriram que aqueles que comiam 6 ou mais porções de grãos integrais por semana tinham menos placas em suas artérias que aqueles que comiam cereais integrais com menos frequência. Comendo de 3 ou mais grãos inteiros cada dia significa um risco 30% inferior de doença aterosclerótica.

4: Comer algumas porções de legumes todos os dias

Os legumes são ricos em fibras. Liga-se a fibra de colesterol no trato digestivo.

5: Coma, pelo menos, 1/3 xícara de nozes / sementes a cada dia

Claramente, você iria querer esse alimento em vez de variedade açucarada / assado. Estas potências nutricionais estão seriamente a reduzir o colesterol ruim.

6: Coma / suplemento com ômega-3 (algas ou óleos de peixe)

Alimentos e suplementos com gorduras omega-3 têm sido relatados em vários grandes estudos clínicos para reduzir os níveis de LDL.

7: Exercício pelo menos 5 horas por semana

Suar por pelo menos 5 horas por semana. alterne entre o treinamento de resistência, condicionamento e flexibilidade.

Esta é uma das poucas maneiras de aumentar o HDL. E queimar gordura.

8: Comer com abundância ervas e especiarias

Isso inclui gengibre, alho, e curcumina. Gengibre pode aumentar a circulação e curcumina pode bloquear a absorção de colesterol no intestino.

Mesmo cacau pode ajudar. o Chocolate é  rico em Flavonoide pode diminuir o LDL, HDL aumentar e reduzir a viscosidade das plaquetas, mas coma com moderação.

Número 9: Limite de carne, alimentos processados, gorduras trans e laticínios

Muita carne e gordura trans parecem ser um mau negócio para o colesterol no sangue.  alimentos processados ​​e produtos lácteos são ricos em colesterol- consuma o menos  possível desses produtos para maximizar o seu controle do colesterol.

10: Beba pelo menos 4 xícaras de chá por dia

Chá pode ajudar a diminuir o colesterol no sangue, reduzir a placa arterial, melhorar a função dos vasos sanguíneos e diminuir a oxidação lipídica. Se você beber café ou refrigerante, onde há muita cafeína. A cafeína pode aumentar os níveis de colesterol em cerca de 10%.

Finalmente, você não deve beber álcool não usá-lo nem em pequenas quantidades om álcool desequilibra o bom funcionamento do organismo.

 

suplementos

Óleos ômega-3 –  é Anti-inflamatório e anti-coagulação. Eles também podem ajudar a converter pequenas partículas densas de LDL em versões flutuantes maiores. Isso é uma coisa boa. 1 a 4 gramas por dia.

Niacina (vitamina B3) – Isto pode aumentar HDL, enquanto diminui LDL e Lp (a). Atente para o rubor induzido pelo niacina, que é o resultado da vasodilatação. Diminui o rubor ao tomar a niacina com alimentos ou uma pequena dose de aspirina. Demasiado B3 pode causar estresse e toxicidade hepática. 500 a 2000 mg por dia com alimentos.

L-carnitina – Este produto pode ajudar a controlar Lp (a). 1 grama duas vezes por dia pode ser útil.

Uma nota sobre o colesterol dietético

O colesterol da dieta tem um impacto mínimo sobre o colesterol do sangue para a maioria dos indivíduos. Em geral, ovos não parece ter um efeito negativo sobre as medidas de colesterol no sangue. Os ovos e ômega-3 pode até ter um efeito benéfico, uma vez que melhora as proteínas do sangue e diminui a glucose no sangue.

resumo e recomendações

mantenha-se magro(a)

Coma pelo menos 5 porções de frutas e legumes todos os dias

Coma pelo menos uma xícara de grãos integrais por dia

Coma pelo menos duas porções de legumes todos os dias

Coma, pelo menos, 1/3 xícara de nozes / sementes a cada dia

toma / suplemento com ômega-3 (óleos de algas ou de peixe)

Exercício pelo menos 5 horas por semana

Comer em abundância ervas e especiarias

Diminui Carne, limite alimentos processados, gorduras trans e laticínios

extra

Se você diminuir o seu colesterol LDL em 1%, você diminui sua chance de morte cardiovascular em 2% a 3%.

Se você aumentar o seu HDL por 1 mg / dl, você diminui sua chance de morte cardiovascular em 2% a 3%.

Em aqueles que comem uma dieta baseada em plantas, uma alta taxa de potássio / manganês podem colidir acima de colesterol no sangue. Níveis extremamente baixos de sódio também pode contribuir para um aumento de LDL.

Alguns especialistas afirmam que quase todas as pessoas com idade superior a 40 anos que são sedentários e come uma dieta rica em gorduras são propensos a ter uma quantidade significativa de aterosclerose em suas artérias coronárias.

Tomando alguns cuidados e seguindo essas dicas você terá uma vida saudável livre de colesterol.

 

ABAIXO ALGUNS REMEDIOS PARA CONTROLAR O COLESTEROL:

ATROVASTATINA

SINVASTATINA

CIPOFRIBATO

ZOOCOR

CRESTOR

ROSUVASTATINA

CLIQUE AQUI PARA COMPRAR OMEGA 3

 

 

Tags: colesterol, LDL, HDL, bom colesterol, mal colesterol, o que é colesterol, como eliminar colesterol, gordura, sinvastatina, atrovastatina, ômega3, remédio para colesterol, triglicerideos.


Ansiedade

O que são Distúrbios de Ansiedade?

Portrait of a woman holding her head with a pained expression.




O que é ansiedade, como diagnosticar a ansiedade e quais são as causas da ansiedade?

O termo “ansiedade” tem várias definições nos dicionários não técnicos: aflição, angústia, perturbação do espírito causada pela incerteza, relação com qualquer contexto de perigo, entre outros.

Levando-se em conta o aspecto técnico, devemos entender ansiedade como um fenômeno que ora nos beneficia, ora nos prejudica, dependendo das circunstâncias ou intensidade, e que tornar-se patológico, isto é, prejudicial ao nosso funcionamento psíquico (mental) e somático (corporal).

A ansiedade estimula o indivíduo a entrar em ação, porém, em excesso, faz exatamente o contrário, impedindo reações.

Ansiedade ocasional é uma parte normal da vida. Você pode se sentir ansioso quando confrontados com um problema no trabalho, antes de fazer um teste, por exemplo, você pode ficar ansioso ao tirar a habilitação, ficar ansioso para uma entrevista de emprego, ou tomar qualquer decisão importante. Os transtornos de ansiedade envolve mais preocupação ou medo temporário. Para uma pessoa com um transtorno de ansiedade, a ansiedade não vai embora e pode piorar com o tempo. Esses sentimentos podem interferir com as atividades diárias, tais como o desempenho no trabalho, trabalho escolar, e relacionamentos.

Há uma variedade de perturbações de ansiedade. Coletivamente elas estão entre os distúrbios mentais mais comuns.

Tipos de Transtornos de Ansiedade

Existem três tipos de transtornos de ansiedade discutidos neste website:

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

Transtorno do Pânico

Transtorno de Ansiedade Social (Fobia Social)

Sinais e sintomas da ansiedade

Ao contrário da breve ansiedade relativamente suave, causada por um evento específico (como falar em público ou em um primeiro momento), a ansiedade severa que dura pelo menos seis meses é geralmente considerada como problema que pode precisar de avaliação e tratamento da ansiedade. Cada transtorno de ansiedade tem sintomas diferentes, mas todos os sintomas se aglomeram em torno do excessivo medo irracional e pavor.

Os transtornos de ansiedade ocorrem geralmente junto com outras doenças mentais ou físicas, incluindo o álcool ou o abuso de substâncias, que podem mascarar os sintomas da ansiedade ou torná-los pior. Em alguns casos, estes problemas têm de ser tratados

Enquanto alguns sintomas, como medo e preocupação demasiada, ocorrem em todos os transtornos de ansiedade, cada transtorno também tem sintomas distintos.

Diagnóstico e Tratamento da ansiedade

Os transtornos de ansiedade são tratáveis. Se você acha que tem um transtorno de ansiedade, fale com o seu médico.

Por vezes uma avaliação física é aconselhável para determinar se uma pessoa com ansiedade está associada com uma doença física. Se a ansiedade é diagnosticada, o padrão de sintomas concomitantes deve ser identificado, bem como quaisquer problemas coexistentes, tais como depressão ou abuso de substâncias. Às vezes, alcoolismo, depressão, ou outras coexistentes condições têm um efeito tão forte sobre o indivíduo que tratar a ansiedade deve esperar até que os problemas coexistentes mencionados acima sejam controlados ou eliminados.

Com o tratamento adequado, muitas pessoas com transtornos de ansiedade pode levar uma vida normal. Se o seu médico pensa que você pode ter um transtorno de ansiedade, o próximo passo é geralmente ir a um profissional de saúde mental. É aconselhável procurar ajuda de profissionais que têm experiência específica no diagnóstico de tratamento da ansiedade. Certos tipos de terapia comportamental cognitiva e certos medicamentos para ansiedade são sugeridos para ser especialmente útil para a ansiedade.

Você deve se sentir à vontade para falar com o profissional de saúde mental que você escolher. Se você não fizer isso, você deve procurar ajuda em outro lugar. Depois de encontrar um médico com quem você está confortável, vocês dois devem trabalhar como uma equipe e fazer um plano para tratar seu transtorno de ansiedade em conjunto.

Em geral, desordens de ansiedade são tratados com medicamentos, tipos específicos de psicoterapia, ou ambos. Opções de tratamento dependem do tipo de desordem, a preferência da pessoa e da experiência do médico.

Pessoas com transtorno de ansiedade que já receberam tratamento devem informar o seu médico sobre o tratamento em detalhe. Se eles receberam medicação, eles devem informar o seu médico qual medicamento foi utilizado, que dose era no início do tratamento, se a dosagem foi aumentada ou diminuída, enquanto eles estavam em tratamento do transtorno de ansiedade, quais os efeitos secundários ocorreram, e se o tratamento ajudou a se tornarem menos ansioso. Se eles receberam a psicoterapia, eles devem descrever o tipo de terapia, quantas vezes eles participaram de sessões, e se a terapia foi útil.

Muitas vezes as pessoas acreditam que eles “falharam” no tratamento ou que o tratamento não funcionou para eles, quando, na verdade, não foi dado por um período de tempo adequado ou foi administrado de forma incorreta. Às vezes as pessoas devem experimentar diferentes tratamentos ou combinações de tratamento antes de encontrar o que funciona para eles.

A maioria dos planos de seguro, incluindo a manutenção da saúde organizações, irá cobrir o tratamento de transtornos de ansiedade. Verifique com sua companhia de planos de saúde para saber. Se você não tem plano de saúde, verifique se o sus oferece tratamento de saúde mental em um hospital público de saúde mental e cobre as despesas.

 Medicação para ansiedade

Medicação não necessariamente cura transtornos de ansiedade, mas muitas vezes reduz os sintomas. Medicação normalmente deve ser prescrita por um médico. Um psiquiatra é um médico especialista em transtornos mentais. Muitos psiquiatras oferecem psicoterapias ou trabalha como uma equipe com psicólogos, assistentes sociais, conselheiros ou que fornecem psicoterapia. Os principais medicamentos usados ​​para tratar distúrbios de ansiedade são os antidepressivos, ansiolíticos, e betabloqueadores. Esteja ciente de que alguns medicamentos só são eficazes se forem tomados regularmente e que os sintomas de ansiedade podem reaparecer se a medicação é interrompida.

Escolhendo o remédio certo, dose da medicação, e plano de tratamento deve ser baseada nas necessidades individuais de uma pessoa e situação patológica, e feito sob os cuidados de um especialista. Apenas um médico especialista pode ajudá-lo a decidir se a capacidade da medicina para ajudar sobrepõe os riscos de um efeito colateral. O seu médico pode tentar vários medicamentos antes de encontrar o mais indicado.

Você e seu médico devem discutir:

Se os medicamentos estão funcionando ou se pode trabalhar para melhorar seus sintomas.

Analisar os benefícios e efeitos colaterais de cada medicamento.

Risco de um grave efeito colateral com base no seu histórico médico.

Qual a probabilidade que os medicamentos vão exigir mudanças de estilo de vida.

Os custos de cada medicamento.

Outras terapias alternativas, medicamentos, vitaminas e suplementos que você está tomando e como estes podem afetar o seu tratamento.

Como a medicação deve ser interrompida. Alguns medicamentos contra ansiedade não pode ser interrompido abruptamente, mas deve ser gradualmente reduzidos lentamente sob a supervisão de um médico.

Psicoterapia contra ansiedade

Psicoterapia (às vezes chamado de “terapia da conversa”) envolve  falar com um médico treinado, como um psiquiatra, psicólogo, assistente social ou conselheiro, para entender o que causou um transtorno de ansiedade e como lidar com ele.

Terapia cognitivo-comportamental (TCC)

TCC pode ser útil no tratamento de perturbações de ansiedade. Ela pode ajudar as pessoas a mudar os padrões de pensamento que suportam os seus medos e mudar a maneira como eles reagem a situações que provocam ansiedade.

Por exemplo, CBT pode ajudar as pessoas com transtorno do pânico aprender que seus ataques de pânico não são realmente ataques cardíacos e ajudar as pessoas com fobia social aprender como superar a crença de que os outros estão sempre observando e julgando. Quando as pessoas estão prontas para enfrentar seus medos, eles são mostradas como usar técnicas de exposição para dessensibilizar-se a situações que desencadeiam as suas ansiedades.

Tratamento com base na exposição tem sido utilizado há muitos anos para o tratamento de fobias espenicas. A pessoa gradualmente encontra o objeto ou situação que é temido, talvez num primeiro momento apenas através de fotos ou fitas, e depois face-a-face. Às vezes, o terapeuta irá acompanhar a pessoa a uma situação temida para fornecer apoio e orientação. Exercício de exposição é realizado uma vez que o paciente decide que ele está pronto para isso e com a sua cooperação.

Para ser eficaz, o tratamento de ansiedade deve ser dirigido para ansiedades específicas da pessoa e devem ser adaptados às suas necessidades. Um “efeito colateral” típico é o desconforto temporário envolvido com o pensamento sobre confrontar situações temidas.

CBT pode ser realizada individualmente ou com um grupo de pessoas que têm problemas semelhantes. A terapia de grupo é particularmente eficaz para fobia social. Muitas vezes “lição de casa” é atribuída para que os participantes concluam entre as sessões. Se uma desordem se repete numa data posterior, do mesmo a terapia pode ser utilizada para tratar com sucesso uma segunda vez.

A medicação pode ser combinada com a psicoterapia para transtornos da ansiedade, e o tratamento de combinação foi sugerido para ser a melhor abordagem para muitas pessoas.

Algumas pessoas com transtornos de ansiedade podem se beneficiar de aderir a uma autoajuda ou grupo de apoio e compartilhar seus problemas e realizações com outras pessoas. Sala de chat na Internet também pode ser útil a este respeito, mas quaisquer pareceres recebidos através da Internet devem ser usados com cautela, como conhecidos da Internet têm geralmente nunca visto um ao outro e identidades falsas são comuns. Conversando com um amigo ou membro do clero também pode fornecer apoio, mas não é necessariamente uma alternativa suficiente para descuidar de um médico especialista.

Técnicas de gerenciamento de estresse como meditação podem ajudar as pessoas com transtornos de ansiedade acalmar-se e podem aumentar os efeitos da terapia. Há uma evidência preliminar que o exercício aeróbico pode ter um efeito calmante. Desde cafeína, certas drogas ilícitas, e medicamentos frio pode agravar os sintomas de transtornos de ansiedade, devem ser evitadas essas substancias. Verifique com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicação adicional.

A família pode ser importante na recuperação de uma pessoa com uma perturbação de ansiedade. Idealmente, a família deve ser de suporte, mas não ajudam a perpetuar os sintomas de seu ente querido. Os membros da família não deve banalizar a doença ou a melhoria da demanda sem tratamento.

 




Tags: distúrbio de ansiedade, ansiedade severa, o que é ansiedade, causas da ansiedade, perturbação de ansiedade, tratamento de ansiedade, remédio para ansiedade, depressão e ansiedade, saúde mental, terapia comportamental cognitiva, sintomas de ansiedade.


Alzheimer

Talzheimers




No Brasil, existem cerca de 15 milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade. Seis por cento delas sofrem do Mal de Alzheimer, segundo dados da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz). Em todo o mundo, 15 milhões de pessoas têm Alzheimer, doença incurável acompanhada de graves transtornos às vítimas. Nos Estados Unidos, é a quarta causa de morte de idosos entre 75 e 80 anos. Perde apenas para infarto, derrame e câncer.

A doença de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa, progressiva, caracterizada no cérebro por aglomerados anormais (placas amilóides) e feixes de fibras entrelaçadas (emaranhados neurofibrilares), composto de proteínas extraviado. A idade é o fator de risco mais importante para a doença de Alzheimer. O número de pessoas com a doença Alzheimer dobra a cada 5 anos além da idade 65. Três genes foram descobertos que causam início precoce (ou família) Alzheimer. Outras mutações genéticas que causam a acumulação excessiva de proteína amilóide estão associados a relacionada com a idade (esporádica) Alzheimer.

Os sintomas da doença de Alzheimer incluem perda de memória, deterioração da linguagem, diminuição da capacidade de manipular mentalmente a informação visual, o julgamento pobre, confusão, inquietação e mudanças de humor. Eventualmente, a doença de Alzheimer destrói cognição, personalidade e a capacidade de funcionar. Os sintomas iniciais da doença de Alzheimer, que incluem esquecimento e perda de concentração, são muitas vezes perdida porque se assemelham a sinais naturais do envelhecimento.

Comprometimento da memória (capacidade prejudicada de aprender novas informações ou de recordar informações anteriormente aprendidas)

E uma (ou mais) dos seguintes distúrbios cognitivos devidos doença Alzheimer:

Deterioração da linguagem pode ser manifestada mediante a apresentação dos nomes de pessoas e objetos dificuldade (afasia)

Uma capacidade prejudicada de executar atividades motoras (como pentear o cabelo), apesar de habilidades intactas motor, função sensorial e compreensão da tarefa exigida (apraxia)

A incapacidade de reconhecer ou identificar objetos, apesar de função sensorial intacta (agnosia)

A perturbação do funcionamento executivo (por exemplo, planejamento, organização, seqüenciamento, abstração)

Os déficits cognitivos acima de cada causar prejuízo significativo no funcionamento social ou ocupacional e representam um declínio significativo a partir de um nível anterior de funcionamento. O curso é caracterizada pelo aparecimento gradual e contínuo declínio cognitivo. Os déficits não ocorrem exclusivamente durante o curso de um delírio sintomas Alzheimer.

Os défices cognitivos são acima não devido a qualquer das seguintes características:

Outras condições do sistema nervoso central que causam déficits progressivos na memória e cognição (por exemplo, doença cerebrovascular, doença de Parkinson, doença de Huntington, hematoma subdural, hidrocefalia de pressão normal, tumor cerebral)

Condições sistêmicas que são conhecidos por causar demência (por exemplo, o hipotireoidismo, B-12 ou deficiência de ácido fólico, deficiência de niacina, hipercalcemia, neurossífilis vitamina, a infecção pelo HIV)

condições induzidas por substâncias

As causas da doença de Alzheimer

Os cientistas não compreendem ainda plenamente o que causa a doença de Alzheimer. Provavelmente não é uma causa única, mas vários fatores que afetam cada pessoa de forma diferente. A idade é o mais importante fator de risco conhecido para a doença de Alzheimer. O número de pessoas com a doença Alzheimer dobra a cada cinco anos para além dos 65 anos.

A história familiar é outro fator de risco. Os cientistas acreditam que a genética pode desempenhar um papel em muitos casos de doença de Alzheimer. Por exemplo, a doença de Alzheimer familiar, uma forma rara de doença de Alzheimer, que geralmente ocorre entre as idades de 30 e 60, podem ser herdadas. No entanto, na forma mais comum de doença de Alzheimer, que ocorre mais tarde na vida, nenhum padrão óbvio família é visto. Um fator de risco para este tipo de doença de Alzheimer é uma proteína chamada apolipoproteína E (apoE).

Todo mundo tem apoE, o que ajuda o colesterol carry no sangue. O gene da apoE tem três formas. Uma parece proteger uma pessoa contra a doença de Alzheimer, e outro parece tornar o indivíduo mais susceptível de desenvolver a doença. Outros genes que aumentam o risco de doença de Alzheimer ou que protegem contra a doença de Alzheimer, provavelmente, continuam a ser descobertos.

Os cientistas ainda precisa aprender muito mais sobre o que causa a doença de Alzheimer. Além da genética e da apoE, eles estão estudando educação, alimentação, meio ambiente e vírus para saber qual o papel que pode desempenhar no desenvolvimento desta doença.

O tratamento da doença de Alzheimer

Não existe cura para a doença de Alzheimer e não há maneira de retardar a progressão da doença. Para algumas pessoas nos estágios iniciais ou médio da doença de Alzheimer, medicação, como tacrina (Cognex) pode aliviar alguns sintomas cognitivos. Donepezil (Aricept), a rivastigmina (Exelon), e galantamina (Reminyl) pode manter alguns sintomas de se agravar por um tempo limitado. Um quinto da droga, a memantina (Namenda), foi recentemente aprovado para uso nos Estados Unidos. Combinando memantina como drogas doença do Alzheimer pode ser mais eficaz do que qualquer terapia individual. Um ensaio clínico controlado descobriu que os pacientes que receberam medicamentos para Alzheimer donepezil mais memantina tiveram melhor cognição e outras funções do que os pacientes que receberam donepezil sozinho. Além disso, outros medicamentos podem ajudar a controlar os sintomas comportamentais, tais como insônia, agitação, errante, ansiedade e depressão.

A doença de Alzheimer é uma doença progressiva, mas o seu curso pode variar de 5 a 20 anos. A causa mais comum de morte em pacientes com doença de Alzheimer é a infecção.

O tratamento leve a moderada doença de Alzheimer

Quatro destes medicamentos são chamados de inibidores da colinesterase. Estas drogas são prescritos para o tratamento da doença de Alzheimer ligeira a moderada. Eles podem ajudar a retardar ou prevenir sintomas se agravar por um tempo limitado e pode ajudar a controlar alguns sintomas comportamentais. Os medicamentos para Alzheimer são: Reminyl® (galantamina), Exelon® (rivastigmina), Aricept® (donepezil) e Cognex® (tacrine). Os cientistas ainda não entendem completamente como inibidores da colinesterase trabalhar para tratar a doença de Alzheimer, mas a pesquisa atual indica que evitam a degradação da acetilcolina, uma substância química do cérebro que se acredita ser importante para a memória e pensamento. Como a doença de Alzheimer progride, o cérebro produz menos e menos acetilcolina; Assim, os inibidores da colinesterase pode vir a perder o seu efeito.

No estudo publicado compara diretamente estas drogas. Uma vez todos os quatro trabalho de uma maneira semelhante, não se espera que a substituição de um destes fármacos para o outro irá produzir resultados significativamente diferentes. No entanto, o paciente da doença de Alzheimer pode responder melhor a uma droga que o outro. Cognex® (tacrine) não é mais ativamente comercializado pelo fabricante.

O tratamento para a moderada a grave doença de Alzheimer

O quinto medicamento aprovado, conhecido como Namenda® (memantina), é um grupo N-metil-D-aspartato antagonista (NMDA). É receitado para o tratamento de moderada a grave doença de Alzheimer. Estudos têm demonstrado que o principal efeito do Namenda® é o de atrasar a progressão de alguns dos sintomas de moderada a grave doença de Alzheimer. A medicação pode permitir que os pacientes mantenham certas funções diárias mais um pouco. Por exemplo, Namenda® pode ajudar um paciente nos estágios mais avançados da doença de Alzheimer manter a sua capacidade de ir ao banheiro de forma independente por vários meses, um benefício para os pacientes e cuidadores.

Namenda® é acreditado para trabalhar através do controlo do glutamato, um outro produto químico importante do cérebro que, quando produzidos em quantidades excessivas, pode conduzir à morte de células do cérebro. Porque os antagonistas de NMDA de trabalho muito diferente de inibidores da colinesterase, os dois tipos de drogas pode ser prescrita em combinação.

Dosagem e Efeitos Colaterais medicamentos Alzheimer

Os médicos costumam começar a pacientes em doses baixas de drogas e aumentar gradualmente a dosagem baseada em quão bem um paciente tolera a droga. Existe alguma evidência de que certos doentes podem beneficiar de doses mais elevadas dos medicamentos inibidores de colinesterase. No entanto, quanto maior a dose, maior a probabilidade de efeitos colaterais. A dosagem eficaz de Namenda® recomendado é de 20 mg / dia após o paciente tolerou com sucesso doses mais baixas. Algumas diferenças entre esses medicamentos adicionais estão resumidos na tabela do outro lado.

Os pacientes podem ser droga sensível de outras formas, e eles devem ser monitorizados quando a droga é iniciado.Relatar quaisquer sintomas incomuns ao médico prescrever imediatamente. É importante seguir as instruções do médico quando tomar qualquer medicação, incluindo vitaminas e suplementos de ervas. Além disso, deixe o médico saber antes de adicionar ou alterar qualquer medicação.

Como a doença de Alzheimer é diagnosticada

Hoje, a única forma definitiva para diagnosticar a doença de Alzheimer é descobrir se existem placas e emaranhados no tecido cerebral. Para olhar para o tecido cerebral, os médicos devem esperar até fazer uma autópsia, que é um exame do corpo feito depois que uma pessoa morre. Portanto, os médicos devem fazer um diagnóstico de “possível” ou “provável” de doença de Alzheimer.

Em centros especializados, os médicos podem diagnosticar a doença de Alzheimer corretamente até 90 por cento do tempo. Os médicos usam várias ferramentas para diagnosticar a doença de Alzheimer “provável”:

A história médica completa inclui informações sobre a saúde da pessoa em geral, problemas médicos passados, e as dificuldades com que a pessoa tenha que realizam atividades diárias.

Exames médicos – como exames de sangue, urina ou líquor – ajuda o médico a encontrar outras possíveis doenças que causam os sintomas doença Alzheimer.

Testes neuropsicológicos de memória medida, resolução de problemas, de atenção, de contagem, e linguagem.

As varreduras do cérebro permitem ao médico olhar para uma imagem do cérebro para ver se alguma coisa não parece normal.

Informações a partir dos resultados de história e exame médico ajuda a regra médico outras possíveis causas dos sintomas da pessoa. Por exemplo, problemas de tireóide, reações a drogas, depressão, tumores cerebrais e doença dos vasos sanguíneos no cérebro pode causar sintomas da doença, como a doença de Alzheimer. Algumas destas condições podem ser tratados com sucesso.

Quais são as perspectivas para alguém diagnosticado com a doença de Alzheimer?

O curso da doença leva e como as mudanças ocorrem rapidamente variar de pessoa para pessoa. Em média, os pacientes com doença de Alzheimer vivem 8-10 anos após serem diagnosticados, embora a doença pode durar até 20 anos.

Porque é que o diagnóstico precoce Alzheimer é importante?

O diagnóstico preciso precoce da doença de Alzheimer ajuda os pacientes e suas famílias planejar para o futuro. Dá-lhes tempo para discutir as opções de cuidados com o paciente ainda pode participar na tomada de decisões. O diagnóstico precoce também oferece a melhor oportunidade para tratar os sintomas da doença.

Qual é a perspectiva para a doença de Alzheimer?

O desenvolvimento de novos tratamentos para a doença de Alzheimer é uma área ativa de investigação. Os cientistas estão testando uma série de medicamentos para ver se prevenir a doença de Alzheimer, retardar a doença, ou ajudar a reduzir os sintomas comportamentais.

Há evidências de que a inflamação no cérebro pode contribuir para a doença de Alzheimer e que as drogas para cortar para baixo sobre a inflamação pode ajudar. Um estudo recente mostrou que duas drogas anti-inflamatórias não esteróides – rofecoxib e naproxeno – não retarda a progressão da doença de Alzheimer em pessoas já diagnosticada.

Os cientistas acreditam que, no entanto, que as drogas anti-inflamatórias pode ainda revelar-se eficaz na prevenção da doença de Alzheimer em pessoas que estão em risco, mas que ainda não apresentam sintomas da doença de Alzheimer. Um ensaio clínico de prevenção está em andamento. Um ensaio clínico é um estudo de pesquisa sobre as pessoas para descobrir se um novo medicamento ou tratamento é seguro e eficaz.

A pesquisa mostrou que a vitamina E retarda o progresso de algumas consequências da doença de Alzheimer por cerca de 7 meses. Os cientistas agora estão estudando a vitamina E para saber se ela pode prevenir ou retardar a doença de Alzheimer em pacientes com comprometimento cognitivo leve, ou MCI.

Medicamento já usado para ajudar a reduzir o risco de doença cardíaca pode ajudar a diminuir as chances de desenvolver a doença de Alzheimer ou podem retardar sua progressão. Os ensaios clínicos de drogas conhecidas como estatinas começaram a ver se eles podem ajudar a retardar a progressão da doença de Alzheimer.

Estudos têm demonstrado que pessoas com Alzheimer, muitas vezes têm níveis mais altos de um aminoácido chamado homocisteína no sangue. O ácido fólico e vitaminas B6 e B12 pode reduzir os níveis de homocisteína no sangue, e os cientistas estão realizando estudos para ver se estas substâncias também podem baixas taxas de declínio mental.

A investigação também está em andamento para ver se estrogénio reduz o risco de doença de Alzheimer ou a doença abranda. Um estudo mostrou que o estrogênio não retardar a progressão da doença já diagnosticada, mas é necessária mais investigação para descobrir se o estrogênio pode desempenhar um outro papel. Por exemplo, os cientistas agora estão tentando descobrir se o estrogênio pode prevenir a doença de Alzheimer em mulheres com histórico familiar da doença.

O estrogénio e a terapia de combinação de progesterona não são recomendados para a prevenção do declínio cognitivo ou demência. Em um grande estudo nacional das mulheres acima de 65 anos, Prempro, uma forma específica de terapia hormonal combinada, foi cerca de duas vezes o risco de demência em mulheres em terapia de combinação quando comparados com aqueles que não tomam a medicação.

Uma pesquisa recente sugere que ginkgo biloba, um extracto feito a partir das folhas da árvore Ginkgo, pode ser de alguma ajuda no tratamento dos sintomas da doença de Alzheimer. Não há evidência de que ginkgo irá curar ou prevenir a doença de Alzheimer mas colaborar. Os cientistas agora estão tentando descobrir se ginkgo biloba pode atrasar ou prevenir a demência em pessoas idosas.

As pessoas com doença de Alzheimer e as pessoas com transtorno cognitivo leve que querem ajudar os cientistas a testar novos tratamentos pode ser capaz de participar em estudos de pesquisa, também conhecido como ensaios clínicos. Essas pesquisas são feitas sobre as pessoas para descobrir se um novo medicamento ou tratamento é seguro e eficaz.

Novas terapias são testadas em pessoas somente após estudos de laboratório e em animais mostram resultados promissores. A Food and Drug Administration define regras estritas para se certificar de que as pessoas que concordam em ser nos estudos são tratadas da forma mais segura possível.

 




Palavras chaves: o que é Alzheimer, doença Alzheimer, cura doença Alzheimer, prevenir doença Alzheimer, remédio doença Alzheimer, sintomas doença Alzheimer, rudo sobre doença Alzheimer.


Alergia

O que são alergias? O que é uma alergia?

alergia




Alergia ou reações de hipersensibilidade alérgica é uma resposta imunológica exagerada, que se desenvolve após a exposição a um determinado antígeno (substância estranha ao nosso organismo) e que ocorre em indivíduos suscetíveis (geneticamente) e previamente sensibilizados a estes corpos estranhos.

As alergias são respostas imunes hipersensíveis às substâncias que entraram ou entram em contato com o corpo, como pêlos de animais, pólen ou veneno de abelha. A substância que provoca uma reação alérgica é chamada de “alérgeno”. Alérgenos podem ser encontrados em alimentos, bebidas ou do ambiente.

A maioria dos alérgenos são inofensivos, ou seja, a maioria das pessoas não são afetadas por eles.

Se você é alérgico a uma substância, como o pólen, o sistema imunológico reage a ele como se fosse um patógeno (uma substância nociva estrangeira), e tenta destruí-lo.

As alergias são muito comuns. Autoridades de saúde pública estimam que cerca de 20% das pessoas na América do Norte e na Europa Ocidental sofrem de algum grau de febre do feno ( rinite alérgica , alergia ao pólen).

Um estudo publicado no JAMA Pediatrics (Setembro de 2013 emissão) informou que as alergias alimentares infantis custam ambas as famílias e ao pais como um todo quase $ 25 bilhões anuais .

O número de pessoas no mundo que sofrem de alergias está a aumentar. De acordo com Allergy UK, cerca de 30% a 40% das pessoas teve uma alergia em algum momento de suas vidas. Há alguns anos, esse aumento foi apenas aparente nas nações industrializadas. No entanto, os países de renda média estão relatando maiores taxas de alergias em toda a sua população.

Observou-se o aumento mais acentuado nas alergias em crianças, particularmente as alergias alimentares .

Uma equipe de pesquisadores da Northwestern University Feinberg School of Medicine relatou em Pediatria que cerca de 8% das crianças têm algum tipo de alergia alimentar . 38,7% das pessoas com alergias alimentares têm uma história de anafilaxia (reações alérgicas graves), e 30,4% são alérgicos a mais de um alimento.

Quais são os sinais e sintomas de alergias?

Um sintoma alérgico é algo que o paciente sente-se e descreve, ao passo que um sinal pode ser detectado por outros também. A dor é um sintoma e uma erupção cutânea é um sinal.

Quando uma pessoa com alergia entra em contato com um alergénio, a reação alérgica não é imediata. O sistema imunológico constrói gradualmente a sensibilidade à substância antes de exagerar a ele.

O sistema imunológico precisa de tempo para reconhecer e lembrar o alérgeno. Como torna-se sensível a ele, ele começa a produzir anticorpos para atacá-la – esse processo é chamado de sensibilização.

A sensibilização pode durar de alguns dias a vários anos. Em muitos casos, o processo de sensibilização não está concluído e que o paciente experimenta alguns sintomas, mas nunca uma alergia completa.

Quando o sistema imune reage a um alérgeno, há inflamação e irritação. Sinais e sintomas dependem do tipo de alérgeno. As reações alérgicas podem ocorrer no intestino (sistema digestivo), pele, seios, vias aéreas, olhos e passagens nasais.

Alergias de poeira e pólen podem ter os seguintes sintomas:

Nariz entupido

Coceira nos olhos

Comichão no nariz

Corrimento nasal

Olhos inchados

Olhos lacrimejantes

Tosse alérgica.

As reações da pele, como no eczema (dermatite atópica) podem incluir:

Descamação da pele

Coceira na pele

Descamação da pele alérgica

Pele vermelha, erupções cutâneas.

As alergias alimentares podem incluir vários tipos de reações:

Vómitos

Inchaço na lingua

Formigamento na boca

Inchaço dos lábios

Inchaço do rosto

Inchaço na garganta

Dores de estômago

Falta de ar

Sangramento retal (em crianças, rara em adultos)

Coceira na boca

Diarreia

Anafilaxia – uma reação alérgica muito grave, muitas vezes com risco de vida.

As seguintes reações alérgicas são possíveis após uma picada de inseto:

Inchaço no local da picada ocorreu

Queda repentina na pressão arterial

Comichão na pele

Falta de ar

Inquietação

urticaria – uma erupção vermelha e muita coceira que se espalha

Tontura

Tosse alérgica

Aperto no peito

Ansiedade

Anafilaxia.

O que se segue podem ser sinais de uma reação alérgica à medicação:

Língua inchada

Lábios inchados

Inchaço do rosto

Erupção cutânea

Itchiness

Anafilaxia.

Sinais e sintomas de anafilaxia

A anafilaxia é uma reação alérgica grave de início rápido. A anafilaxia pode ser fatal e deve ser tratado como uma emergência médica.

Este tipo de reação alérgica apresenta vários sintomas diferentes que podem aparecer minutos ou horas após a exposição ao alérgeno. Se a exposição é a administração intravenosa, o início é geralmente entre 5 a 30 minutos. Um alergia alimentar vai demorar mais tempo.
A anafilaxia é uma emergência médica 

Pesquisadores da Universidade de Manitoba, Canadá, relatados em The Journal of Allergy & Clinical Immunology que as áreas mais comumente afetadas em anafilaxia são a pele (80-90%), respiratórias (70%), gastrointestinais (30-45%), cardiovascular 10-45%) e o sistema nervoso central (10-15%). Na maioria dos casos duas áreas são afetadas simultaneamente.

alergia de pele – Anafilaxia

Urticaria em todo o corpo, rubor e coceira. Os tecidos afetados também podem ficar inchados ( angioedema ). Alguns pacientes podem experimentar uma sensação de queimação na pele.

Em cerca de 20% dos casos, não é o inchaço da língua e da garganta.

Se a pele tem uma cor azulada estranho, que pode ser um sinal de hipoxia (falta de oxigénio).

Alguns pacientes podem apresentar um corrimento nasal. A membrana que cobre a parte frontal do olho e o interior da pálpebra (conjuntiva) podem inflamar.

Anafilaxia – sintomas respiratórios:

Falta de ar

Wheezing – causadas por espasmos musculares brônquicas

Estridor – um som chiado vibrando agudo quando a respiração. Causada pela obstrução das vias aéreas superiores devido ao inchaço

Rouquidão

Odinofagia – dor ao engolir

Tosse alérgica.

Anafilaxia – sintomas cardiovasculares

Espasmo da artéria coronária – aperto repentino do músculo na parede da artéria (temporária) devido às células no coração que libertam histamina. Isso pode levar a infarto do miocárdio ( ataque cardíaco ), disritmia (ritmo cardíaco anormal), ou parada cardíaca (coração para).

Pressão arterial baixa pode causar a freqüência cardíaca para acelerar. Em alguns casos, diminuição da frequência cardíaca pode ocorrer como resultado de pressão arterial baixa.

O paciente cuja pressão arterial cai repentinamente pode sentir vertigens e tonturas. Alguns podem perder a consciência. Em alguns casos raros, o único sinal de anafilaxia pode ser a pressão arterial baixa.

Anafilaxia – sintomas gastrointestinais

Cólicas abdominais

Diarréia

Vómitos

A perda do controle da bexiga

Dor pélvica (como cólicas uterinas).

Os pacientes também podem ter a sensação de morte iminente.

Quais são as causas das alergias?

O sistema imunitário de uma pessoa com alergia reage com o alérgeno, como se fosse um agente patogénico prejudicial – tal como uma indesejável bactéria, vírus, fungo ou toxina. No entanto, o alérgeno não é prejudicial. O sistema imunológico simplesmente se tornou sensível a essa substância.

Quando o sistema imune reage a um alérgeno, que liberta a imunoglobulina E (IgE), um tipo de anticorpo. IgE é libertado para destruir o alérgeno. IgE faz com que os produtos químicos no corpo a ser produzido. Estes produtos químicos causam a reação alérgica.

Um desses produtos químicos é chamado histamina. A histamina causa endurecimento dos músculos, incluindo as vias aéreas e as paredes dos vasos sanguíneos. É também faz com que o revestimento do nariz produzir mais muco.

Pessoas com alergias culpa o alérgeno para os seus sintomas – animal de estimação, pólen ou a poeira ácaros de um amigo. No entanto, os alergénios não são prejudiciais. O problema não é o alérgeno, mas o sistema imunológico da pessoa alérgica que substâncias inofensivas para as nocivas.

Quais são os fatores de risco para as alergias?

Na medicina, um fator de risco é algo que aumenta o risco de desenvolver uma doença ou sintoma. Este risco pode vir de algo que uma pessoa faz. Por exemplo, o tabagismo é um fator de risco para doença pulmonar. Ele também pode ser algo que você nasce com. Por exemplo, se sua mãe teve câncer de mama , sua filha tem um risco maior de desenvolver câncer de mama também. Um histórico familiar de câncer de mama é um fator de risco.

Abaixo estão alguns fatores de risco associados com alergias:

histórico familiar de asma – se os seus pais, avós ou irmãos tem  teve asma, o seu risco de ter uma alergia é maior.
Uma história familiar de alergias – se um parente próximo tem  tinha uma alergia, o risco de ter uma alergia em si mesmo é maior.

Sendo uma criança – uma criança é muito mais propensa a ter uma alergia do que um adulto. Em uma nota positiva, o que significa que muitas crianças superam suas alergias.

Ter asma – as pessoas com asma são significativamente mais propensas a desenvolver alergias.

Não o suficiente exposição à luz solar – cientistas do Centro Europeu para o Ambiente e Saúde Humana, em conjunto com pesquisadores de vários centros australianos descobriram que as crianças que vivem em áreas com menos luz solar tiveram maiores taxas de alergias .

Ter uma alergia – se você já tem uma alergia, há um risco maior de que você irá desenvolver uma alergia a alguma outra coisa.

Os produtos químicos utilizados na purificação de água – Elina Jerschow, MD, M.Sc., um membro do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia, disse que os pesticidas na água da torneira pode ser parcialmente responsável pelo aumento das taxas de alergia alimentar.

Quais são os alérgenos mais comuns?

Um alérgeno é uma substância que provoca uma reação alérgica em algumas pessoas susceptíveis.

Estes são os alérgenos mais comuns, além de proteínas estranhas encontradas em transfusões de sangue e vacinas:

Alérgenos de animais

Os ácaros da poeira – seus excrementos

Baratas cálice

Pele

Flocos da pele (- caspa caspa )

Fel d 1 – uma proteína encontrada na saliva do gato e glândulas sebáceas. As proteínas da urina, saliva ou cabelo de animais domésticos podem causar reações alérgicas em algumas pessoas.

Medicamentos e alergia

Penicilina

Salicilatos – um sal do ácido salicílico comumente encontrados em muitos medicamentos, incluindo a aspirina, aas, e melhoral

Sulfonamidas

Alimentos – teoricamente, qualquer alimento pode causar uma alergia. Os oito alimentos mais susceptíveis de causar alergias são ovos (especialmente clara de ovo, albumina), peixe, leite, nozes de árvores, amendoim (amendoim), trigo, soja, queijo e mariscos.

Scott H. Sicherer, MD, Professor de Pediatria, Instituto Jaffe de Alergia Alimentar em Mount Sinai School of Medicine, e colegas relataram no Journal of Alergia e Imunologia Clínica que o número de crianças com alergia a amendoim mais do que triplicou entre 1997 e 2008 .

Os seguintes alimentos também pode causar alergias:

Milho (milho)

Aipo

Abóbora

Feijões

Sesame.

As picadas de inseto

vespa veneno

picadas de mosquito

picada de abelha veneno

formigas de fogo.

Picadas de insetos

barbeiros

mutucas

pulgas

blackflies.

Insetos que causam alergias respiratórias

baratas

moscas Caddis

moscas lago

mosquitos

traças.

Esporos de mofo

Alternaria

Aspergillus

Aureobasidium (Pullularia)

Cladosporium (Hormodendrum)

Epicoccum

Fusarium

Helmin thosporium

Mucor

Penicillium

Rhizopus.

Pólens das plantas – causa da febre do feno .

grama – a causa mais comum de febre do feno

árvores – incluindo carvalho, freixo, cedro, salgueiro, e avelã

ervas daninhas – como artemísia e ambrósia.

Outros alérgenos

produtos químicos domésticos

de metal – níquel, cobalto, crómio, zinco, água sanitária, sabão em pó e

látex.

Como Diagnosticar alergias?

O médico irá fazer as perguntas ao paciente em relação aos sintomas de alergia, quando ocorrem, quantas vezes e o que parece causar-lhes alergia.

O paciente também será perguntado se há uma história familiar de alergias, e se outros membros da família (que não podem ser parentes) têm alergias.

O médico, provavelmente um médico da atenção primária, inicialmente, tanto pode recomendar alguns testes para descobrir qual o alérgeno está causando os sintomas, ou encaminhar o paciente para um especialista.

Mesmo que o paciente sabe o que faz com sua alergia, o médico vai querer realizar testes para determinar se uma determinada substância na comida, bebida, ou qualquer outra coisa é o culpado.

Abaixo estão alguns exemplos de testes de alergia

Exame de sangue para determinar alergias – para medidas de níveis de anticorpos IgE liberadas pelo sistema imunológico. Este teste é às vezes chamado de teste radioallergosorbent (RAST).

Teste cutâneo para determinar alergias – também conhecido como teste de punção ou teste do prick. A pele é picada com uma pequena quantidade de um possível alérgeno. Se não houver uma reação na pele -, pele vermelha e inchada coceira – pode significar que há uma alergia.

Teste do selo – para pacientes com dermatite de contato ( eczema ). Discos de metal especiais com vestígios de um alérgeno suspeito são gravadas na parte de trás. O médico verifica para uma reação da pele 48 horas depois, e, em seguida, novamente depois de alguns dias.

O Serviço Nacional de Saúde diz que os kits de testes de alergia comerciais não são recomendados e que os pacientes devem ter estes testes feitos por profissionais de saúde especializados.

O Instituto Nacional de Saúde e Excelência Clínica (NICE), no Reino Unido, descobriram que o teste de anticorpos IgE e o teste cutâneo foi rentável em comparação com nenhum teste .

Quais são as opções de tratamento para as alergias?

O tratamento e de gestão mais eficaz de uma alergia é evitar a exposição ao alérgeno.

No entanto, às vezes não é possível evitar completamente uma alergia. Uma pessoa com febre do feno não pode evitar a exposição ao pólen, a menos que ele / ela fecha todas as janelas da casa e nunca sai. Mesmo assim, há um risco de outras pessoas que trazem o pólen para a casa.

Também é importante para educar os pacientes para que eles saibam como identificar seus alimentos alergênicos corretamente. Muitas pessoas com alergia ao amendoim ou alergia da porca da árvore não poderia identificar corretamente quais os itens que eram alérgicas em um estudo realizado na Universidade Estadual de Ohio.

O líder do estudo, o professor Todd Hostetler, disse que “Quando pedimos aos pacientes a evitar amendoins e nozes, não devemos assumir os pacientes sabem o que estão procurando, porque não pode. Vale a pena fazer alguma instrução sobre o que a porca da árvore é, o que um amendoim é, e que todos eles se parecem. ”

Os medicamentos para alergias





As drogas podem ajudar a tratar os sintomas da alergia, mas não curá-lo. A maioria dos medicamentos de alergia são OTC (over-the-counter: em cima do balcão, sem necessidade de receita médica). Antes de considerar um medicamento, fale com um farmacêutico ou o seu médico.

Os anti-histamínicos (antagonistas da histamina) – eles bloqueiam a ação da histamina, um produto químico libertado no corpo como parte de uma reação alérgica. Alguns anti-histamínicos não são adequados para crianças.

Descongestionantes – alguns pacientes dizem que ajudar com o nariz entupido em casos de febre do feno, alergia animal de estimação ou alergia à poeira. Os descongestionantes são medicamentos de curto prazo.

Antagonistas dos receptores de leucotrienos (anti-leucotrienos) – para a asma quando outros tratamentos não funcionaram. Anti-leucotrienos bloquear os efeitos dos leucotrienos, substâncias químicas que causam inchaço.Os leucotrienos são libertados no organismo quando há uma reação alérgica.

Sprays de esteróides – aplicadas ao revestimento interno do nariz. Sprays de corticosteróides ajudar a reduzir a congestão nasal.

Relação dos principais antialérgicos

Spray nasal: Avamys, budecort, nasacort, noex, clenil,

Oral: polaramine, corticorten, meticorten, celestamine, fenergan, prometazina, maleato de dexclorfeniramina, betametasona, budesonida, cetirizina, prednisona, loratadina, alegra, cloridrato de fexofenadfica, cloridrato de hidroxizina, hixizine.

Imunoterapia

Também conhecida como hyponsesitization. Este tipo de terapia reabilita o sistema imunitário. O médico administra aumentando gradualmente doses de alérgenos ao longo de um período de anos. O objetivo é induzir a tolerância a longo prazo, reduzindo a tendência do alérgeno para desencadear a produção de IgE.

A imunoterapia é usada apenas em casos de alergias graves.

Alergista Bobby Lanier , MD, diretor médico executivo do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia, disse: “Ela (imunoterapia) é o único tratamento de alergia que tem sido mostrado para prevenir a progressão da doença alérgica, reduzir o risco de desenvolver asma, e proporcionar a remissão a longo prazo após o término da terapia. Estudos demonstram que reduz a necessidade de medicação, bem como o uso e os custos dos serviços de saúde. E ao contrário de medicamentos, imunoterapia tem um longo histórico de segurança em crianças, idosos e mulheres grávidas . ”

Estudos descobriram que alergias infantis são mais eficazmente reduzidas em um comprimento encurtado de imunoterapia. O autor principal, Iwona Stelmach, MD, PhD, disse: “A duração recomendada de imunoterapia para a eficácia a longo prazo tem sido três a cinco anos. Nossa pesquisa mostra que três anos é um tempo adequado para o tratamento da asma na infância associado com ácaros . Um adicional de dois anos acrescenta nenhum benefício clínico. ”

O tratamento para a anafilaxia –  choque anafilático

A anafilaxia é uma emergência médica. O paciente pode necessitar de reanimação, incluindo a gestão das vias aéreas, oxigênio suplementar, fluidos intravenosos e acompanhamento de perto.

O paciente, que muitas vezes tem que ser hospitalizado, vai precisar de uma injeção de adrenalina (epinefrina) no músculo. Os anti-histamínicos e corticóides são muitas vezes utilizados como coadjuvantes.

Depois foi estabilizado o paciente, os médicos podem recomendar a permanecer no hospital em observação por até 24 horas em caso de anafilaxia bifásicas. Anafilaxia bifásica é a recorrência de anafilaxia dentro de 72 horas com qualquer exposição ao alérgeno.

Muitos médicos e autoridades de saúde aconselhar os pacientes a usar uma pulseira de informação médica ou colar com informações sobre a sua condição.

Mesmo que os tratamentos podem ajudar a aliviar os sintomas da alergia, o paciente terá de tentar evitar a exposição aos alérgenos específicos. Em alguns casos, isso não é fácil. Evitando pólen na primavera e verão tardio é praticamente impossível, mesmo as casas mais limpas têm esporos de fungos ou ácaros.

Se você tem amigos ou familiares com animais de estimação, evitando-os pode ser difícil. As alergias alimentares pode ser um desafio para gerenciar, porque vestígios de alérgenos podem aparecer nas refeições mais improváveis.

Reduzir a sua exposição aos ácaros do pó:

Ir para superfícies de piso duro em vez de tapetes

Substitua suas cortinas das janelas com cortinas de rolo

Regularmente vácuas almofadas, cadeiras e brinquedos de pelúcia. Sempre que possível, lave-as em um ambiente de alta temperatura

Não use cobertores de lã ou travesseiros de plumas.

Em vez de varredura seca, o que pode dispersar os alérgenos no ar, limpe as superfícies com um pano úmido.

Prevenção da alergia a gatos ou cães – não é o próprio animal de estimação mas proteínas encontradas na sua urina, saliva, flocos de pele morta ou cabelo que podem causar reações alérgicas.

Se você não pode evitar estar em contato com um animal de estimação que você é alérgico, veja se você pode chegar a um acordo em que não é permitido em determinadas partes da casa, por exemplo, no andar de cima. Não permita que o animal de estimação em seu quarto. Preparação de um cão ou gato de fora regularmente pode ajudar a (tentar conseguir alguém para fazer isso por você). Cama do animal de estimação e brinquedos de pelúcia devem ser lavados com uma definição de alta temperatura regularmente.

Se você tem que ir para a casa de um dono de animal de estimação, tomar uma medicação anti-histamínico de antemão pode ajudar.

Prevenir alergia esporos de mofo

Teste a sua casa para o molde.

Verifique o encanamento em sua casa. Vazamentos criar áreas úmidas que são ambientes ideais para moldes.

Provavelmente, você pode limpar pequenas áreas mofadas.  Se o molde for detectado dentro de gesso, deve ser cortado e substituído.

Certifique-se de todas as superfícies duras são molde livre.

Evite ter tapetes em áreas úmidas de sua casa.

Certifique-se de seus banheiros são bem ventilados.

Desumidificadores e condicionadores de ar ajudar a manter a casa seca. Faça filtros e tenha certeza que são alteradas regularmente.

Prevenção das alergias alimentares

Prevenção de reações alérgicas afeta crianças psicologicamente – cientistas da Universidade de Pádua, na Itália, informou que as crianças com alergias alimentares sofrem de ansiedade e solidão . Cerca de 17% das crianças com alergias alimentares nunca participar de festas “pares, enquanto que 24% sempre ingere alimentos” seguros “junto com eles.

Antes de considerar a compra e comer um determinado alimento, ler a lista de ingredientes no rótulo. Um número considerável de alimentos preparados contém alérgenos, tais como leite, queijo, enlatados, ovos ou amendoins.
Rotulagem clara alimento alérgeno é legalmente exigido em muitos países

De acordo com o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, fabricantes de alimentos têm sido exigido por lei desde 2006 para listar os ingredientes em alimentos preparados. Eles também são obrigados a revelar se seus alimentos contêm – peixe, marisco, trigo, soja, nozes, amendoim, leite ou ovos – conhecidos como os melhores alimentos alergênicos. Eles também tem a lista dos conservantes, dióxido de enxofre e sulfitos.

Em agosto de 2013, a FDA dos EUA assim como a vigilância sanitária aqui no brasil introduziu uma nova regra que define o termo “sem glúten” . as autoridades disse que o novo regulamento irá ajudar as pessoas com doença celíaca evitar o glúten de forma mais eficaz.

Simples de higiene – simples medida de limpeza pode ajudar a reduzir o risco de entrar em contato com um alérgeno alimentar. Se você é alérgico a amendoim, por exemplo, lavar as mãos com água e sabão irá remover todos ou a maioria dos traços do alérgeno. Manter as superfícies de trabalho limpo, com um bom produto de limpeza também ajuda.

Pode ser especialmente difícil evitar alérgenos alimentares quando comer fora. Explicar claramente para o garçom (e o chef se você puder) que você tem uma alergia alimentar e como é importante para você evitar certos alimentos.

Muitos garçons e chefs acreditam que uma pequena quantidade de alérgeno não irá prejudicar o cliente alérgico. Uma pesquisa com 90 restaurantes com serviço de mesa descobriram que 1 em cada 3 cozinhas não foram separados os alérgenos alimentares comuns (peixes, nozes, leite, trigo, amendoim e ovos) de outros alimentos.

Tenha cuidado ao selecionar itens em padarias ou buffets, porque é provável que vários tipos de alimentos tiverem entrado em contato um com o outro.

Um relatório divulgado pela Academia Americana de Pediatria, em 2008, sugeriu que as alergias alimentares podem ser atrasado ou impedido em crianças de alto risco se eles são amamentados por quatro meses ou mais.

Dieta da mãe durante a gravidez pode afetar o risco de alergia do bebê – Dr Gaëlle Boudry, do instituto de pesquisa do INRA em Rennes, França, e equipe identificou uma possível ligação entre a dieta da mãe durante a gravidez e o risco de alergias em sua prole .

Se a dieta da mãe continha um grupo de PUFAs (ácidos graxos poliinsaturados), tais como os encontrados na semente de linhaça, óleo de noz ou peixe, intestinos do bebê desenvolveu de forma diferente, fazendo com que ele / ela menos propensos a sofrer de alergias.

Dr. Boudry disse: “Há um interesse intensa pesquisa na dieta materna durante a gravidez. Na dieta ocidental, o grupo de ácidos graxos poliinsaturados que temos mostrado para ajudar a função intestinal estão realmente desaparecendo nossa ingestão de óleos de peixe e nozes está sendo substituído por óleos de milho que contêm um tipo diferente de ácido gordo. O nosso estudo identifica que um determinado grupo de ácidos gordos poli-insaturados conhecidos como n-3PUFAs provoca uma mudança no modo de intestino de um bebê se desenvolve, que por sua vez podem mudar a forma como o sistema imunitário do intestino desenvolve. Estes mudanças são susceptíveis de reduzir o risco de desenvolver alergias mais tarde na vida. ”

Alergias ao pólen Prevenção (febre do feno)

Se você sofre de febre do feno, existem algumas medidas que você pode tomar para tornar sua primavera e / ou verão meses mais tolerável. Com certa dose de planejamento e esforço, você pode limitar significativamente o seu sofrimento, e talvez até mesmo evitá-lo completamente.

Mark Dykewicz, MD, professor de medicina interna e chefe de Alergia e Imunologia Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade de Saint Louis, disse: “Há uma série de passos simples que você pode tomar para ajudar a aliviar os sintomas e minimizar o seu sofrimento quando chuta a estação da alergia em alta velocidade. Isso é uma boa notícia para muitos dos milhões de pessoas que tradicionalmente sofrem a cada ano a partir de alergias sazonais. ”

Dr. Dykewicz oferece os seguintes cinco dicas para evitar ou reviver os sintomas de alergia ao pólen:

Use anti-histamínicos de venda livre. Para muitos pacientes são muito eficazes na redução dos sintomas clássicos de febre do feno. Ir para os produtos mais recentes, que são menos propensos a causar sonolência.

Mantenha todas as portas e janelas de sua casa fechada. Isso ajuda a evitar pólen e mofo ao ar livre de entrar.

Vá para fora o menos possível na parte da manhã ou quando a contagem de pólen são elevados. Em dias de vento é melhor para ficar. Contagem de pólen tendem a ser maiores 05:00-10:00.

Mantenha as janelas do seu carro fechado quando você está viajando. Verifique se o filtro de ar está sujeito a manutenção regular.

Se você foi para fora, trocar de roupa e tomar um banho quando você está de volta para casa. O Pólen pode reunir em roupas, pele e cabelo.

As seguintes medidas também podem ajudar a reduzir a gravidade e frequência dos sintomas da febre do feno:

Se você tem um gramado em casa, tenta obter alguém para corta-lo

Fique longe de áreas muito gramíneas, como campos e parques

Quando você está fora, usar óculos escuros

Evite secar suas roupas e lençóis  fora quando a contagem de pólen são elevados

Se você também é alérgico a gatos e cachorros, ficar longe de animais de estimação.

Prevenir anafilaxia

Se você está vulnerável a anafilaxia, uma reação alérgica severa, certifique-se que você tem um “plano de ação alergia”.

Os pais devem informar a sua escola, creche, etc., sobre alergia do seu filho e o que fazer em caso de emergência anafilático.

Diga a seus colegas de trabalho e amigos para que eles possam ajudá-lo em caso de emergência.

Você deve sempre levar um medicamento antialérgico, por exemplo, um polaramine. É aconselhável receber aconselhamento profissional sobre como evitar as causas.

 

 




Palavras chaves: o que são alergias, como prevenir alergias, remédios para alergias, alimentos que causam alergias, o que é alergia, medicamentos contra alergia, medicamentos antialérgicos, como evitar alergia, tratamento para alergia.